saneamento basico
Aparecida de Goiânia coleta de esgoto

Aparecida de Goiânia avança rumo à universalização da coleta de esgoto

Aparecida de Goiânia coleta de esgoto

Na manhã desta terça-feira,14, o prefeito de Aparecida de Goiânia, Vilmar Mariano, assinou contrato da ordem de R$ 528 milhões para financiamento das obras de implantação do sistema de esgotamento sanitário em 120 bairros do município.  O montante é oriundo do Programa Saneamento para Todos através do Ministério das Cidades. O valor representa a segunda etapa do projeto de universalização do serviço.

Empresa subdelegada da Saneago já executa obras de implantação de redes coletoras na cidade; expectativa é de que o serviço será concluído até o final de 2024

O investimento prevê que o serviço de esgotamento sanitário será universalizado em Aparecida de Goiânia até o final de 2024. As obras são executadas pela BRK – empresa subdelegada da Saneago. “Avançamos muito na prestação deste serviço e continuamos avançando. Nosso objetivo é que todas as casas em nossa cidade contem com coleta de esgoto. Esse benefício melhora muito a qualidade de saúde dos moradores”, aponta Vilmar Mariano.

Ainda de acordo com o prefeito, a implantação das redes de esgoto, que são instaladas após as redes de fornecimento de água tratada, possibilitam que bairros ainda não pavimentados recebam a pavimentação. “Hoje, para iniciarmos as obras de asfalto precisamos que as redes estejam instaladas. Temos a previsão de asfaltar os bairros habitados, através de financiamento internacional, e o avanço na coleta de esgoto e fornecimento de água, sem dúvida, vai agilizar o processo de pavimentação”, lembrou o prefeito.


LEIA TAMBÉM: Está acelerado o maior investimento de tratamento de esgoto da história de Nioaque/MS


Avanço

Relatório divulgado pelo Instituto Trata Brasil mostra que Aparecida de Goiânia evoluiu significativamente no serviço de coleta e tratamento de esgoto nos últimos cinco anos, melhorando consequentemente a qualidade de vida da população. A cidade avançou 30 posições, deixando a 77ª colocação, em 2017, para ocupar a 47ª, em 2022. Em 2021, segundo o estudo, a cidade saltou 15 posições.

O relatório de 2022 do Instituto Trata Brasil destacou Aparecida como referência entre as maiores cidades brasileiras que deixaram as piores posições do ranking de saneamento.

“Alguns municípios apresentaram relativos avanços ao longo dos anos e já não pertencem mais ao grupo dos 20 piores nas duas edições mais recentes do Ranking. Alguns exemplos são: Natal (RN) ocupando a 72ª posição de 2022, Olinda (PE) ocupando a 65ª posição de 2022, Paulista (PE) ocupando a 64ª posição de 2022, e Aparecida de Goiânia (GO) ”, apontou quando divulgou o estudo.

Dados divulgado pelo Sistema Nacional de Informações sobre Saneamento (SNIS), em 2022, apontam que 53% das edificações possuem o serviço de coleta de esgoto. O mesmo documento destaca que o fornecimento de água tratada abrange 97% da cidade. No indicador, Aparecida aparece à frente de 14 capitais brasileiras: Vitória (ES), Cuiabá (MT), Aracaju (SE), Natal (RN), Fortaleza (CE), Recife (PE), Teresina (PI), São Luís (MA), Manaus (AM), Maceió (AL), Belém (PA), Rio Branco (AC), Porto Velho (RO) e Macapá (AP).

Fonte: Aparecida GO.

Últimas Notícias:
Risco Ambiental Fármacos Esgoto

Avaliação de risco ambiental de fármacos e desreguladores endócrinos presentes no esgoto sanitário brasileiro

Este estudo investigou a ocorrência, remoção e impacto na biota aquática de 19 contaminantes de preocupação emergente (CEC) comumente reportados no esgoto brasileiro bruto e/ou tratado. Para 14 CEC (E1, E2, EE2, GEN, DCF, PCT, BPA, IBU, NPX, CAF, TMP, SMX, CIP, LEV), sua presença em esgoto tratado apresentou um alto risco ambiental em pelo menos 2 dos 6 cenários de diluição considerados.

Leia mais »
greenTalks Sustentabilidade de Embalagens

greenTalks entrevista Bruno Pereira, CEO da Ecopopuli, sobre sustentabilidade de embalagens

O segundo episódio da temporada 2024 do videocast greenTalks – uma iniciativa pioneira entre a green4T e NEO MONDO para discutir o papel fundamental da tecnologia na promoção de um futuro mais sustentável – tem como entrevistado especial Bruno Pereira, Especialista em Sustentabilidade Positiva, Líder do Comitê de Sustentabilidade da Associação Brasileira de Embalagem (ABRE) e CEO da Ecopopuli.

Leia mais »
Gestão Resíduos Sólidos Urbanos

Estudo aponta caminhos para a gestão de resíduos sólidos urbanos

Apenas a cidade de São Paulo produz cerca de 20 mil toneladas de resíduos sólidos urbanos (RSU) todos os dias, sendo 12 mil domiciliares e 8 mil da limpeza urbana, decorrentes de atividades de varrição, recolhimento de restos de feiras, podas e capinas. Considerando somente as 12 mil toneladas produzidas nas residências, isso dá uma média de aproximadamente 1 quilo de lixo por habitante ao dia.

Leia mais »