saneamento basico
DF Lixo Eletrônico

Distrito Federal investirá R$ 9 milhões na criação de unidades para tratamento de lixo eletrônico

DF Lixo Eletrônico

A Secretaria de Ciência, Tecnologia e Inovação do Distrito Federal (Secti) pretende dar início, no próximo mês, a implementação de cinco novos polos para tratamento de lixo eletrônico.

A pasta investirá R$ 9 milhões na medida que vai recolher os produtos como celulares e computadores, e até mesmo os aparelhos de grande porte, como geladeiras e máquinas de lavar, e recondicioná-los para doação ou reciclagem dos insumos.

Então a informação foi dada em entrevista exclusiva ao R7 pelo secretário da pasta, Leonardo Reisman.

As novas unidades serão chamadas de Polo Distrital de Economia Circular e vão atender toda a capital do Distrito Federal com objetivo de ampliar o alcance do Projeto Reciclotech, que atualmente tem apenas uma unidade de atendimento no Gama.

Essa é uma iniciativa que olha para o campo da sustentabilidade. Nas unidades de tratamento as pessoas também serão qualificados e grande parte delas podem ser inclusive empregadas no próprio programa LEONARDO REISMAN, SECRETÁRIO DE CIÊNCIA, TECNOLOGIA E INOVAÇÃO

DF Lixo Eletrônico

Então a reciclagem do lixo eletrônico, no entanto, não é a única meta estabelecida pela Secti para este ano. A pasta dará andamento neste primeiro semestre ao edital Gamifica DF, que recebeu investimento de R$ 3 milhões. E ainda aberto, seleciona organizações da sociedade civil para projetos que incentivam o empreendedorismo em jogos eletrônicos e que valorizem o desenvolvimento tecnológico.

Ademais o projeto já aprovado no chamamento prevê cursos na região do Plano Piloto, Recanto das Emas, Varjão, Águas Claras e Sol Nascente que vai beneficiar 3,7 mil pessoas em cada uma das cinco regiões administrativas. Os cursos da iniciativa estão divididos em três polos: software e hardware; designer de jogos e enredos; e marketing.

LEIA TAMBÉM: Prazo para fim de lixões termina em agosto para 75 cidades de MS

Em conclusão a iniciativa terá salas de aulas equipadas com computadores gamer para que os professores treinem os estudantes. Ao fim, terão direito a um certificado. Cada um dos três cursos também conta com módulos de empreendedorismo.

“A ideia é que o aluno saia capacitado para trabalhar na indústria [eletrônica], mas se ele quiser também empreender, ele terá a qualificação para lançar seu negócio”, disse.

Investimento

Mas Reisman destaca que o setor de tecnologia e jogos está em crescimento em todo o mundo, inclusive na capital do país.

“Ano passado tivemos uma movimentação de R$ 8,5 milhões desse setor no DF e o crescimento dessa indústria, por ano, chega a 10%”, afirmou o secretário.

Pois para garantir o avanço das tecnologias, o titular da pasta defende a importância da acessibilidade e acesso das pessoas à internet, por exemplo. Para isso, a secretaria pretende ampliar o Wi-FI Social. Que hoje recebe cerca de 100 milhões de acessos e está distribuído em 120 locais da capital do país.

O novo edital que estamos trabalhando quer ampliar, além dos pontos de acesso, o tempo que o usuário pode ficar conectado. Hoje, o acesso é feito por 30 minutos, mas estamos trabalhando nessa ampliação LEONARDO REISMAN, SECRETÁRIO DE CIÊNCIA, TECNOLOGIA E INOVAÇÃO

A tecnologia, segundo o secretário, também é um caminho importante para a inclusão. Este ano, a pasta trabalha para avançar em projetos de tecnologia assistiva, sendo um deles, a criação de salas sensoriais para pessoas no Transtorno do Espectro Autista. “As salas terão luz, som e experiência sensorial para acolher tanto o autista como a mãe dessa criança. Queremos levar essas salas para vários locais da capital”, disse Reisman.

Contudo no ano passado, a Secti também esteve envolvida no projeto da Secretaria da Pessoa com Deficiência de criar o Cil Online, uma plataforma de atendimento virtual com intérpretes da Língua Brasileira de Sinais (Libras) em todo o serviço público da capital federal.

Promoção da ciência

Em suma outra estratégia avaliada pelo secretário é utilizar os equipamentos públicos para promover e incentivar a ciência para as crianças, como o Planetário de Brasília e o SESI Lab. A expectativa de Reisman é aproveitar os 50 anos de inauguração do Planetário, comemorado em março deste ano, para levar “conhecimento e mostrar as ciências de forma lúdica”.

Nosso objetivo é promover carreiras na ciência. Falamos muito de tecnologia, e às vezes nos esquecemos que precisamos incentivar a carreira de novos cientistas LEONARDO REISMAN, SECRETÁRIO DE CIÊNCIA, TECNOLOGIA E INOVAÇÃO

Fonte: R7.

Últimas Notícias:
greenTalks Sustentabilidade de Embalagens

greenTalks entrevista Bruno Pereira, CEO da Ecopopuli, sobre sustentabilidade de embalagens

O segundo episódio da temporada 2024 do videocast greenTalks – uma iniciativa pioneira entre a green4T e NEO MONDO para discutir o papel fundamental da tecnologia na promoção de um futuro mais sustentável – tem como entrevistado especial Bruno Pereira, Especialista em Sustentabilidade Positiva, Líder do Comitê de Sustentabilidade da Associação Brasileira de Embalagem (ABRE) e CEO da Ecopopuli.

Leia mais »
Gestão Resíduos Sólidos Urbanos

Estudo aponta caminhos para a gestão de resíduos sólidos urbanos

Apenas a cidade de São Paulo produz cerca de 20 mil toneladas de resíduos sólidos urbanos (RSU) todos os dias, sendo 12 mil domiciliares e 8 mil da limpeza urbana, decorrentes de atividades de varrição, recolhimento de restos de feiras, podas e capinas. Considerando somente as 12 mil toneladas produzidas nas residências, isso dá uma média de aproximadamente 1 quilo de lixo por habitante ao dia.

Leia mais »
Lei do Bem Cagece

Lei do Bem: Cagece alcança R$ 3,6 milhões em benefícios fiscais através de investimentos em projetos de inovação tecnológica

A Companhia de Água e Esgoto do Ceará (Cagece) é pioneira no Ceará em aliar os investimentos em projetos de inovação tecnológica e transformá-los em benefícios fiscais. Por meio da chamada “Lei do Bem” (nº 11.196/2005), a companhia conseguiu rastrear e inserir junto ao Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação um total de R$ 17 milhões, aportados em projetos de inovação nos últimos três anos, rendendo um retorno total de R$ 3,6 milhões em benefícios.  

Leia mais »
Política de Gerenciamento Resíduos Sólidos

Política de gerenciamento de resíduos sólidos em instituições públicas

O presente estudo aborda a problemática ambiental da geração de resíduos sólidos e a inadequação do gerenciamento destes nas instituições públicas. Considerando as limitações das opções de destinação final para os resíduos, é imprescindível minimizar as quantidades utilizadas dentro destas organizações por meio da redução, reutilização e reciclagem. Diante da Política Nacional de Resíduos Sólidos e em consonância com a agenda 2030, busca-se contribuir e apontar caminhos para o enfrentamento da grave questão.

Leia mais »