saneamento basico
Copasa ETE Patos

Copasa inicia primeira fase das obras para universalizar coleta e tratamento de esgoto na Lagoa da Pampulha

Copasa Tratamento de Esgoto Pampulha

Primeiramente a Companhia de Saneamento de Minas Gerais (Copasa) iniciou a primeira fase de obras que integra o Plano de Ação da Bacia da Lagoa da Pampulha, elaborado pela empresa em parceria com as prefeituras de Belo Horizonte e de Contagem.

O objetivo do projeto Reviva Pampulha é universalizar os serviços de coleta e tratamento de esgoto na região.

Ademais nesta primeira fase, a Copasa vai investir R$ 20 milhões na implementação de 22 quilômetros de redes coletoras. Essas possibilitarão que 800 imóveis tenham o esgoto tratado adequadamente.

Mas as primeiras intervenções foram realizadas no bairro Bandeirantes, em Belo Horizonte. E no Conjunto Habitacional Confisco, em Contagem, com a execução de cerca de 610 metros de rede coletora de esgoto.

Moradores dos dois bairros já estão recebendo visitas das equipes de mobilização social da Copasa. Que atuam junto à população explicando os benefícios da interligação à rede de esgoto.

Essa ação faz parte do programa Engajar para Transformar, que também orienta sobre as obras necessárias nos imóveis para a interligação às redes da Copasa e sobre quais os procedimentos necessários para realizarem efetivamente a ligação de sua residência às redes públicas de esgoto.

LEIA TAMBÉM: Águas Guarirobas divulga meta para alcançar na coleta e tratamento de esgoto em 2024

Investimentos

Mas o Reviva Pampulha prevê investimentos de R$ 146 milhões para interligar 9.759 imóveis à rede de esgoto. Contribuindo para eliminar o despejo de esgoto na Lagoa Pampulha, um Patrimônio Cultural da Humanidade da Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (Unesco) e símbolo de Belo Horizonte.

Atualmente, na Bacia da Lagoa da Pampulha, mais de 99% da população já possui cobertura para prestação dos serviços de esgotamento sanitário e mais de 95% são atendidos com coleta e tratamento de esgotos.

Mas dos 5% dos clientes que não estão interligados às redes de esgoto da Copasa, 4% são denominados factíveis. Têm rede disponível, mas não estão conectados, e menos de 1% são denominados potenciais, que ainda não possuem sistema de esgotamento sanitário implantado, cujas obras estão previstas nas próximas fases do programa.

No Plano de Ação, a Copasa é responsável pelas obras de infraestrutura necessárias para a interligação dos 9.759 imóveis factíveis e potenciais da bacia ao sistema de esgotamento sanitário.

Licenciamento

Portanto os municípios de BH e Contagem, por sua vez, terão papel importante na notificação dos moradores que se recusarem a aderir às redes disponíveis, bem como nos processos de desapropriação e licenciamento ambiental que se fizerem necessários para a implantação da infraestrutura da Copasa.

Em conclusão nesse contexto, por meio do projeto Reviva Pampulha, a Copasa realizará diversas ações, entre elas:

  • construção de redes;
  • obras de melhorias operacionais;
  • monitoramento de qualidade das águas dos córregos;
  • garantia da continuidade da prestação de serviço de esgotamento sanitário;
  • vistorias do Programa de Recebimento e Controle de Efluentes Não Domésticos (Precend);
  • inspeção de lançamentos de águas pluviais nas redes coletoras;
  • operação da Estação de Tratamento de Águas Fluviais (Etaf) Pampulha;
  • atuações socioambientais;
  • ações de publicidade;
  • comunicação social.

Contudo o terceiro relatório de acompanhamento do programa será publicado até o final de janeiro de 2024. Com os avanços realizados pela Copasa no último trimestre de 2023, no Reviva Pampulha – um site de notícias para que toda a população possa acompanhar as ações da empresa para a universalização da coleta e tratamento de esgoto na bacia da Pampulha.

Em suma o objetivo da companhia é promover mais transparência nos trabalhos que vêm sendo executados visando a revitalização da Lagoa da Pampulha.

Fonte: Agência Minas.

Últimas Notícias:
greenTalks Sustentabilidade de Embalagens

greenTalks entrevista Bruno Pereira, CEO da Ecopopuli, sobre sustentabilidade de embalagens

O segundo episódio da temporada 2024 do videocast greenTalks – uma iniciativa pioneira entre a green4T e NEO MONDO para discutir o papel fundamental da tecnologia na promoção de um futuro mais sustentável – tem como entrevistado especial Bruno Pereira, Especialista em Sustentabilidade Positiva, Líder do Comitê de Sustentabilidade da Associação Brasileira de Embalagem (ABRE) e CEO da Ecopopuli.

Leia mais »
Gestão Resíduos Sólidos Urbanos

Estudo aponta caminhos para a gestão de resíduos sólidos urbanos

Apenas a cidade de São Paulo produz cerca de 20 mil toneladas de resíduos sólidos urbanos (RSU) todos os dias, sendo 12 mil domiciliares e 8 mil da limpeza urbana, decorrentes de atividades de varrição, recolhimento de restos de feiras, podas e capinas. Considerando somente as 12 mil toneladas produzidas nas residências, isso dá uma média de aproximadamente 1 quilo de lixo por habitante ao dia.

Leia mais »
Lei do Bem Cagece

Lei do Bem: Cagece alcança R$ 3,6 milhões em benefícios fiscais através de investimentos em projetos de inovação tecnológica

A Companhia de Água e Esgoto do Ceará (Cagece) é pioneira no Ceará em aliar os investimentos em projetos de inovação tecnológica e transformá-los em benefícios fiscais. Por meio da chamada “Lei do Bem” (nº 11.196/2005), a companhia conseguiu rastrear e inserir junto ao Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação um total de R$ 17 milhões, aportados em projetos de inovação nos últimos três anos, rendendo um retorno total de R$ 3,6 milhões em benefícios.  

Leia mais »
Política de Gerenciamento Resíduos Sólidos

Política de gerenciamento de resíduos sólidos em instituições públicas

O presente estudo aborda a problemática ambiental da geração de resíduos sólidos e a inadequação do gerenciamento destes nas instituições públicas. Considerando as limitações das opções de destinação final para os resíduos, é imprescindível minimizar as quantidades utilizadas dentro destas organizações por meio da redução, reutilização e reciclagem. Diante da Política Nacional de Resíduos Sólidos e em consonância com a agenda 2030, busca-se contribuir e apontar caminhos para o enfrentamento da grave questão.

Leia mais »