saneamento basico

Japão planeja manter importância da energia nuclear

O governo do Japão apresentou nesta terça-feira uma estratégia de longo prazo para o setor energético que mantém a energia nuclear como uma fonte integral de eletricidade. Isso efetivamente reverte a promessa feita pela administração anterior de desligar todas as plantas nucleares.

Desde o acidente na planta de Fukushima Daiichi, em março de 2011, há uma ampla oposição ao uso da energia nuclear. Mas, desde que assumiu o governo no fim de 2012, o primeiro-ministro Shinzo Abe tornou claro que procura religar os reatores que foram considerados seguros pelas novas regulações.

A proposta do governo, que ainda não é final, diz que “a energia nuclear é uma importante base de carga para a eletricidade”. Isso significa que as plantas nucleares continuarão no núcleo da produção de energia. Em tempos de alta demanda, outras fontes de energia, como as provenientes de combustíveis fósseis, apoiariam a capacidade de produção.

O plano não forneceu nenhum nível de produção para as plantas nucleares. Em vez disso, o documento afirma que o governo irá avaliar a escala da capacidade de geração de energia nuclear que será necessária no futuro.

Antes do acidente de Fukushima, a energia nuclear representava aproximadamente 30% da produção energética, e o governo planejava elevar a proporção para 50%. O plano foi descartado, mas Abe acredita que a energia nuclear é vital para manter a indústria japonesa competitiva, já que o desligamento das plantas tornaria a conta de luz mais cara.

Uma pesquisa conduzida em 22 e 23 de fevereiro pela Fuji Television revelou que 53% dos entrevistados são contra o reinício dos 48 reatores nucleares do Japão. A pesquisa, conduzida com 1.000 pessoas, também revelou que o apoio ao governo de Abe é de 53%.

O governo atrasou a decisão sobre o plano em mais de um mês. Autoridades disseram ter recebido mais de 19 mil comentários públicos sobre o rascunho original, publicado em dezembro.

Fonte: Estadão
Veja mais: http://www.estadao.com.br/noticias/internacional,japao-planeja-manter-importancia-da-energia-nuclear,1134180,0.htm

Últimas Notícias:
greenTalks Sustentabilidade de Embalagens

greenTalks entrevista Bruno Pereira, CEO da Ecopopuli, sobre sustentabilidade de embalagens

O segundo episódio da temporada 2024 do videocast greenTalks – uma iniciativa pioneira entre a green4T e NEO MONDO para discutir o papel fundamental da tecnologia na promoção de um futuro mais sustentável – tem como entrevistado especial Bruno Pereira, Especialista em Sustentabilidade Positiva, Líder do Comitê de Sustentabilidade da Associação Brasileira de Embalagem (ABRE) e CEO da Ecopopuli.

Leia mais »
Gestão Resíduos Sólidos Urbanos

Estudo aponta caminhos para a gestão de resíduos sólidos urbanos

Apenas a cidade de São Paulo produz cerca de 20 mil toneladas de resíduos sólidos urbanos (RSU) todos os dias, sendo 12 mil domiciliares e 8 mil da limpeza urbana, decorrentes de atividades de varrição, recolhimento de restos de feiras, podas e capinas. Considerando somente as 12 mil toneladas produzidas nas residências, isso dá uma média de aproximadamente 1 quilo de lixo por habitante ao dia.

Leia mais »
Lei do Bem Cagece

Lei do Bem: Cagece alcança R$ 3,6 milhões em benefícios fiscais através de investimentos em projetos de inovação tecnológica

A Companhia de Água e Esgoto do Ceará (Cagece) é pioneira no Ceará em aliar os investimentos em projetos de inovação tecnológica e transformá-los em benefícios fiscais. Por meio da chamada “Lei do Bem” (nº 11.196/2005), a companhia conseguiu rastrear e inserir junto ao Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação um total de R$ 17 milhões, aportados em projetos de inovação nos últimos três anos, rendendo um retorno total de R$ 3,6 milhões em benefícios.  

Leia mais »
Política de Gerenciamento Resíduos Sólidos

Política de gerenciamento de resíduos sólidos em instituições públicas

O presente estudo aborda a problemática ambiental da geração de resíduos sólidos e a inadequação do gerenciamento destes nas instituições públicas. Considerando as limitações das opções de destinação final para os resíduos, é imprescindível minimizar as quantidades utilizadas dentro destas organizações por meio da redução, reutilização e reciclagem. Diante da Política Nacional de Resíduos Sólidos e em consonância com a agenda 2030, busca-se contribuir e apontar caminhos para o enfrentamento da grave questão.

Leia mais »