saneamento basico

Comportamento de dispositivos de desvio das primeiras águas de chuva como barreiras sanitárias para proteção de cisternas

Resumo

O uso de cisternas para armazenamento da água de chuva é comum em diversas localidades que experimentam longos períodos de escassez hídrica. Para evitar a contaminação da água armazenada, uma das estratégias é o uso de dispositivos de descarte das primeiras águas de chuva. Neste estudo foi analisada a qualidade da água (parâmetros físico-químicos e microrganismos patogênicos) desviada do sistema de armazenamento, com o emprego de três tipos de dispositivos de descarte automático: um baseado no princípio de fecho hídrico (chamado aqui de Dispositivo A1 – ANDRADE NETO, 2004), um baseado no princípio dos vasos comunicantes (chamado aqui de Dispositivo A2 – www.cepfs.org) e um baseado em ambos os princípios físicos (chamado aqui de DesviUFPE – ALVES et al., 2014). Ambos os desvios Dispositivo A1 e Dispositivo A2 são confeccionados em concreto e o DesviUFPE em tubos de PVC acoplados. Além disso, foi investigada a qualidade da água armazenada nas cisternas para comparação dos resultados com os padrões de potabilidade estabelecidos pela legislação. Todos os desvios considerados constituem o ponto de passagem obrigatório entre a calha acoplada no telhado e a cisterna. Todos os dispositivos de desvio estudados resultaram em melhoria na qualidade da água armazenada, ressaltando-se os resultados obtidos para cor real e aparente, turbidez, sólidos totais, coliformes total e E. Coli. Observou-se que exceto para cor aparente, turbidez, pH e OD, os demais parâmetros de qualidade analisados na água da cisterna sem desvio foram numericamente maiores aos obtidos para as outras cisternas, evidenciando a necessidade do emprego do desvio.

Autores : Selma Thaís Bruno da Silva, Luttemberg Ferreira de Araújo, Alice Jadneiza Guilherme de Albuquerque Almeida, Sávia Gavazza, Sylvana Melo dos Santos

agua-de-chuva

Últimas Notícias:
greenTalks Sustentabilidade de Embalagens

greenTalks entrevista Bruno Pereira, CEO da Ecopopuli, sobre sustentabilidade de embalagens

O segundo episódio da temporada 2024 do videocast greenTalks – uma iniciativa pioneira entre a green4T e NEO MONDO para discutir o papel fundamental da tecnologia na promoção de um futuro mais sustentável – tem como entrevistado especial Bruno Pereira, Especialista em Sustentabilidade Positiva, Líder do Comitê de Sustentabilidade da Associação Brasileira de Embalagem (ABRE) e CEO da Ecopopuli.

Leia mais »
Gestão Resíduos Sólidos Urbanos

Estudo aponta caminhos para a gestão de resíduos sólidos urbanos

Apenas a cidade de São Paulo produz cerca de 20 mil toneladas de resíduos sólidos urbanos (RSU) todos os dias, sendo 12 mil domiciliares e 8 mil da limpeza urbana, decorrentes de atividades de varrição, recolhimento de restos de feiras, podas e capinas. Considerando somente as 12 mil toneladas produzidas nas residências, isso dá uma média de aproximadamente 1 quilo de lixo por habitante ao dia.

Leia mais »
Lei do Bem Cagece

Lei do Bem: Cagece alcança R$ 3,6 milhões em benefícios fiscais através de investimentos em projetos de inovação tecnológica

A Companhia de Água e Esgoto do Ceará (Cagece) é pioneira no Ceará em aliar os investimentos em projetos de inovação tecnológica e transformá-los em benefícios fiscais. Por meio da chamada “Lei do Bem” (nº 11.196/2005), a companhia conseguiu rastrear e inserir junto ao Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação um total de R$ 17 milhões, aportados em projetos de inovação nos últimos três anos, rendendo um retorno total de R$ 3,6 milhões em benefícios.  

Leia mais »
Política de Gerenciamento Resíduos Sólidos

Política de gerenciamento de resíduos sólidos em instituições públicas

O presente estudo aborda a problemática ambiental da geração de resíduos sólidos e a inadequação do gerenciamento destes nas instituições públicas. Considerando as limitações das opções de destinação final para os resíduos, é imprescindível minimizar as quantidades utilizadas dentro destas organizações por meio da redução, reutilização e reciclagem. Diante da Política Nacional de Resíduos Sólidos e em consonância com a agenda 2030, busca-se contribuir e apontar caminhos para o enfrentamento da grave questão.

Leia mais »