saneamento basico
projetos

Quatro empresas apresentam proposta para leilão de saneamento em MS

Ainda não há dados sobre os valores apresentados e quais são as empresas; quatro haviam pedido informações anteriormente

Quatro empresas se interessaram e apresentaram propostas para participar da PPP (Parceria Público-Privada) do esgotamento sanitário feito pela Sanesul (Empresa de Saneamento de Mato Grosso do Sul). Quem vencer o certame será responsável pela prestação do serviço de esgoto em 68 municípios atendidos pela estatal no Estado.

As propostas foram recebidas das 10h às 14h nesta segunda-feira (19) na sede do Balcão B3, da Bolsa de Valores, em São Paulo (SP). Já o leilão deve acontecer na próxima sexta-feira (13), no mesmo local. O objetivo é que o esgoto no Estado seja universalizado.

Para isso, a empresa que vencer o certame vai ter 30 anos de contrato com previsão de investimento de pelo menos R$ 3,8 bilhões, podendo ir até R$ 4,5 bilhões, já somando a ampliação da estrutura, como a construção de estações, e a operação do serviço. O prazo de universalização do esgoto em Mato Grosso do Sul é de 10 anos.


LEIA TAMBÉM: SANESUL E GOVERNO DO ESTADO INVESTEM NA COLETA DE ESGOTO EM CORUMBÁ/MS


A Licitação

O edital da licitação foi publicado em 15 de junho deste ano, já tendo sido apresentado para investidores inclusive pelo governador Reinaldo Azambuja (PSDB). Quatro empresas pediram informações sobre o edital, contudo, não há a confirmação ainda se foram elas as que confirmaram participação no leilão, nem os valores apresentados inicialmente.

As empresas que fizeram a consulta são a Conasa Infraestrutura, Fornort Desenvolvimento Ambiental e Urbano, BRK Ambiental Participações e GCE S/A. Todas elas tem experiência em mercado, como pede o edital, sendo que a primeira citada fica em Londrina (PR).

Já a Fornort fica em Santos (SP), enquanto a GCE fica em Guará, cidade satélite do Distrito Federal, e a BRK é uma empresa que funciona como um braço especializado em saneamento básico da canadense Brookfield no Brasil.

Fonte: CAMPO GRANDE NEWS.


ÚLTIMAS NOTÍCIAS: BENTLEY SYSTEMS EXPANDE ALIANÇA COM A MICROSOFT PARA ACELERAR AS INOVAÇÕES EM GÊMEOS DIGITAIS PARA INFRAESTRUTURA

Últimas Notícias:
greenTalks Sustentabilidade de Embalagens

greenTalks entrevista Bruno Pereira, CEO da Ecopopuli, sobre sustentabilidade de embalagens

O segundo episódio da temporada 2024 do videocast greenTalks – uma iniciativa pioneira entre a green4T e NEO MONDO para discutir o papel fundamental da tecnologia na promoção de um futuro mais sustentável – tem como entrevistado especial Bruno Pereira, Especialista em Sustentabilidade Positiva, Líder do Comitê de Sustentabilidade da Associação Brasileira de Embalagem (ABRE) e CEO da Ecopopuli.

Leia mais »
Gestão Resíduos Sólidos Urbanos

Estudo aponta caminhos para a gestão de resíduos sólidos urbanos

Apenas a cidade de São Paulo produz cerca de 20 mil toneladas de resíduos sólidos urbanos (RSU) todos os dias, sendo 12 mil domiciliares e 8 mil da limpeza urbana, decorrentes de atividades de varrição, recolhimento de restos de feiras, podas e capinas. Considerando somente as 12 mil toneladas produzidas nas residências, isso dá uma média de aproximadamente 1 quilo de lixo por habitante ao dia.

Leia mais »
Lei do Bem Cagece

Lei do Bem: Cagece alcança R$ 3,6 milhões em benefícios fiscais através de investimentos em projetos de inovação tecnológica

A Companhia de Água e Esgoto do Ceará (Cagece) é pioneira no Ceará em aliar os investimentos em projetos de inovação tecnológica e transformá-los em benefícios fiscais. Por meio da chamada “Lei do Bem” (nº 11.196/2005), a companhia conseguiu rastrear e inserir junto ao Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação um total de R$ 17 milhões, aportados em projetos de inovação nos últimos três anos, rendendo um retorno total de R$ 3,6 milhões em benefícios.  

Leia mais »
Política de Gerenciamento Resíduos Sólidos

Política de gerenciamento de resíduos sólidos em instituições públicas

O presente estudo aborda a problemática ambiental da geração de resíduos sólidos e a inadequação do gerenciamento destes nas instituições públicas. Considerando as limitações das opções de destinação final para os resíduos, é imprescindível minimizar as quantidades utilizadas dentro destas organizações por meio da redução, reutilização e reciclagem. Diante da Política Nacional de Resíduos Sólidos e em consonância com a agenda 2030, busca-se contribuir e apontar caminhos para o enfrentamento da grave questão.

Leia mais »