saneamento basico

Sanepar lança programa de equidade de gênero e assina adesão à Agenda

Nesta sexta-feira (28), a Companhia de Saneamento do Paraná (Sanepar) lançou um programa interno de equidade de gênero, chamado Equidade@Sanepar. No evento, realizado em Curitiba, a empresa também assinou o termo de adesão à Agenda 2030 para o Desenvolvimento Sustentável, que propõe 17 Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS).

“A proposta é desafiadora. Seremos a primeira empresa de saneamento de todo o Brasil a ter um programa para a promoção da equidade de gênero”, disse o presidente da Sanepar, Mounir Chaowiche. Ele também falou sobre a adesão à Agenda 2030, lembrando que o atendimento aos ODS vem diretamente ao encontro do principal objetivo estratégico da Companhia, que é garantir a sustentabilidade econômica, financeira e socioambiental.

CARTILHA DA ONU – O programa Equidade@Sanepar seguirá a cartilha da Organização das Nações Unidas que estabelece os Princípios de Empoderamento das Mulheres (WEPs, sigla em inglês). No final de 2015, do total de 7.473 empregados da Sanepar, 1.554 eram mulheres, o que corresponde a 20,79%. Do total de mulheres na empresa, 12 ocupam cargos gerenciais e 38 estão em cargos de coordenações.

Entre os objetivos do programa Equidade@Sanepar, estão a estruturação de um projeto para a implantação e disseminação dos WEPs, a criação de indicadores de desigualdade na empresa, com metas para ampliar a representação feminina nos quadros de gestão, e o desenvolvimento de programas de educação para a formação de mulheres gestoras na empresa, preparando um quadro de executivas de alto potencial, prontas para assumir posições de liderança.

Segundo a gerente da assessoria de planejamento estratégico da Sanepar, Cristiane Schwanka, a Companhia quer encorajar as mulheres a buscarem crescimento dentro da empresa. “A Sanepar enxergou essa necessidade e, por isso, resolveu fazer um programa que incentive o desenvolvimento das mulheres no mundo corporativo”, disse.

FUNDAÇÕES – Para que as iniciativas garantam direitos, responsabilidades e oportunidades iguais para homens e mulheres, mesmo depois de os empregados deixarem a Companhia, o programa Equidade@Sanepar também será estendido para as Fundações Sanepar, que fazem a gestão dos planos de saúde e de previdência privada.

A presidente das Fundações Sanepar, Cláudia Trindade, conta que durante toda a sua carreira esteve no meio de engenheiros e sempre as mulheres foram minoria nesse contexto. “O dia de hoje representa o reconhecimento do nosso esforço. Ver que a companhia quer aumentar o número de mulheres em cargo de chefia nos deixa muito felizes”, disse.

DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL
Além dos 17 Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS), a Agenda 2030 propõe 169 metas para erradicar a pobreza e promover vida digna para todos, respeitando os limites do planeta. O foco está em 3 elementos interligados do desenvolvimento sustentável: crescimento econômico, inclusão social e proteção ao meio ambiente.

Em vigor desde janeiro de 2016, os ODS têm prazo até 31 de dezembro de 2030 para serem cumpridos. Ao assinar o termo de adesão, a Sanepar segue a recomendação do Governo do Paraná que adotou o oficialmente os ODS em julho deste ano. No decreto 4583, assinado pelo governador Beto Richa, a Agenda 2030 das Nações Unidas foi incluída na pauta do Conselho Paranaense de Desenvolvimento Econômico e Social.

“A Sanepar já contribui diretamente para o indicador do Objetivo 6 por ter a visão de universalizar os serviços de saneamento para a população do Paraná. Mas precisamos olhar para todos os ODS, ampliando nosso olhar e também sistematizando ações que já desenvolvemos”, explica o diretor de Meio Ambiente da Companhia, Glauco Requião.

Algumas das iniciativas da Sanepar que já têm relação com os ODS são: o programa Tarifa Social (o Objetivo 1 prevê a erradicação da pobreza); o programa de destinação do lodo de esgoto para a agricultura (o Objetivo 2 defende a agricultura sustentável); elaboração do inventário de gases de efeito estufa da Sanepar (Objetivo 13 propõe o combate às mudanças climáticas); pesquisas de inovação em saneamento e iniciativas concretas de produção de energia elétrica a partir do lodo de esgoto, ligadas aos Objetivos 9 e 7 (Indústria, Inovação e Infraestrutura e Energia Limpa e Acessível), respectivamente.

Fonte:

Últimas Notícias:
Risco Ambiental Fármacos Esgoto

Avaliação de risco ambiental de fármacos e desreguladores endócrinos presentes no esgoto sanitário brasileiro

Este estudo investigou a ocorrência, remoção e impacto na biota aquática de 19 contaminantes de preocupação emergente (CEC) comumente reportados no esgoto brasileiro bruto e/ou tratado. Para 14 CEC (E1, E2, EE2, GEN, DCF, PCT, BPA, IBU, NPX, CAF, TMP, SMX, CIP, LEV), sua presença em esgoto tratado apresentou um alto risco ambiental em pelo menos 2 dos 6 cenários de diluição considerados.

Leia mais »
greenTalks Sustentabilidade de Embalagens

greenTalks entrevista Bruno Pereira, CEO da Ecopopuli, sobre sustentabilidade de embalagens

O segundo episódio da temporada 2024 do videocast greenTalks – uma iniciativa pioneira entre a green4T e NEO MONDO para discutir o papel fundamental da tecnologia na promoção de um futuro mais sustentável – tem como entrevistado especial Bruno Pereira, Especialista em Sustentabilidade Positiva, Líder do Comitê de Sustentabilidade da Associação Brasileira de Embalagem (ABRE) e CEO da Ecopopuli.

Leia mais »
Gestão Resíduos Sólidos Urbanos

Estudo aponta caminhos para a gestão de resíduos sólidos urbanos

Apenas a cidade de São Paulo produz cerca de 20 mil toneladas de resíduos sólidos urbanos (RSU) todos os dias, sendo 12 mil domiciliares e 8 mil da limpeza urbana, decorrentes de atividades de varrição, recolhimento de restos de feiras, podas e capinas. Considerando somente as 12 mil toneladas produzidas nas residências, isso dá uma média de aproximadamente 1 quilo de lixo por habitante ao dia.

Leia mais »