saneamento basico

Práticas em saneamento ambiental no município de Guatambu – SC

Resumo

Práticas em Saneamento Ambiental no Município de Guatambu – SC” é um projeto de extensão desenvolvido no perímetro urbano do município supracitado, com o objetivo principal de realizar o levantamento de dados referentes às condições de saneamento ambiental no local, seguido de intervenções junto à comunidade visando a disseminação de boas práticas em saneamento ambiental. Questões como qualidade e distribuição de água, recolhimento e disposição de resíduos sólidos, destinação de esgoto doméstico e sanitário, além de questões de moradia e saúde pública, foram abordadas em um questionário, composto por questões simples, aplicado à 200 famílias residentes na área urbana de Guatambu, em forma de entrevista. As residências para aplicação do mesmo foram escolhidas aleatoriamente pelos pesquisadores que visitaram o local. Encerrando-se a etapa de coleta de dados em campo, utilizando-se de ferramentas estatísticas, realizou-se a tabulação dos dados, construindo-se gráficos que apontaram as deficiências que circundam o saneamento local, além de evidenciarem ações positivas desenvolvidas pela comunidade.
De posse dos dados estatísticos, iniciou-se a etapa das intervenções junto à comunidade local. Num primeiro momento, fez-se o trabalho de educação ambiental com adolescentes do ensino fundamental e médio da escola local e, numa segunda oportunidade, fez-se atividades com a comunidade em geral. Ao todo, cerca de 160 pessoas participaram das ações, número bastante significativo que indica boas perspectivas quanto à melhoria de ações e mudança de hábitos na comunidade local.
Embora tenham sido encontradas deficiências na gestão ambiental do município, principalmente no que se refere aos resíduos sólidos, com a ausência da coleta seletiva, e também ao esgoto doméstico e sanitário, que ainda apresenta grandes parcelas encaminhadas a fossas inadequadas, Guatambu denota ações que garantem à população qualidade de vida, o que fica explícito pelo fato de não terem sido constatadas doenças relacionadas à ausência do saneamento básico. Assim sendo, conclui-se que o município que serviu de base para o estudo apresenta condições satisfatórias para que a população tenha o mínimo de bem-estar físico e social, reiterando-se que a educação e conscientização ambiental devem ser constantes para que mantenham-se e disseminem-se, cada vez mais, boas práticas em saneamento ambiental.

Introdução

O crescimento populacional e a consequente urbanização não planejada dos centros urbanos ressaltam a cada dia a necessidade de desenvolvimento e aplicação de ações de infraestrutura em saneamento básico. No Brasil, o saneamento é um direito legal assegurado pela Constituição Federal através da lei nº 11.445 de 5 de janeiro 2007. A mesma lei também instituiu a obrigatoriedade da elaboração e implantação do Plano Municipal de Saneamento Básico em todos os municípios da federação, no entanto, segundo a Pesquisa de Informações Básicas Municipais de 2011 realizada pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística – IBGE, apenas 609 dos 5.570 municípios brasileiros haviam elaborado seus planos de saneamento.

Estudos apontam que os administradores públicos encontram dificuldades em cumprir a normativa, sobretudo em municípios de pequeno porte, devido à pouca disponibilidade de recursos financeiros, bem como em virtude da dificuldade de constituir uma equipe técnica especializada no assunto (LISBOA, HELLER e SILVEIRA, 2013).

A cidade de Guatambu, localizada na região oeste do estado de Santa Catarina, é um destes municípios enquadrados como de pequeno porte que não implantou seu PMSB. Segundo o IBGE, a localidade possui uma população de 4.702 pessoas, distribuídas em uma área de 205 km². O local foi adotado para o estudo devido ao fato de estar localizado no entorno do campus Chapecó da Universidade Federal da Fronteira Sul, além de ser um município de emancipação relativamente recente, que se encontra em pleno desenvolvimento.

O estudo aqui apresentado foi desenvolvido com o objetivo de realizar o levantamento de dados sobre as condições do saneamento ambiental na área de estudo, compreendendo questões de moradia, água, esgoto, resíduos sólidos e saúde pública. O diagnóstico encontrado viria então possibilitar a identificação de problemas e as áreas com carência de investimentos, além de apontar ações positivas desenvolvidas ou adotadas pela população no dia-a-dia, permitindo a realização de intervenções de cunho socioambiental e a disseminação de boas práticas em saneamento ambiental.

Autores: Tais Provensi; Andressa Vigne Xavier e Rosiléa Garcia França.

baixe-aqui

Últimas Notícias:
Secagem Solar Lodo

Secagem Solar de Lodo

Na grande maioria das estações de tratamento de esgoto (ETEs), o lodo biológico é o resíduo sólido gerado em maior quantidade, sendo responsável por um dos maiores custos operacionais, devido principalmente aos serviços de transporte e destinação do material.

Leia mais »