saneamento basico
Poluição Solo Meio Ambiente

Poluição do solo: tipos, causas e consequências para o meio ambiente

Poluição Solo Meio Ambiente

Antes de mais nada, existem vários impactos ambientais que são preocupantes e podem causar sérios riscos no curto e longo prazo. A poluição do solo é um exemplo disso e é, inclusive, uma das mais prejudiciais, sendo responsável por diversos acidentes ambientais.

A poluição do solo nada mais é do que uma alteração química, física ou biológica que é causada por resíduos que aos poucos vão deteriorando a terra e tornando-a infértil. Esse é o caso quando produtos químicos, como pesticidas, fertilizantes, solventes, por exemplo, afetam o solo ou quando lixos são descartados incorretamente.

Esses poluentes podem variar desde produtos químicos industriais até resíduos domésticos, infiltrando-se no solo e afetando negativamente todo o ambiente, desde os vegetais, animais e, consequentemente, a própria saúde humana.

O que é a poluição do solo?

A poluição do solo refere-se à presença e interação prejudicial de substâncias nocivas, como poluentes químicos e resíduos, no solo. Essa contaminação causa alterações significativas em sua estrutura, resultando na diminuição da qualidade do solo, tornando-o infértil, provocando contaminação ambiental e podendo gerar sérios impactos, como deslizamentos de encostas e outros acidentes.

O descarte inadequado de resíduos sólidos, como lixo doméstico, produtos químicos e resíduos industriais, pode levar à contaminação do solo. Mas não só, o uso excessivo ou inadequado de produtos químicos agrícolas, como pesticidas e fertilizantes, pode resultar em acúmulo de substâncias tóxicas no solo.

A poluição do solo acaba sendo ocasionada por origens diversas, como o descarte inadequado de resíduos industriais, agrícolas e urbanos, além do uso indiscriminado de produtos químicos, como pesticidas e fertilizantes por agricultores. Tudo isso acaba prejudicando o solo, trazendo impactos negativos para o meio ambiente e é considerada uma das ameaças globais.

O que causa a poluição no solo?

É importante adotar práticas sustentáveis e investir em gestão ambiental para reduzir a poluição do solo e proteger a saúde do ecossistema. Para isso, é importante saber identificar o que pode poluir o solo. Alguns exemplos são:

  • Descarte inadequado de resíduos sólidos, como plásticos, metais, vidro, etc.
  • Uso excessivo de fertilizantes e pesticidas
  • Vazamento ou liberação inadequada de produtos químicos no solo
  • Descarte inadequado de resíduos radioativos
  • Desmatamento
  • Descarte inadequado de resíduos orgânicos, como o esgoto, por exemplo.
  • Erosão do solo

    Quais são os tipos de poluição do solo?

     

    A poluição do solo tem inúmeras causas e fatores que intensificam esse problema ambiental e é classificada em duas categorias principais: poluição difusa e poluição pontual.

Ambos os tipos de poluição do solo acabam tendo impactos significativos na qualidade do solo, o que afeta a saúde humana e o ecossistema.

Poluição difusa

Ocorre de maneira dispersa, sem um ponto específico de origem, sendo resultado da acumulação gradual de substâncias poluentes.

Um bom exemplo é a agricultura, que acaba dependendo diretamente do solo, mas sem os cuidados necessários, pode ser uma grande vilã para a qualidade da terra do plantio. Isso porque, o uso excessivo de fertilizantes e pesticidas em áreas agrícolas pode resultar em poluição difusa.

Com a chuva, essas substâncias espalham-se pela extensão de terra, podendo atingir rios e lagos, prejudicando não apenas o solo, mas também afetando negativamente a qualidade da água.

Poluição pontual

No caso da poluição pontual, há uma fonte específica e identificável que resulta na poluição do solo. Normalmente, isso ocorre devido a descartes inadequados de resíduos, exploração excessiva e irresponsável, e acidentes ambientais, como vazamentos, por exemplo.

Sem dúvida, as indústrias são as principais causadoras desse tipo de poluição, isso porque, com o descarte de produtos químicos industriais não tratados diretamente no solo, a terra acaba sendo contaminada.

Outro fator que contribui para a poluição pontual são os aterros sanitários e o descarte incorreto do lixo, que produz uma toxina chamada chorume, capaz de contaminar o solo em larga escala.

Quais são as consequências de um solo poluído?

O solo é um dos responsáveis pela sobrevivência humana, sobretudo para a alimentação, mas não só. A poluição do solo pode impactar também a água, através da contaminação dos lençóis freáticos, e no ar, com a produção de gases tóxicos, por exemplo.

As consequências dessa contaminação são muitas. Na saúde humana, por exemplo, é observada por meio da ingestão de alimentos cultivados em solos contaminados. Esse é um problema grave que pode ocasionar diversos problemas de saúde, como doenças do sistema nervoso e até mesmo câncer.

Outro ponto de alerta é a lixiviação, na qual as substâncias tóxicas presentes em produtos químicos que entram em contato com o solo podem infiltrar-se, poluindo então, os lençóis freáticos, contaminando recursos hídricos e comprometendo a qualidade da água potável consumida.

Além disso, a população começou a ter acesso a essa substância e a utilizou de maneira desenfreada, por exemplo, para matar piolhos ou desinfetar casas.

Poluição do solo no Brasil

Essa é uma preocupação ambiental necessária em um país como o Brasil, que tem a agricultura como umas das principais atividades econômicas e já passou por acidentes ambientais que acabaram poluindo o solo e trazendo consequências graves.

Selecionamos dois desses casos:

Rio de Janeiro

Na Baixada Fluminense, uma fábrica de pesticidas foi fundada por volta de 1946 e instalada dentro de um complexo educacional e abrigo para crianças, também conhecido como Cidade dos Meninos.

Na lista de produtos produzidos, havia um pesticida específico que tinha em sua composição uma substância chamada benzeno, que infelizmente é altamente cancerígena. Porém, ao fechar as portas, em 1955, não houve um descarte correto das sobras desse material tóxico. Com o tempo, esse material começou a infiltrar o solo da região, que era usado para atividade pecuária e agrícola.

Mas além disso, a população começou a ter acesso a essa substância e utilizá-la de maneira desenfreada, como para matar piolhos ou desinfetar casas. Com o tempo, as primeiras doenças começaram a aparecer e dezenas de pessoas foram contaminadas, desenvolvendo câncer e outras doenças.

Bahia

Já em Santo Amaro da Purificação, município do estado da Bahia, a contaminação do solo foi através de metais pesados, mais precisamente o chumbo. A partir de 1960, uma empresa francesa se instalou na cidade e começou a operar produzindo lingotes de chumbo.

Após ser vendida, a fábrica foi fechada em 1993 e após a desativação, houve uma contaminação causada por chumbo na região. Segundo a associação de vítimas dessa tragédia ambiental, mais de 600 trabalhadores acabaram morrendo, e centenas de pessoas apresentaram consequências graves na saúde devido à exposição a essa substância.

LEIA TAMBÉM: Índices de poluição do solo por metais pesados e riscos ecológicos e a saúde humana em lixão no semiárido

Como solucionar esse problema ambiental?

A poluição do solo pode ser evitada com algumas ações coletivas, unindo a sociedade, o Estado, empresas e organizações. São ações simples que podem mudar essa realidade, como a reciclagem de resíduos sólidos e o descarte adequado de substâncias e líquidos, por exemplo.

Mas não só, promover práticas sustentáveis, utilizando métodos de tecnologia limpa, investindo em biorremediação, por exemplo, para restaurar solos contaminados, além de monitorar e detectar precocemente possíveis casos de poluição do solo.

Para que tudo isso funcione, é preciso estabelecer regulamentações rigorosas para o descarte, financiar e apoiar pesquisas que busquem novas tecnologias e métodos inovadores para lidar com a poluição do solo. Dessa maneira, incentivando o desenvolvimento de soluções mais eficazes.

Em conclusão, essas soluções devem ser implementadas de forma integrada e coordenada, envolvendo governos, empresas, comunidades locais e indivíduos para garantir um impacto significativo na redução da poluição do solo e na preservação da saúde do nosso planeta.

Fonte: Terra

Últimas Notícias:
greenTalks Sustentabilidade de Embalagens

greenTalks entrevista Bruno Pereira, CEO da Ecopopuli, sobre sustentabilidade de embalagens

O segundo episódio da temporada 2024 do videocast greenTalks – uma iniciativa pioneira entre a green4T e NEO MONDO para discutir o papel fundamental da tecnologia na promoção de um futuro mais sustentável – tem como entrevistado especial Bruno Pereira, Especialista em Sustentabilidade Positiva, Líder do Comitê de Sustentabilidade da Associação Brasileira de Embalagem (ABRE) e CEO da Ecopopuli.

Leia mais »
Gestão Resíduos Sólidos Urbanos

Estudo aponta caminhos para a gestão de resíduos sólidos urbanos

Apenas a cidade de São Paulo produz cerca de 20 mil toneladas de resíduos sólidos urbanos (RSU) todos os dias, sendo 12 mil domiciliares e 8 mil da limpeza urbana, decorrentes de atividades de varrição, recolhimento de restos de feiras, podas e capinas. Considerando somente as 12 mil toneladas produzidas nas residências, isso dá uma média de aproximadamente 1 quilo de lixo por habitante ao dia.

Leia mais »
Lei do Bem Cagece

Lei do Bem: Cagece alcança R$ 3,6 milhões em benefícios fiscais através de investimentos em projetos de inovação tecnológica

A Companhia de Água e Esgoto do Ceará (Cagece) é pioneira no Ceará em aliar os investimentos em projetos de inovação tecnológica e transformá-los em benefícios fiscais. Por meio da chamada “Lei do Bem” (nº 11.196/2005), a companhia conseguiu rastrear e inserir junto ao Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação um total de R$ 17 milhões, aportados em projetos de inovação nos últimos três anos, rendendo um retorno total de R$ 3,6 milhões em benefícios.  

Leia mais »
Política de Gerenciamento Resíduos Sólidos

Política de gerenciamento de resíduos sólidos em instituições públicas

O presente estudo aborda a problemática ambiental da geração de resíduos sólidos e a inadequação do gerenciamento destes nas instituições públicas. Considerando as limitações das opções de destinação final para os resíduos, é imprescindível minimizar as quantidades utilizadas dentro destas organizações por meio da redução, reutilização e reciclagem. Diante da Política Nacional de Resíduos Sólidos e em consonância com a agenda 2030, busca-se contribuir e apontar caminhos para o enfrentamento da grave questão.

Leia mais »