saneamento basico
Seca em Manaus

Fumaça, seca e esgoto em Manaus

Seca em Manaus

Por: Sandoval Alves Rocha

A Amazônia vive nos últimos meses um drama multifacetado, mostrando as dificuldades das populações diante de desafios de diferentes origens.

Vivenciamos um permanente mal-estar, testemunhando omissões, crueldades e falta de compromisso dos poderes públicos.

Tragédias anunciadas, resultados de ações mal planejadas, crimes ambientais e inépcia política.

Toda a Região Metropolitana de Manaus sofre com a ingestão de fumaça causada por incêndios criminosos no interior e na capital. A forte presença da fumaça prejudica toda a população, provocando problemas respiratórios e agravando outras doenças. A fumaça também mostra uma cidade abandonada pelos gestores que foram eleitos para cuidar dela, mas se omitem diante dos compromissos assumidos em campanhas eleitorais.

A poluição reduziu a cidade à condição de segunda pior do mundo para respirar, segundo monitoramento do Sistema Eletrônico de Vigilância Ambiental da Universidade Estadual do Amazonas. A situação vem afetando todos os setores da sociedade: comércio, turismo e serviços como educação, transporte e saúde. A cidade está sufocando!

LEIA TAMBÉM: Desafios das mudanças climáticas

Seca em Manaus

Outro aspecto preocupante da crise é a falta de água potável aprofundada atualmente pela ausência de chuvas, que atinge toda a região, deixando centenas de municípios em situação de precária qualidade de vida. Além da falta de água vivida permanentemente nas periferias e outros lugares pobres da cidade, a seca trouxe dificuldades de acesso à água potável até para as populações ribeirinhas, que assistem impotentes o desaparecimento dos peixes e da alimentação em geral.

O caldo engrossa ainda mais pela falta de esgotamento sanitário em todas as áreas da cidade, trazendo à tona dificuldades históricas. Além do castigo da seca, que faz o rio diminuir (ou desaparecer) diante dos olhos do manauara, grandes quantidades de esgotos drenadas para os igarapés e rios da cidade radicalizam a degradação ambiental. A concessionária de água e esgoto – Águas de Manaus – tenta fugir da responsabilidade, sem obter êxito, pois já são mais de duas décadas de privatização e omissão diante do caos.

Moradores das proximidades do Igarapé do Gigante são unânimes em denunciar, por exemplo, a responsabilidade da empresa na poluição do rio Tarumã-Açu. Até a Secretaria do Meio Ambiente do Estado já reconhece a culpa da empresa pela situação em que se encontra o rio. O poder concedente (a prefeitura municipal), no entanto, é omisso. Conivente, a Agência Reguladora – Ageman – não realiza a sua obrigação de fiscalizar e punir a infratora.

Manaus parece mesmo uma cidade sem lei. Acobertados, os grandes criminosos não temem a punição. Bem articulados, garantem a impunidade. Do outro lado, a população sedenta é sufocada e mergulhada no esgoto.

Fonte: OP.

Últimas Notícias:
Blindagem Valas Estroncas Flexíveis

Sistema de Blindagem de Valas com Estroncas Flexíveis

Para a execução de trabalhos neste tipo de ambiente, o sistema de Blindagem de Vala Europeu tem características técnicas desenvolvidas para atender aos requisitos da execução de obras em locais densamente urbanizados, com foco na preservação do meio ambiente e estruturas adjacentes.

Leia mais »