saneamento basico
SANEPAR

Obras da Sanepar nos sistemas de água e esgoto em Londrina ultrapassam R$ 250 milhões

Sanepar

A Companhia de Saneamento do Paraná (Sanepar) está investindo cerca de R$ 250 milhões na ampliação dos sistemas de abastecimento de água e de coleta e tratamento de esgoto em Londrina.

Seis novos reservatórios, seis elevatórias e 50 quilômetros de tubulações ampliarão em 20% a capacidade de reservação do sistema integrado, que também beneficia o município de Cambé. O total de armazenamento nas novas unidades é de 24 milhões de litros de água.

Na área de esgoto estão sendo feitas ampliações e melhorias das Estações de Tratamento Norte e Sul, que terão ganho na qualidade do efluente final e na disposição do lodo, além do aproveitamento do gás gerado no processo de tratamento.

Às margens do aterro do Lago Igapó, no Jardim Maringá, foram implantados rede coletora e interceptor de esgoto e ainda está em construção uma elevatória. Esses equipamentos são necessários para bombear o esgoto dos imóveis até uma estação de tratamento.

Já os novos reservatórios de água de Londrina são de modelagem e tecnologia alemã que utiliza camada dupla de chapa de aço unida por uma fita de junção. O material tem chapa inoxidável por dentro e chapa galvanizada por fora e oferece maior resistência e durabilidade.

LEIA TAMBÉM: SANEPAR IMPLANTA SOLUÇÃO BASEADA NA NATUREZA PARA TRATAR LODO DE ESGOTO DE SANTA HELENA

Há canteiros de obras em diferentes regiões da cidade. Na zona norte, na Avenida Saul Elkind, estão sendo instalados dois reservatórios apoiados de 2,6 milhões de litros cada; na Rodovia João Alves da Rocha Loures, próximo à Penitenciária Estadual de Londrina II, estão sendo finalizados outros dois reservatórios com 3,9 milhões de litros cada. Próximo ao autódromo, também na região norte, estão sendo construídas três elevatórias de água tratada.

Na Avenida Jamil Scaff já foram iniciadas as obras de um reservatório de 7 milhões de litros e duas estações elevatórias. Ainda na zona leste, está sendo implantado um reservatório na área da Estação de Tratamento de Água Tibagi com 3,8 milhões de litros. E há uma outra estação elevatória sendo construída na área do Centro de Reservação Higienópolis. Na região central, seguem as obras de substituição de 86 quilômetros de rede de ferro por PEAD (polietileno expandido).

O diretor-presidente da Sanepar, Claudio Stabile, destaca que os investimentos feitos em Londrina asseguram que os serviços de água e de esgoto acompanhem o crescimento da cidade, mantendo os altos indicadores de saneamento.

“Muitas dessas obras são de inovação, seguindo a política de investimentos que adotamos em todo o Paraná. Caminhamos para que o Estado seja o primeiro do País a cumprir as metas do novo marco legal do saneamento”, afirmou.

“A Sanepar continua investindo em obras e inovação para transformar cada vez mais o saneamento, universalizando com melhor qualidade no tratamento do esgoto, na continuidade do abastecimento e na segurança das águas”, destaca o gerente geral da Sanepar na região, Antônio Gil Gameiro.

Fonte: Paraná Governo do Estado

Últimas Notícias:
greenTalks Sustentabilidade de Embalagens

greenTalks entrevista Bruno Pereira, CEO da Ecopopuli, sobre sustentabilidade de embalagens

O segundo episódio da temporada 2024 do videocast greenTalks – uma iniciativa pioneira entre a green4T e NEO MONDO para discutir o papel fundamental da tecnologia na promoção de um futuro mais sustentável – tem como entrevistado especial Bruno Pereira, Especialista em Sustentabilidade Positiva, Líder do Comitê de Sustentabilidade da Associação Brasileira de Embalagem (ABRE) e CEO da Ecopopuli.

Leia mais »
Gestão Resíduos Sólidos Urbanos

Estudo aponta caminhos para a gestão de resíduos sólidos urbanos

Apenas a cidade de São Paulo produz cerca de 20 mil toneladas de resíduos sólidos urbanos (RSU) todos os dias, sendo 12 mil domiciliares e 8 mil da limpeza urbana, decorrentes de atividades de varrição, recolhimento de restos de feiras, podas e capinas. Considerando somente as 12 mil toneladas produzidas nas residências, isso dá uma média de aproximadamente 1 quilo de lixo por habitante ao dia.

Leia mais »
Lei do Bem Cagece

Lei do Bem: Cagece alcança R$ 3,6 milhões em benefícios fiscais através de investimentos em projetos de inovação tecnológica

A Companhia de Água e Esgoto do Ceará (Cagece) é pioneira no Ceará em aliar os investimentos em projetos de inovação tecnológica e transformá-los em benefícios fiscais. Por meio da chamada “Lei do Bem” (nº 11.196/2005), a companhia conseguiu rastrear e inserir junto ao Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação um total de R$ 17 milhões, aportados em projetos de inovação nos últimos três anos, rendendo um retorno total de R$ 3,6 milhões em benefícios.  

Leia mais »
Política de Gerenciamento Resíduos Sólidos

Política de gerenciamento de resíduos sólidos em instituições públicas

O presente estudo aborda a problemática ambiental da geração de resíduos sólidos e a inadequação do gerenciamento destes nas instituições públicas. Considerando as limitações das opções de destinação final para os resíduos, é imprescindível minimizar as quantidades utilizadas dentro destas organizações por meio da redução, reutilização e reciclagem. Diante da Política Nacional de Resíduos Sólidos e em consonância com a agenda 2030, busca-se contribuir e apontar caminhos para o enfrentamento da grave questão.

Leia mais »