saneamento basico

Após apagão, Campos cobra da União investimento no setor elétrico

Provável candidato do PSB à Presidência da República, o governador de Pernambuco, Eduardo Campos, afirmou que a União vai ter que tirar do orçamento, dos recursos dos impostos e de outras áreas, como educação e saúde, R$ 15 bilhões para as distribuidoras, se não houver aumento da oferta de energia. “O governo teve que colocar, ano passado, R$ 9 bilhões nas distribuidoras. Estamos vivendo um momento delicado no que diz respeito a essa questão”, alfinetou. Nesta quarta-feira (5), ele participou do lançamento do plano-diretor cicloviário do Grande Recife, no Centro de Convenções, em Olinda, sede provisória do governo estadual.

Segundo Campos, no mesmo dia em que o País registrou um novo apagão, “o mercado livre de energia bateu, ontem [terça], o valor mais alto, seu pico histórico, ou seja, R$ 840 o megawatt. Então é preciso um olhar muito cuidadoso sobre o setor elétrico”, afirmou, acrescentando que os brasileiros devem torcer pela chuva. “Nós não vivemos ainda uma situação de falta de fornecimento de energia, até porque as térmicas estão todas, a um só tempo, girando. O que a gente tem é um regime hidrológico duro, duro na região nordestina, duro no Sudeste, temos que torcer para que haja chuvas importantes ao longo do mês de fevereiro, agora se trata de uma torcida para ter chuva.

Citando a desvalorização da Eletrobras, criada para coordenar as empresas de energia, o governador ainda criticou a falta de estímulo no setor. “É preciso a gente perceber que a Eletrobras, que em 2010 era uma empresa que valia R$ 32 bilhões, hoje vale R$ 8 bilhões. A gente precisa, no Brasil, estimular mais e mais a microgeração. Precisava ter, ao lado da política de reduzir o preço da energia, premiado a eficientização energética, ou seja, aqueles que produzem a mesma coisa com menos energia e nós perdemos essa possibilidade de fazê-lo”, argumentou.

Segundo o Operador Nacional do Sistema Elétrico (ONS), o apagão no sistema nacional atingiu 13 estados. O relatório informa que 12 linhas de transmissão de energia de alta tensão (500 kV) foram desligadas automaticamente, interrompendo aproximadamente 5.000 MW de carga.

Em entrevista coletiva na terça (4), na sede do Ministério de Minas e Energia, em Brasília, o secretário-executivo do Ministério de Minas e Energia, Márcio Zimmermann, descartou que a falha esteja relacionada ao aumento do consumo de energia nas últimas semanas, provocado pelo calor. O diretor geral do ONS, Hemes Chipp, também descartou excesso de demanda por causa do calor, falta de investimento no setor e falta de manutenção no sistema como causas do apagão.

Jarbas Vasconcelos
O governador ainda comentou a decisão anunciada pelo senador pernambucano Jarbas Vasconcelos (PMDB), nesta quarta, de não disputar a reeleição este ano. “Eu tive com Jarbas algumas conversas nos últimos dias, tive dele a comunicação dessa decisão, que respeito, entendo e acho que é um gesto que precisa ser respeitado e compreendido. Fico feliz com o testemunho dele com o engajamento nacional e, sobretudo, fiquei feliz porque na carta ele deixa claro que não deixará a vida pública. Nesse momento, é importante que figuras experientes, dedicadas, destemidas, firmes nas posições que adotam, como Jarbas, possam contribuir com a vida pública brasileira”, comentou.

Questionado se o anúncio de Jarbas influenciará a escolha da chapa da Frente Popular para a disputa ao Governo de Pernambuco, com Raul Henry (PMDB) na vice, Campos informou que ainda não discutiu o assunto. “É claro que uma lembrança como essa feita por Jarbas tem que ser considerada e levada em conta. Mas nós ainda não estamos discutindo formação de chapa. O partido vai fazer um debate de conjuntura e depois desse debate de conteúdo, vamos tratar de nomes. Vamos começar o debate pelas ideias que vão reunir os nomes e as pessoas para construirmos, em 2014, uma vitória como construímos em 2010 e 2006”.

Fonte: G1
Veja mais: http://g1.globo.com/pernambuco/noticia/2014/02/apos-apagao-campos-cobra-da-uniao-investimento-no-setor-eletrico.html

Últimas Notícias:
Membrana de nanofiltração

Avaliação de uma membrana de nanofiltração para a remoção de antibióticos da água: um estudo de caso com Sulfametoxazol, Norfloxacina e Tetraciclina

Nesse contexto, o presente estudo avalia a nanofiltração, uma tecnologia de membranas filtrantes, na remoção de três antibióticos largamente consumidos (Tetraciclina, Norfloxacina e Sulfametoxazol) da água. Foi empregada a membrana NF270 (DOW – FilmTec), uma membrana de poliamida com massa molecular de corte de 400 Da que foi avaliada em termos de produtividade e capacidade de remoção dos antibióticos.

Leia mais »