saneamento basico
Análise de Água no Guaíba

Saiba como é feita a análise que verifica as condições para banho no Guaíba

Análise de Água no Guaíba

Por: Alberi Neto

Nem todo mundo sabe, mas existem áreas do Guaíba em Porto Alegre onde é possível se aventurar e dar um mergulho. Quem atesta isso é o Departamento Municipal de Água e Esgotos (Dmae), em laudos divulgados semanalmente entre dezembro e março, época de calor e onde a procura pelos espaços aumenta.

Mas para atestar essa balneabilidade, o poder público segue uma série de regras desde a coleta até a análise da água.

O conjunto destas etapas é chamado de cadeia de custódia, como explica a diretora de tratamento de Água e Esgoto do Dmae, Joicineli Becker.

A reportagem de GZH acompanhou a primeira coleta feita pelo Dmae em 2024. Na manhã de quarta-feira (3), uma dupla de técnicos em saneamento do órgão circulou por seis pontos dos bairros Belém Novo e Lami, no extremo sul de Porto Alegre. Estes são os locais do Guaíba considerados balneáveis na Capital.

Fica por conta do técnico em saneamento Ricardo Balloni trajar um macacão impermeável e adentrar nas águas. Com um equipamento que ajuda a medir a visibilidade, ele avança até que alcance o ponto considerado ideal para o recolhimento. Em terra firme, a colega de Ricardo, Aline de Oliveira, preenche informações numa planilha. São dados como horário da coleta e a temperatura do ar naquele momento, por exemplo.

— São informações que a gente precisa levar em conta na hora de analisar a amostra. As chuvas, o vento e a temperatura têm influência sobre o movimento na superfície e também no fundo do Guaíba. Tudo isso é importante — conta Aline.

Análise de Água no Guaíba

Inclusive, o Dmae evita coletas após em dias após chuvas intensas ou em momentos em que esteja chovendo torrencialmente. A ideia é que a amostra seja coletada sempre quando o manancial está em condições normais. O trabalho costuma ser rápido, a equipe leva menos de 10 minutos para executar a coleta de água em cada ponto. Depois, as amostrar são levadas para o laboratório do Dmae, onde a análise é feita. Mas ela por si só não é um resposta completa, é necessário haver uma comparação. Por isso, como explica a diretora Joicineli, as coletas iniciam ainda em novembro.

— Conforme a resolução do Conselho Nacional de Meio Ambiente, o Conama, que nos dá os critérios de balneabilidade em águas brasileiras, é preciso um número mínimo de amostrar para ter uma conclusão. Por isso, recolhemos amostras por cinco semanas, começando em novembro e divulgamos o primeiro resultado em dezembro. Depois, vamos atualizando semanalmente com a nova amostra coletada, combinando informações com as quatro análises anteriores. É sempre uma interpretação conjunta das últimas cinco coletas — explica Joicineli.

Critérios

Mas o que é levado em conta para considerar se o ponto é próprio ou não para banho? De acordo com diretora de tratamento de Água e Esgoto do Dmae, os dois principais fatores são a análise do pH da água (índice de acidez) e da presença da bactéria Escherichia coli (conhecida como E. coli). Conforme a resolução do Conama, ainda há outros pontos analisados, como a presença de coliformes fecais, da bactéria eterococos e da floração de algas. Mas o principal é que 80% das análises, de um conjunto das cinco últimas amostras, deve apresentar algumas características.

— O pH precisa precisa ter um índice maior que 6 e menor que 9. E a presença de E. coli deve estar em até 800 a cada 100 mililitros para a balneabilidade ser considerada satisfatória — conta Joicineli.

Depois da coleta, levam cerca de 48 horas para que os primeiros resultados sejam apresentados. Por isso, o Dmae faz as coletas nas quartas-feiras e divulga os relatório às sextas. Depois da coleta que o GZH acompanhou, o Dmae divulgou na sexta-feira (5) o documento. Pelas análises, conclui-se que os seis pontos vistoriados estão próprios para banho, tanto em Belém Novo quanto no Lami. É a primeira vez que isso acontece neste verão. Mergulho liberado para os próximos dias.

Fonte: GZH.

Últimas Notícias:
Tratamento de Efluentes Gratt

Como o Correto Tratamento de Efluentes pode impactar a Natureza?

Como o correto tratamento de Efluentes Sanitários impacta na natureza e na sociedade como um todo? Você sabia que o tratamento adequado de efluentes sanitários tem um papel crucial na preservação da natureza? Quando o esgoto não recebe o tratamento necessário, ele acaba sendo despejado diretamente em rios, lagos e oceanos, causando sérios danos ao meio ambiente.

Leia mais »
Saneamento Básico Escolas Creches

Senado quer prioridade em saneamento básico nas escolas e creches públicas

Nesta terça-feira (20/2), a Comissão de Infraestrutura (CI) do Senado Federal votará o Projeto de Lei (PL) 2.298/2021 que assegura prioridade de acesso ao saneamento básico para escolas e creches públicas. De autoria do senador Wellington Fagundes (PL-MT), o projeto busca modificar as diretrizes nacionais para o saneamento básico, garantindo que instituições de ensino tenham acesso à água potável, esgotamento sanitário e coleta de resíduos.

Leia mais »
Linedata Gestão de Ativos Saneamento

Maximizando a eficiência no saneamento: A Importância na Formação de Dados e Gestão dos Ativos de Rede

No mundo contemporâneo, a eficiência no saneamento é um fator crítico para o desenvolvimento sustentável e a saúde pública. A LINEDATA, reconhecendo essa necessidade, enfatiza a importância de uma gestão eficaz dos dados e dos ativos de rede no setor de saneamento. Esta abordagem é fundamental para acelerar a coleta e análise de informações, resultando em decisões mais rápidas, redução de perdas de água e otimização dos resultados operacionais.

Leia mais »
Sabesp Regulação Privatização

Sabesp: os avanços (e os poréns) da regulação pós-privatização

Um dos passos mais relevantes para o processo de privatização da Sabesp, o novo modelo regulatório para a companhia, colocado em consulta pública hoje pelo governo o Estado, veio em linha com as (altas) expectativas do mercado – e deve dar um impulso para que as ações ganhem fôlego na oferta que deve marcar a diluição da participação estatal, prevista para junho. 

Leia mais »
Problemas Saneamento Básico

Alarmante: quase metade das moradias no Brasil possuem problemas de saneamento básico

Saneamento básico, que engloba o acesso a água potável, coleta e tratamento de esgoto, manejo de resíduos sólidos e drenagem de águas pluviais, é algo crucial para o desenvolvimento socio-econômico de um país. No Brasil, a situação está muito distante do que seria considerado ideal. De acordo com dados recentes do estudo realizado pelo Instituto Trata Brasil quatro milhões de brasileiros não possuem banheiro em suas residências.

Leia mais »