saneamento basico
Potiguares projeto de saneamento

2024 terá 8 leilões de saneamento, mais 36 certames municipais

2024 Leilões de Saneamento

Com expectativa de R$ 27 bilhões em novos investimentos contratados, o mercado de saneamento básico voltará a se aquecer neste ano.

Considerando os projetos previstos pelo BNDES (Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social) e as Parcerias Público-Privadas (PPPs) da Companhia de Saneamento do Paraná (Sanepar), previstos para 2024, já estão programados oito leilões e outros 36 projetos de municípios e consórcios intermunicipais.

Além das concessões, o mercado também aguarda a privatização da Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo (Sabesp).

Esta, por sua vez, teve aprovação na Assembléia Legislativa de São Paulo (Alesp), e promulgação da lei pelo governador, Tarcísio de Freitas (Republicanos) em dezembro passado. Agora, a companhia negocia com os 375 municípios atendidos para a continuidade de cada contrato, em caso de privatização, inclusive a renovação da concessão atual. A privatização está prevista para julho.

Contudo outros estados e municípios como Sergipe, Porto Alegre (RS), Paraíba, Rondônia e Pernambuco já estão no calendário dos próximos leilões. Somente a concessão pernambucana, prevê mais de R$ 16 bilhões em investimentos e tem leilão previsto para o quarto trimestre de 2024. Para o primeiro semestre do ano, estão três lotes no Paraná, da Sanepar, ainda sem data definida. Confira a tabela completa abaixo, com base em informações do BNDES, Sanepar e Associação e Sindicato Nacional das Concessionárias Privadas de Serviços Públicos de Água e Esgoto (Abcon), divulgada no jornal Valor Econômico.

“Em 2024, devemos entrar em um segundo ciclo de projetos. Estão em modelagem as concessões em Sergipe e no Pará, com firme engajamento dos governadores, e começam a pipocar PPPs pelos Estados”, afirma Percy Soares Neto, diretor-executivo da Associação das Concessionárias Privadas de Água e Esgoto (Abcon).

2024 Leilões de Saneamento

Então o BNDES planeja realizar em 2024 os leilões de Paraíba, Sergipe, Rondônia e Pernambuco. Os projetos de Pará e Goiás deverão ficar para 2025 e 2026, respectivamente. A concessão de Porto Alegre, também em revisão pelo banco de fomento, não tem data definida – embora no mercado a expectativa seja de uma licitação no próximo ano.

Pois quanto aos municípios e consórcios intermunicipais, há cerca de 36 projetos em fases variadas de formatação, sem prazos definidos. O total de investimentos a contratar pode atingir mais de R$36 bilhões, segundo BNDES e Abcon.

Em suma nas projeções do 10º Barômetro da Infraestrutura, avaliado pela Associação Brasileira da Infraestrutura e Indústrias de Base (Abdib), que divulgou seu Livro Azul em dezembro, sobre as perspectivas de investimentos para os próximos anos, o saneamento é a área com a maior perspectiva de aumento das intenções de investimentos. Atrás dele estão o de Energia Elétrica e o de Mobilidade Urbana.

Fonte: OE.

Últimas Notícias:
greenTalks Sustentabilidade de Embalagens

greenTalks entrevista Bruno Pereira, CEO da Ecopopuli, sobre sustentabilidade de embalagens

O segundo episódio da temporada 2024 do videocast greenTalks – uma iniciativa pioneira entre a green4T e NEO MONDO para discutir o papel fundamental da tecnologia na promoção de um futuro mais sustentável – tem como entrevistado especial Bruno Pereira, Especialista em Sustentabilidade Positiva, Líder do Comitê de Sustentabilidade da Associação Brasileira de Embalagem (ABRE) e CEO da Ecopopuli.

Leia mais »
Gestão Resíduos Sólidos Urbanos

Estudo aponta caminhos para a gestão de resíduos sólidos urbanos

Apenas a cidade de São Paulo produz cerca de 20 mil toneladas de resíduos sólidos urbanos (RSU) todos os dias, sendo 12 mil domiciliares e 8 mil da limpeza urbana, decorrentes de atividades de varrição, recolhimento de restos de feiras, podas e capinas. Considerando somente as 12 mil toneladas produzidas nas residências, isso dá uma média de aproximadamente 1 quilo de lixo por habitante ao dia.

Leia mais »
Lei do Bem Cagece

Lei do Bem: Cagece alcança R$ 3,6 milhões em benefícios fiscais através de investimentos em projetos de inovação tecnológica

A Companhia de Água e Esgoto do Ceará (Cagece) é pioneira no Ceará em aliar os investimentos em projetos de inovação tecnológica e transformá-los em benefícios fiscais. Por meio da chamada “Lei do Bem” (nº 11.196/2005), a companhia conseguiu rastrear e inserir junto ao Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação um total de R$ 17 milhões, aportados em projetos de inovação nos últimos três anos, rendendo um retorno total de R$ 3,6 milhões em benefícios.  

Leia mais »
Política de Gerenciamento Resíduos Sólidos

Política de gerenciamento de resíduos sólidos em instituições públicas

O presente estudo aborda a problemática ambiental da geração de resíduos sólidos e a inadequação do gerenciamento destes nas instituições públicas. Considerando as limitações das opções de destinação final para os resíduos, é imprescindível minimizar as quantidades utilizadas dentro destas organizações por meio da redução, reutilização e reciclagem. Diante da Política Nacional de Resíduos Sólidos e em consonância com a agenda 2030, busca-se contribuir e apontar caminhos para o enfrentamento da grave questão.

Leia mais »