saneamento basico

Enchentes no Peru afetam 630 mil pessoas

Enchentes no Peru matam 72 pessoas e deixam mais de cem mil desabrigadas

O aquecimento anormal das águas do Pacífico na região costeira do Peru causou as maiores chuvas em décadas, paralisando boa parte do país, após deslizamentos de terra e enchentes de rios.

O aquecimento anormal das águas do Pacífico na região costeira do Peru causou as maiores chuvas em décadas, paralisando boa parte do país, após deslizamentos de terra e enchentes de rios. Pessoas foram arrastadas, estradas bloqueadas e colheitas, perdidas. Pelo menos 72 pessoas morreram e mais de cem mil estão desabrigadas, depois que a estação das chuvas chegou com uma intensidade dez vezes maior que o normal, segundo autoridades.

Cerca de metade das cidades peruanas declararam estado de emergência, sobretudo no Norte, onde os índices pluviométricos quebraram recordes históricos em vários estados, segundo o premier Fernando Zavala.

O Peru ainda deve enfrentar mais um mês de fortes chuvas. De acordo com o meteorologista Dimitri Gutierrez, do Comitê Peruano do El Niño, o fenômeno — que aquece a temperatura da superfície do mar no Pacífico e provoca os chamados El Niños costeiros do Peru — provavelmente continuará atingindo a região Norte pelo menos durante abril. Cerca de 630 mil pessoas foram afetadas.

— Nunca vi nada parecido — afirmou o general Jorge Chávez, coordenador das ações de gerenciamento de risco do governo. — De um momento para outro, a temperatura do mar subiu e os ventos que impediam que a chuva alcançasse o continente pararam.

Em algumas cidades não há energia elétrica ou água potável, com longas filas se formando de madrugada para esperar a chegada dos carros-pipa. Aulas foram suspensas na capital, Lima, e o consumo de água, racionado. Em Trujillo, as operações do aeroporto foram afetadas pelas inundações.

— Estou há mais de cinco dias preso em Trujillo. Minha família vive em uma zona de Lima afetada pelas enchentes, mas não tenho comunicação. Somos 500 pessoas presas aqui. Não podemos viajar. Só podemos esperar, não há outra alternativa — disse à rádio RPP o passageiro Ernesto Álvarez.

A queda de pontes em várias localidades dificulta o trabalho de assistência às áreas atingidas nos 811 municípios que declararam emergência.

Fonte: EXTRA

Últimas Notícias:
greenTalks Sustentabilidade de Embalagens

greenTalks entrevista Bruno Pereira, CEO da Ecopopuli, sobre sustentabilidade de embalagens

O segundo episódio da temporada 2024 do videocast greenTalks – uma iniciativa pioneira entre a green4T e NEO MONDO para discutir o papel fundamental da tecnologia na promoção de um futuro mais sustentável – tem como entrevistado especial Bruno Pereira, Especialista em Sustentabilidade Positiva, Líder do Comitê de Sustentabilidade da Associação Brasileira de Embalagem (ABRE) e CEO da Ecopopuli.

Leia mais »
Gestão Resíduos Sólidos Urbanos

Estudo aponta caminhos para a gestão de resíduos sólidos urbanos

Apenas a cidade de São Paulo produz cerca de 20 mil toneladas de resíduos sólidos urbanos (RSU) todos os dias, sendo 12 mil domiciliares e 8 mil da limpeza urbana, decorrentes de atividades de varrição, recolhimento de restos de feiras, podas e capinas. Considerando somente as 12 mil toneladas produzidas nas residências, isso dá uma média de aproximadamente 1 quilo de lixo por habitante ao dia.

Leia mais »
Lei do Bem Cagece

Lei do Bem: Cagece alcança R$ 3,6 milhões em benefícios fiscais através de investimentos em projetos de inovação tecnológica

A Companhia de Água e Esgoto do Ceará (Cagece) é pioneira no Ceará em aliar os investimentos em projetos de inovação tecnológica e transformá-los em benefícios fiscais. Por meio da chamada “Lei do Bem” (nº 11.196/2005), a companhia conseguiu rastrear e inserir junto ao Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação um total de R$ 17 milhões, aportados em projetos de inovação nos últimos três anos, rendendo um retorno total de R$ 3,6 milhões em benefícios.  

Leia mais »
Política de Gerenciamento Resíduos Sólidos

Política de gerenciamento de resíduos sólidos em instituições públicas

O presente estudo aborda a problemática ambiental da geração de resíduos sólidos e a inadequação do gerenciamento destes nas instituições públicas. Considerando as limitações das opções de destinação final para os resíduos, é imprescindível minimizar as quantidades utilizadas dentro destas organizações por meio da redução, reutilização e reciclagem. Diante da Política Nacional de Resíduos Sólidos e em consonância com a agenda 2030, busca-se contribuir e apontar caminhos para o enfrentamento da grave questão.

Leia mais »