saneamento basico

Deso intensifica combate às perdas águas em Sergipe

Desde 2013, a Companhia de Saneamento de Sergipe (Deso) assumiu como prioridade a consolidação do programa de controle de perdas em Aracaju. Para alcançar resultados potenciais, na primeira fase dos trabalhos de combate ao desperdício, a empresa dividiu estrategicamente a capital sergipana em 47 Distritos de Medição Controlada (DMCs), onde é possível identificar com mais precisão o volume de água consumida pelos clientes. Mais de 23 bairros já integram a área que começou a receber a implantação de macromedidores.

O diretor de Operações da Deso, Silvio Múcio Farias, explica que os distritos são tratados como “condomínios”, onde é possível identificar a quantidade de água que é distribuída e que é faturada, por localidades específicas. Para isso, cada distrito recebe um macromedidor, equipamento capaz de registrar a quantidade de água fornecida na área isolada.

A partir do DMC, é possível monitorar, acompanhar mês a mês, o volume de água que está sendo macromedido e o que está sendo micromedido. É a partir desta comparação, que as diferenças podem apontar desperdício ou furto de água. Isso porque se o que está sendo macromedido for maior do que está sendo micromedido, a diferença implica o consumo que não está sendo faturado”, detalha o diretor de Operações.

Depois do isolamento por área, feito na rede de abastecimento de água, é dado início ao trabalho de substituição de hidrômetros, de sondagem e de retirada de vazamentos não visíveis, além de pesquisa para identificação de ligações clandestinas. A atuação da Deso reúne também as atividades educativas, envolvendo comunidades e escolas. Tudo isso influência na diminuição do desperdício de água potável.

Compromisso
Com essas ações, a Deso exerce o compromisso de evitar as perdas financeiras e aumentar a sustentabilidade. Para o diretor-presidente da Deso, Antônio Sérgio Ferrari Vargas, a implantação de um plano de redução de perdas atende a um conceito estratégico para sobrevivência da empresa.

Com o investimento na redução das perdas, a consequência é aumentar o volume de água ofertado a população, sem a necessidade de se investir em novas tubulações e estações de tratamento. Ao mesmo tempo, esta redução no desperdício melhora as condições ambientais, evitando infiltrações, erosões”, defende Ferrari.

O diretor-presidente ressaltou que a maneira mais eficaz para se aumentar a oferta de água para a população é investir no combate as perdas. “As ações que foram implementadas neste governo, como a ampliação da adutora do São Francisco, a barragem do Poxim e adutora do Semiárido possibilitaram uma situação de certa folga na segurança no abastecimento de água durante um certo tempo. Isso representa um grande investimento”, destaca.

Como exemplo, ele citou que, em Sergipe, o grande manancial que abastece mais de metade da população é o rio são Francisco. No caso da capital e da região metropolitana, o São Francisco está a uma distância considerável para ampliação do sistema”, aponta Ferrari, reforçando que um melhor aproveitamento da água produzida é também uma prioridade para manter a sustentabilidade do abastecimento.

Balanço
Em um ano de atuação, a Deso adquiriu macromedidores de vazão modernos, contratou uma empresa para detecção de vazamentos, criou uma gerência exclusiva para esse fim e enviou empregados para treinamentos, cursos e participação na câmara técnica da AESBE. O objetivo é o aperfeiçoamento para ampliar a eficiência em campo e os resultados.

Do total de 47 DMC’s, 11 já são monitorados. Outros 12 distritos estão isolados em campo, prontos para receber os macromedidores e também poderem ser monitorados. Os demais estão em fase de implantação. Ao final da primeira fase de execução do programa de medição controlada, 45% do território da capital sergipana estará atendido.

No conjunto Santa Lúcia, usado como protótipo, foram executadas algumas ações que impactaram na redução de perdas de água. Até o momento, o índice de perda caiu de 51% para 38%. Esse mesmo projeto operacional será implantado, posteriormente, no restante de Aracaju, abrangendo depois Nossa Senhora do Socorro, Barra dos Coqueiros e São Cristóvão.

Fonte: FaxAju
Veja mais: http://www.faxaju.com.br/conteudo.asp?id=177720

Últimas Notícias:
Membrana de nanofiltração

Avaliação de uma membrana de nanofiltração para a remoção de antibióticos da água: um estudo de caso com Sulfametoxazol, Norfloxacina e Tetraciclina

Nesse contexto, o presente estudo avalia a nanofiltração, uma tecnologia de membranas filtrantes, na remoção de três antibióticos largamente consumidos (Tetraciclina, Norfloxacina e Sulfametoxazol) da água. Foi empregada a membrana NF270 (DOW – FilmTec), uma membrana de poliamida com massa molecular de corte de 400 Da que foi avaliada em termos de produtividade e capacidade de remoção dos antibióticos.

Leia mais »