saneamento basico

ATR terá que encaminhar à AL documentos que embasaram reajuste de 13% na tarifa de água

A pedido do deputado estadual Sargento Aragão (Pros), a Agência Tocantinense de Regulação, Controle e Fiscalização de Serviços Públicos (ATR), terá que encaminhar à Assembleia Legislativa todos os documentos que embasaram o reajuste tarifário de 13,90% na tarifa de água. O requerimento, em regime de urgência, foi apresentado por Sargento Aragão, na manhã desta quarta-feira, 12.

O reajuste, que será feito de forma linear em todas as categorias e faixas de consumo, com aplicação inicial nas faturas vincendas em maio de 2014 e com base na tarifa praticada em fevereiro de 2014, foi autorizado pela Foz|Saneatins.

Entre os documentos solicitados estão os que foram fornecidos pela Foz|Saneatins para evidenciar e solicitar a “recomposição de eventuais perdas”, amostras de “contratos de concessões de saneamento básico no estado”, cópia da Nota Técnica nº 07/2014, o estudo realizado pelos técnicos da Diretoria de Regulação Econômica da ATR, que apurou a necessidade de alinhamento tarifário entre o Indicador de Correção Monetária (IPCA), os reajustes por ela concedidos, referentes ao período de novembro de 2009 a dezembro de 2013; e a cópia integral do Processo Administrativo/ATR nº 2014.38990.000199.

Sargento Aragão justificou que a sociedade vive o permanente drama da exorbitância de aumentos de tributos, que segundo ele, são injustificadamente elevados, como no caso do recente IPTU de Palmas, das taxas e emolumentos dos cartórios, aumentadas por medida provisória; e dos preços públicos pagos pelo Detran para terceirizados.

“A sociedade sente-se indignada e procura respostas para tão nocivas práticas, e cabe a esse parlamento investigar as causas, cobrar posições estáveis e justas dos órgãos administradores e reguladores e oferecer ao povo uma resposta clara e precisa. O que não pode deixar é correr frouxo, como vem ocorrendo sistematicamente”, afirmou Aragão.

Entenda

Em fevereiro, Sargento Aragão também requereu detalhes sobre a contratação da Câmara de Valores Imobiliários de Palmas (CVI), através da Foz|Saneatins. O parlamentar pediu que a Foz envie, na forma e prazos regimentais, como se deu a contratação da CVI, empresa responsável pela revisão da planta de valores genéricos de imóveis urbanos da Capital, cujo parecer foi utilizado pela Prefeitura de Palmas, para a cobrança do IPTU a partir de 2014.

A Foz terá que informar ainda qual foi o custo da contratação e como, por quanto e com qual instrumento dele se ressarciu junto ao município, fazendo juntar os respectivos documentos comprobatórios da operação triangular.

Fonte: Conexão Tocantins

Veja mais: http://conexaoto.com.br/2014/03/12/atr-tera-que-encaminhar-a-al-documentos-que-embasaram-reajuste-de-13-na-tarifa-de-agua

Últimas Notícias:
greenTalks Sustentabilidade de Embalagens

greenTalks entrevista Bruno Pereira, CEO da Ecopopuli, sobre sustentabilidade de embalagens

O segundo episódio da temporada 2024 do videocast greenTalks – uma iniciativa pioneira entre a green4T e NEO MONDO para discutir o papel fundamental da tecnologia na promoção de um futuro mais sustentável – tem como entrevistado especial Bruno Pereira, Especialista em Sustentabilidade Positiva, Líder do Comitê de Sustentabilidade da Associação Brasileira de Embalagem (ABRE) e CEO da Ecopopuli.

Leia mais »
Gestão Resíduos Sólidos Urbanos

Estudo aponta caminhos para a gestão de resíduos sólidos urbanos

Apenas a cidade de São Paulo produz cerca de 20 mil toneladas de resíduos sólidos urbanos (RSU) todos os dias, sendo 12 mil domiciliares e 8 mil da limpeza urbana, decorrentes de atividades de varrição, recolhimento de restos de feiras, podas e capinas. Considerando somente as 12 mil toneladas produzidas nas residências, isso dá uma média de aproximadamente 1 quilo de lixo por habitante ao dia.

Leia mais »
Lei do Bem Cagece

Lei do Bem: Cagece alcança R$ 3,6 milhões em benefícios fiscais através de investimentos em projetos de inovação tecnológica

A Companhia de Água e Esgoto do Ceará (Cagece) é pioneira no Ceará em aliar os investimentos em projetos de inovação tecnológica e transformá-los em benefícios fiscais. Por meio da chamada “Lei do Bem” (nº 11.196/2005), a companhia conseguiu rastrear e inserir junto ao Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação um total de R$ 17 milhões, aportados em projetos de inovação nos últimos três anos, rendendo um retorno total de R$ 3,6 milhões em benefícios.  

Leia mais »
Política de Gerenciamento Resíduos Sólidos

Política de gerenciamento de resíduos sólidos em instituições públicas

O presente estudo aborda a problemática ambiental da geração de resíduos sólidos e a inadequação do gerenciamento destes nas instituições públicas. Considerando as limitações das opções de destinação final para os resíduos, é imprescindível minimizar as quantidades utilizadas dentro destas organizações por meio da redução, reutilização e reciclagem. Diante da Política Nacional de Resíduos Sólidos e em consonância com a agenda 2030, busca-se contribuir e apontar caminhos para o enfrentamento da grave questão.

Leia mais »