saneamento basico

A transição global para um abastecimento energético sustentável

Existem algumas palavras alemãs que são até usadas internacionalmente, como Zeitgeist e Leitmotiv. Nos últimos anos, acrescentou-se o termo Energiewende, que significa a transição para um abastecimento energético sustentável, baseado em fontes renováveis de energia.

Desde 2000, a Alemanha vem se empenhando em remodelar por completo seu setor energético. O país vai desativar todas as suas usinas nucleares até 2022, reduzir a emissão de gases de efeito estufa em 95% e aumentar radicalmente a proporção de energias renováveis em sua matriz energética para 80%, ambos até 2050. Nos últimos 20 anos, o setor energético alemão investiu muito em pesquisa e desenvolvimento. Há hoje muitas empresas alemãs líderes de mercado nessa área, que criaram mais de 370 mil postos de trabalho na Alemanha.

O país também se engaja internacionalmente por uma Energiewende global. Há boas razões para isso.

Em primeiro lugar, o abastecimento energético não sustentável tem desvantagens consideráveis. A importação insegura de combustíveis fósseis, catástrofes nucleares como em Chernobyl (1986) e Fukushima (2011) e toneladas de gases de efeito estufa provenientes da produção energética convencional — tudo isso pode ser evitado com a utilização de energias renováveis.

Em segundo lugar, a Energiewende dá uma contribuição importante para alcançar os objetivos de desenvolvimento sustentável que a comunidade internacional adotou no âmbito das Nações Unidas com a Agenda 2030.

Em terceiro lugar, a Energiewende melhora a competitividade de uma economia. O progresso tecnológico vertiginoso tornou as energias solar e eólica mais acessíveis; a indústria pode poupar muito dinheiro com soluções de maior eficiência energética. Assim, com a Energiewende global, tanto as empresas como o Estado saem ganhando.

Cada vez mais países estão reconhecendo a necessidade e as vantagens de uma política energética moderna. A Energiewende global vai de vento em popa em todo o mundo — particularmente depois do Acordo de Paris sobre o Clima. Mais do que nunca, investidores de todo o mundo estão olhando quais países já reconheceram os sinais dos tempos.

O Brasil possui enormes recursos energéticos. Além de grandes reservas de combustíveis fósseis e energia proveniente de grandes usinas hidrelétricas, o Brasil dispõe, sobretudo, de excelentes condições para a produção de energia eólica e solar. Por isso, essas fontes de energia constituem cada vez mais o foco da política energética brasileira. Na área da bioenergia, o Brasil é considerado um global player.

Desde 2008, a Alemanha e o Brasil estão ligados por uma parceria energética na área das energias renováveis e da eficiência energética. Nossos projetos conjuntos apoiam a utilização de energias eólica, fotovoltaica e de biogás, bem como a identificação de potenciais para a eficiência energética no Brasil. Queremos fortalecer essa colaboração e, em conjunto com o Brasil, avançar rumo a uma Energiewende global.

Autor: Frank-Walter Steinmeier, ministro das Relações Exteriores da Alemanha.
Fonte: O Globo

Últimas Notícias:
Projetos ESG Resultados no Saneamento

Projetos ESG e seus resultados no saneamento

Projetos ESG são práticas adotadas por empresas com base em critérios ambientais, sociais e de governança corporativa. A implementação bem-sucedida de projetos ESG reduz riscos e impactos sociais, ambientais e financeiros das operações. Dessa forma, atraem investidores e contribuem para a sustentabilidade das atividades.

Leia mais »
Descarte Correto de Resíduos

Saiba como descartar resíduos corretamente e evitar doenças como a dengue

Além de crime ambiental, o descarte irregular de resíduos sólidos traz diversos prejuízos ao meio ambiente e à população. Estes pontos se tornam ambientes propícios para a proliferação de vetores de doenças, levando às situações de alagamentos em período de chuva, comprometendo a qualidade do ambiente e da paisagem do local, além de gerar o aumento dos custos públicos com a remoção do material descartado de forma incorreta e também dos gastos com saúde pública.

Leia mais »
Contrato Sabesp Vale do Paraíba

Novo contrato da Sabesp prevê aporte de R$ 18,6 bilhões no Vale do Paraíba até 2060

Atualmente em consulta pública, o novo contrato da Sabesp encontra-se em processo de desestatização, proposto pelo governo do estado de São Paulo. Os investimentos estão previstos em R$ 18,6 bilhões até o ano de 2060, no Vale do Paraíba e Litoral Norte. Cerca de R$ 5 bilhões serão destinados à universalização do saneamento básico nas 28 cidades atendidas pela Sabesp na região até 2029. As obras que pretendem levar água potável, coleta e tratamento de esgoto para toda a população, foram definidas com as prefeituras.

Leia mais »
Dmae Fumaça Ligações Irregulares

Dmae de Uberlândia/MG vai iniciar testes de fumaça para identificar ligações irregulares de esgoto

A partir da próxima segunda-feira (4), o Departamento Municipal de Água e Esgoto (Dmae) iniciará testes de fumaça para detectar ligações irregulares na rede de esgoto do município. O primeiro bairro atendido será a região do bairro Pampulha. O local em questão foi escolhido para iniciar os trabalhos devido ao grande número de chamados para desobstrução de rede, especialmente em período de chuva. Futuramente, outros bairros da cidade receberam os mesmos testes.

Leia mais »
Manejo de Resíduos Biometano Brasileiro

Ao custo global de R$ 3,1 tri, manejo de resíduos pode virar negócio, como o biometano brasileiro

Segundo alerta feito pela ONU nesta quarta-feira, 28, o volume de resíduos no mundo, que atingiu 2,3 bilhões de toneladas em 2023, continuará crescendo exponencialmente, até 3,8 bilhões de toneladas até meados deste século. A crise será ainda mais grave nos países onde os métodos de tratamento ainda são poluentes: aterros sanitários (contaminação do solo, emissões de poluentes e gases de efeito estufa, como o metano) e incineração sem recuperação.

Leia mais »