saneamento basico
Vila Velha Coleta Seletiva

​Vila Velha é eleita em quinto lugar nacional na gestão da coleta seletiva

Vila Velha Coleta Seletiva

Primeiramente, entre as cidades brasileiras, Vila Velha conquistou o quinto lugar no Índice de Sustentabilidade da Limpeza Urbana (Islu), resultado do compromisso da gestão com a coleta seletiva.

Durante o verão, a cidade adota estratégias específicas, como campanhas de educação ambiental, instalação de Pontos de Entregas Voluntárias e reforço no contingente de garis para a limpeza dos 32 quilômetros de orla.

Os dados da coleta seletiva se referem ao ano de 2022, período da última atualização do Islu. Entre as cidades litorâneas, Vila Velha ficou em terceiro lugar e liderou o ranking entre os municípios do Espírito Santo.

Criado em 2016, o Índice de Sustentabilidade da Limpeza Urbana (ISLU) tem como objetivo mensurar o grau de adesão dos municípios brasileiros às metas e às diretrizes da Política Nacional de Resíduos Sólidos (PNRS), a Lei Federal no 12.305/10.

O prefeito Arnaldinho Borgo ressaltou o compromisso da gestão com a coleta seletiva como parte integrante do desenvolvimento sustentável da cidade. Ele revelou que agora o município vai ampliar a oferta de coleta seletiva, para que o serviço seja referência para além da faixa litorânea da cidade.

“Em Vila Velha, encaramos a coleta seletiva não apenas como uma obrigação, mas como um pilar fundamental para a construção de uma cidade mais sustentável. Nosso compromisso vai além do verão. Buscamos implementar políticas e parcerias que assegurem a continuidade dessas práticas ao longo do ano, promovendo a participação da comunidade, além de preservar nosso litoral. Nós agora iniciaremos o processo de ampliação da coleta e destinação para que os munícipes sejam ainda mais parceiros nessa mudança cultural de destinação correta de resíduos”, destacou.

O secretário de Serviços Urbanos de Vila Velha, Raphael do Nascimento, complementa destacando a importância da colaboração entre diferentes setores:

“A gestão de resíduos é um desafio constante, e, em Vila Velha, estamos sempre na busca de soluções e parcerias para buscar um ambiente saudável e sustentável para as gerações futuras”, contou.

Vila Velha Coleta Seletiva

Além da reciclagem, Vila Velha implementou iniciativas de Economia Circular, como parcerias para o recolhimento de pneus e resíduos eletrônicos. Programas como Cata-Móveis, Cata-Eletrônicos e parcerias com associações de catadores contribuem para a Coleta Seletiva.

A cidade, que produz cerca de 388 quilos de resíduos por habitante ao ano, está pronta para ampliar o serviço, como disse o prefeito. Toda a Região 1 passará a contar com o serviço, em dias e horários estabelecidos, numa iniciativa experimental para expansão para as demais regiões. Estabelecendo assim um novo plano de resíduos sólidos. A ênfase na educação ambiental é primordial, monitorando ecopontos e envolvendo a comunidade na conscientização sobre o descarte adequado.

Vila Velha utiliza campanhas de divulgação, redes sociais e atividades de sensibilização para promover a participação local na coleta seletiva, adaptando essas práticas ao aumento populacional sazonal. Esforços contínuos de educação ambiental e participação em eventos ao longo do ano garantem a eficácia e a sustentabilidade do sistema de gestão de resíduos em todas as estações.

LEIA TAMBÉM: Sanep registra aumento de 25% de resíduos na coleta seletiva

Ampliação

Vila Velha possui atualmente 185 condomínios cadastrados no serviço de Coleta Seletiva, coordenado pela Secretaria de Serviços Urbanos. O objetivo da gestão atual é ampliar esse número.

“Já foi feito um levantamento em vários condomínios e bairros do município, além do mapeamento e serviços de orientação, para aumentarmos os pontos de coleta e chegarmos a uma média 800 condomínios, o que corresponde a uma média mensal de 150 toneladas de material reciclável”, destaca o secretário municipal de Serviços Urbanos, Raphael do Nascimento.

Quadro geral

Em suma, a gestão eficaz de resíduos é a chave para reduzir e, idealmente, eliminar nosso impacto no meio ambiente. A Organização das Nações Unidas (ONU) alerta que a cada ano, 2 bilhões de toneladas de resíduos sólidos são geradas e despejadas nos oceanos. Sendo que alarmantes 33% desse volume não recebem tratamento adequado.

As cidades desatacadas na coleta seletiva pelo relatório do Islu 2022 são: Niterói (RJ), Londrina (PR), Rio de Janeiro (RJ), Blumenau (SC) e Vila Velha (ES). Confira o relatório completo Aqui.

As iniciativas adotadas por Vila Velha e outras cidades revelam que é possível conciliar o aumento populacional, especialmente durante o verão. Com práticas contínuas na gestão de resíduos, promovendo assim a preservação das praias e do meio ambiente como um todo.

Por: Rodrigo Elias

Fonte: Prefeitura de Vila Velha

Últimas Notícias:
Risco Ambiental Fármacos Esgoto

Avaliação de risco ambiental de fármacos e desreguladores endócrinos presentes no esgoto sanitário brasileiro

Este estudo investigou a ocorrência, remoção e impacto na biota aquática de 19 contaminantes de preocupação emergente (CEC) comumente reportados no esgoto brasileiro bruto e/ou tratado. Para 14 CEC (E1, E2, EE2, GEN, DCF, PCT, BPA, IBU, NPX, CAF, TMP, SMX, CIP, LEV), sua presença em esgoto tratado apresentou um alto risco ambiental em pelo menos 2 dos 6 cenários de diluição considerados.

Leia mais »
greenTalks Sustentabilidade de Embalagens

greenTalks entrevista Bruno Pereira, CEO da Ecopopuli, sobre sustentabilidade de embalagens

O segundo episódio da temporada 2024 do videocast greenTalks – uma iniciativa pioneira entre a green4T e NEO MONDO para discutir o papel fundamental da tecnologia na promoção de um futuro mais sustentável – tem como entrevistado especial Bruno Pereira, Especialista em Sustentabilidade Positiva, Líder do Comitê de Sustentabilidade da Associação Brasileira de Embalagem (ABRE) e CEO da Ecopopuli.

Leia mais »
Gestão Resíduos Sólidos Urbanos

Estudo aponta caminhos para a gestão de resíduos sólidos urbanos

Apenas a cidade de São Paulo produz cerca de 20 mil toneladas de resíduos sólidos urbanos (RSU) todos os dias, sendo 12 mil domiciliares e 8 mil da limpeza urbana, decorrentes de atividades de varrição, recolhimento de restos de feiras, podas e capinas. Considerando somente as 12 mil toneladas produzidas nas residências, isso dá uma média de aproximadamente 1 quilo de lixo por habitante ao dia.

Leia mais »