saneamento basico

Caracterização Temporal e Espacial dos Alagamentos no Município de São Paulo

Dentre os desastres naturais, os alagamentos são um dos que mais causam impactos ambientais, econômicos e sociais. O objetivo neste trabalho foi realizar a caracterização espacial e temporal dos alagamentos no município de São Paulo – SP. Durante o ano de 2018, o objetivo foi identificar os fatores de suscetibilidade das bacias hidrográficas. Para isso, a metodologia do estudo desenvolveu-se de três formas:

  1. Avaliação da distribuição temporal dos alagamentos;
  2. Avaliação da distribuição espacial dos alagamentos;
  3. Identificação de características físicas e fisiográficas relacionadas com a maior ocorrência de alagamentos.

Caracterização Temporal e Espacial dos Alagamentos no Município de São Paulo

A distribuição temporal teve seu índice avaliado pela análise da distribuição de frequências relativas da ocorrência de alagamentos ao longo do ano. Entretanto, a distribuição espacial realizou-se a partir do número absoluto de alagamentos por Subprefeitura e curso d’água do município de São Paulo. Observando 264 alagamentos, sendo a maior ocorrência no período de maior pluviosidade, foi possível compreender os meses de janeiro a março e de novembro a dezembro e as subprefeituras da Sé, Lapa, Pinheiros e Santo Amaro.

Sendo assim, concluiu-se que este índice não se aplica à bacias hidrográficas sujeitas a precipitações mensais acima de 100 mm, com coeficiente de compacidade acima de 1,70. Não é possível aplicar o índice em questão a alagamentos como pode ser aplicado a enchentes. Dessa forma, isso ocorre devido à sua avaliação não poder ser feita de forma individualizada a cada fator, de forma imprescindível. Porém, sim em um conjunto que associados irão influenciar na suscetibilidade de cada bacia.

Autores: Diéssica Talissa Burdo Timóteo da Silva; Juliana Heloisa Pinê Américo-Pinheiro; Gisele Herbst Vazquez e Luiz Sergio Vanzela.

LEIA O ARTIGO NA ÍNTEGRA

Últimas Notícias:
Membrana de nanofiltração

Avaliação de uma membrana de nanofiltração para a remoção de antibióticos da água: um estudo de caso com Sulfametoxazol, Norfloxacina e Tetraciclina

Nesse contexto, o presente estudo avalia a nanofiltração, uma tecnologia de membranas filtrantes, na remoção de três antibióticos largamente consumidos (Tetraciclina, Norfloxacina e Sulfametoxazol) da água. Foi empregada a membrana NF270 (DOW – FilmTec), uma membrana de poliamida com massa molecular de corte de 400 Da que foi avaliada em termos de produtividade e capacidade de remoção dos antibióticos.

Leia mais »