saneamento basico

Um fórum contra o desperdício anual de € 850 bi em comida

Da urgência da fome que hoje ainda assola quase 1 bilhão de pessoas, passando pelas doenças causadas por alimentos contaminados até o desperdício de comida, as discussões se iniciaram em 2016, por iniciativa do próprio governo da Dinamarca.

Começa nesta quinta-feira, dia 30 de agosto, em Copenhague – Dinamarca, o World Food Summit, fórum internacional que se propõe a criar soluções em escala para os vários problemas que circundam os sistemas de produção e consumo de alimentos no mundo.

desperdicio-de-comida

Com a duração de dois dias e a participação de dezenas de especialistas, empresários, gestores públicos e ativistas da causa alimentar, a terceira edição do encontro vai girar em torno de três temáticas : o tipo informação sobre os alimentos disponível aos consumidores, e como isso pode impulsionar escolhas mais saudáveis; o nível de segurança dos alimentos, diante de 420.000 mortes anuais em decorrência de comida contaminada; e o desperdício, que joga no lixo cerca de um terço de toda a comida produzida no mundo todos os anos. Para além da crescente demanda mundial por alimentos, que deve saltar em 70 % até 2050 e, por si só, já põe em xeque a oferta de terra e água para a agricultura em regiões rurais, o fórum foca o consumo de alimentos em áreas urbanas, de supermercados a restaurantes, onde grande parcela das milhares de toneladas de comida desperdiçadas por ano vai para o lixo. O caso da própria Dinamarca, referência na redução de desperdício de alimentos, vem baseando as discussões. Na comparação com 2010, o país já reduziu em 30 % seu desperdício. Em setembro, criará um fundo de incentivo a projetos que se proponham a minimizar ainda mais esse problema, com uma verba inicial de 670.000 euros. É cada vez mais comum encontrar nos supermercados locais espaços batizados de “stop food waste areas” ( pare de desperdiçar, numa tradução livre ). Nelas são vendidos alimentos que estão próximos do m do prazo de validade, e também aqueles considerados feios, mas que servem perfeitamente. Segundo a ONU, o prejuízo decorrente dos alimentos desperdiçados equivale a 850 bilhões de euros, o que representa também cerca de 8 % das emissões globais de gases do efeito estufa.

Fonte: Exame

 

Últimas Notícias:
Risco Ambiental Fármacos Esgoto

Avaliação de risco ambiental de fármacos e desreguladores endócrinos presentes no esgoto sanitário brasileiro

Este estudo investigou a ocorrência, remoção e impacto na biota aquática de 19 contaminantes de preocupação emergente (CEC) comumente reportados no esgoto brasileiro bruto e/ou tratado. Para 14 CEC (E1, E2, EE2, GEN, DCF, PCT, BPA, IBU, NPX, CAF, TMP, SMX, CIP, LEV), sua presença em esgoto tratado apresentou um alto risco ambiental em pelo menos 2 dos 6 cenários de diluição considerados.

Leia mais »
greenTalks Sustentabilidade de Embalagens

greenTalks entrevista Bruno Pereira, CEO da Ecopopuli, sobre sustentabilidade de embalagens

O segundo episódio da temporada 2024 do videocast greenTalks – uma iniciativa pioneira entre a green4T e NEO MONDO para discutir o papel fundamental da tecnologia na promoção de um futuro mais sustentável – tem como entrevistado especial Bruno Pereira, Especialista em Sustentabilidade Positiva, Líder do Comitê de Sustentabilidade da Associação Brasileira de Embalagem (ABRE) e CEO da Ecopopuli.

Leia mais »
Gestão Resíduos Sólidos Urbanos

Estudo aponta caminhos para a gestão de resíduos sólidos urbanos

Apenas a cidade de São Paulo produz cerca de 20 mil toneladas de resíduos sólidos urbanos (RSU) todos os dias, sendo 12 mil domiciliares e 8 mil da limpeza urbana, decorrentes de atividades de varrição, recolhimento de restos de feiras, podas e capinas. Considerando somente as 12 mil toneladas produzidas nas residências, isso dá uma média de aproximadamente 1 quilo de lixo por habitante ao dia.

Leia mais »