saneamento basico

Bolivianos visitam Sanasa em Campinas

A visita proporcionou troca de experiências entre os países nas áreas de meio ambiente e saneamento.

Com o objetivo de aperfeiçoar a gestão e a prestação dos serviços de saneamento básico na Bolívia, além de promover a troca de conhecimentos e experiências, a Sanasa recebeu na quinta-feira, 12 de novembro, a visita da delegação boliviana das áreas de meio ambiente e saneamento básico.

Pela manhã, os visitantes participaram de uma apresentação das iniciativas da Sanasa em alguns temas como perdas e uso consciente da água. Na ocasião, o presidente Arly de Lara Romêo destacou os trabalhos da empresa para alcançar os objetivos do Plano de Metas 300%. “A Sanasa é uma empresa municipal que goza de muito prestígio e credibilidade. Estamos gratos em recebê-los e nossos técnicos estão à disposição para trocar experiências”, destacou o presidente.

Já no período da tarde, os bolivianos visitaram a Estação Produtora de Água de Reúso (EPAR-Capivari II). Nesta estação, eles conheceram o processo de produção de água de reúso que utiliza a tecnologia de membranas ultrafiltrantes, capaz de remover 99% dos poluentes.

A indicação da empresa de saneamento de Campinas para conduzir esta visita técnica veio do Ministério das Cidades que é signatário do projeto ‘Apoio ao Fortalecimento Institucional para a Melhoria da Prestação dos Serviços de Abastecimento de Água Potável, Esgotamento Sanitário e Resíduos Sólidos na Bolívia’. Trata-se de uma ação que integra o Projeto de Cooperação Técnica Trilateral em que participam o Brasil, a Bolívia e a Espanha.

“Buscamos identificar potenciais parceiros nesta cooperação, que já apresentaram iniciativas que tiveram êxito, a fim de compartilhar as experiências”, explicou Marcelo Lelis, gerente de Projetos da Secretaria Nacional de Saneamento Ambiental do Ministério das Cidades. “Foi muito proveitosa esta visita. Conhecemos métodos diferentes e, com alguns estudos, nosso objetivo é implementar em nossa realidade”, completou William Cossio, chefe de Manutenção e Instalações de Redes do Sela (Servicio Local de Acueductos y Alcantarillado).

Fonte: Sanasa Campinas

Últimas Notícias:
greenTalks Sustentabilidade de Embalagens

greenTalks entrevista Bruno Pereira, CEO da Ecopopuli, sobre sustentabilidade de embalagens

O segundo episódio da temporada 2024 do videocast greenTalks – uma iniciativa pioneira entre a green4T e NEO MONDO para discutir o papel fundamental da tecnologia na promoção de um futuro mais sustentável – tem como entrevistado especial Bruno Pereira, Especialista em Sustentabilidade Positiva, Líder do Comitê de Sustentabilidade da Associação Brasileira de Embalagem (ABRE) e CEO da Ecopopuli.

Leia mais »
Gestão Resíduos Sólidos Urbanos

Estudo aponta caminhos para a gestão de resíduos sólidos urbanos

Apenas a cidade de São Paulo produz cerca de 20 mil toneladas de resíduos sólidos urbanos (RSU) todos os dias, sendo 12 mil domiciliares e 8 mil da limpeza urbana, decorrentes de atividades de varrição, recolhimento de restos de feiras, podas e capinas. Considerando somente as 12 mil toneladas produzidas nas residências, isso dá uma média de aproximadamente 1 quilo de lixo por habitante ao dia.

Leia mais »
Lei do Bem Cagece

Lei do Bem: Cagece alcança R$ 3,6 milhões em benefícios fiscais através de investimentos em projetos de inovação tecnológica

A Companhia de Água e Esgoto do Ceará (Cagece) é pioneira no Ceará em aliar os investimentos em projetos de inovação tecnológica e transformá-los em benefícios fiscais. Por meio da chamada “Lei do Bem” (nº 11.196/2005), a companhia conseguiu rastrear e inserir junto ao Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação um total de R$ 17 milhões, aportados em projetos de inovação nos últimos três anos, rendendo um retorno total de R$ 3,6 milhões em benefícios.  

Leia mais »
Política de Gerenciamento Resíduos Sólidos

Política de gerenciamento de resíduos sólidos em instituições públicas

O presente estudo aborda a problemática ambiental da geração de resíduos sólidos e a inadequação do gerenciamento destes nas instituições públicas. Considerando as limitações das opções de destinação final para os resíduos, é imprescindível minimizar as quantidades utilizadas dentro destas organizações por meio da redução, reutilização e reciclagem. Diante da Política Nacional de Resíduos Sólidos e em consonância com a agenda 2030, busca-se contribuir e apontar caminhos para o enfrentamento da grave questão.

Leia mais »