saneamento basico

(SP) Donisete vai apurar atuação da Sama, mas mantém Atila

O prefeito de Mauá, Donisete Braga (PT), disse que irá manter o pré-candidato a deputado estadual pelo PCdoB na superintendência da Sama (Saneamento Básico do Município de Mauá), porém, determinou que ele instaure uma sindicância para apurar denúncia publicada ontem pelo Diário de que o comunista fez ligações de água clandestinas em troca de voto na Viela Kossap, Rua Armando Benedete, Jardim Itapeva.

Donisete afirmou que ainda não tem nenhuma comprovação de que a instalação de cavaletes sem hidrômetros na viela seja irregular. “Se for comprovado, nós vamos punir os responsáveis. Estaremos demitindo quem cometer esse tipo de atitude. Conversei com o Atila e ele disse que não praticou esse ato. A autarquia tem autonomia para apurar o caso, mas faz parte do governo e nós vamos acompanhar”, explicou o prefeito.

A distribuição de água na Viela Kossap será verificada, segundo Donisete. “Se for comprovado (ligações clandestinas), vamos fazer um recadastramento das famílias para saber a quanto tempo residem no local e verificar a viabilidade jurídica de fazer a ligação de água”, comentou o prefeito. De acordo com moradores ouvidos pelo Diário, o fornecimento de água regular já foi solicitado à Prefeitura inúmeras vezes. Mas não houve êxito porque as residências estão em área de manancial, loteada de forma irregular.

Donisete disse que o caso não tem conotação política. “Não acredito nisso, até porque é crime e, se alguém fez isso, fez sem autorização.” O prefeito também disse que as notícias negativas que envolvem o nome da Sama não influenciam a imagem de sua gestão.

A reportagem do Diário esteve no local na segunda-feira na parte da tarde e, sem se identificar, conversou com moradores. Mais tarde, telefonou informando se tratar de entrevista e, mesmo assim, a história foi confirmada. Eles relataram que Atila promoveu uma reunião com a comunidade, prometeu fazer as ligações clandestinas até que conseguisse regularizar o serviço e informou que disputaria eleição para deputado estadual. Questionados se votariam no comunista, todos responderam efusivamente que sim. “Só aqui em casa tem mais de dez votos”, disse Aldo Francisco dos Santos.

CONSEQUÊNCIAS
De acordo com o professor de Direito Eleitoral e do Consumidor da Faculdade de Direito de São Bernardo Arthur Luiz Rollo, Atila pode ser enquadrado no artigo 41-A da Lei Eleitoral (9.504/97) e artigo 299 do Código Eleitoral (4.737/65). O primeiro diz que a promessa ou oferta de algo para captação de votos resulta na cassação da candidatura e aplicação de multa. “Qualquer adversário ou candidato pode pedir a cassação do registro de candidatura. Além disso, ele ficaria inelegível por oito anos”, explicou o especialista.

O segundo enquadramento prevê detenção de até quatro anos e pagamento de cinco a 15 dias-multa.

“Ligação clandestina de água é crime, é furto. E pode ser configurado como improbidade administrativa. Isso é mais do que inelegibilidade, ele teria os direitos políticos suspensos. Ou seja, ficaria sem poder participar de reuniões, atos políticos e ser filiado, assim como os condenados no caso do Mensalão”, completou Rollo.

Comunista afirma que vai abrir sindicância para averiguar o caso

Apontado por moradores da Viela Kossap, Rua Armando Benedete, Jardim Itapeva, como responsável por ligações de água clandestinas, o superintendente da Sama (Saneamento Básico de Mauá), Atila Jacomussi (PCdoB), disse que vai abrir sindicância para apurar a própria irregularidade. O comunista nega ter cometido o ato.

“Se realmente houve algum ato irregular, vamos punir os responsáveis. Vamos chamar os moradores da viela, os funcionários que trabalharam naquele local nos últimos seis meses, para ouvir o que eles têm a dizer. Queremos deixar isso bem claro. A sindicância vai durar de 15 a 30 dias”, explicou Atila.

O superintendente disse não temer nenhuma possibilidade de punição como a perda dos direitos políticos. “Não temo nada, não fiz nada. Improbidade administrativa sobre o quê? Qual foi o ato? Eu também não estou pensando em candidatura, nem sei se vou ser candidato”, discorreu.

A Foz do Brasil, que detém concessão do serviço de esgoto em Mauá, rebateu a declaração de Atila de que ela seria responsável pelas ligações de água. Em nota, a empresa disse que faz apenas a rede de esgoto, conforme concessão 43/2001, e negou atribuição para implantação de rede de distribuição de água. “Essas atribuições são legítimas da Sama”, diz a nota.

Atila reafirmou que a ligação de água deve ser pedida por um sistema que é administrado pela concessionária e que a Sama não faz esse serviço

Fonte e Agradecimento: http://www.dgabc.com.br/Noticia/515811/donisete-vai-apurar-atuacao-da-sama-mas-mantem-atila?referencia=minuto-a-minuto-lista

Últimas Notícias:
greenTalks Sustentabilidade de Embalagens

greenTalks entrevista Bruno Pereira, CEO da Ecopopuli, sobre sustentabilidade de embalagens

O segundo episódio da temporada 2024 do videocast greenTalks – uma iniciativa pioneira entre a green4T e NEO MONDO para discutir o papel fundamental da tecnologia na promoção de um futuro mais sustentável – tem como entrevistado especial Bruno Pereira, Especialista em Sustentabilidade Positiva, Líder do Comitê de Sustentabilidade da Associação Brasileira de Embalagem (ABRE) e CEO da Ecopopuli.

Leia mais »
Gestão Resíduos Sólidos Urbanos

Estudo aponta caminhos para a gestão de resíduos sólidos urbanos

Apenas a cidade de São Paulo produz cerca de 20 mil toneladas de resíduos sólidos urbanos (RSU) todos os dias, sendo 12 mil domiciliares e 8 mil da limpeza urbana, decorrentes de atividades de varrição, recolhimento de restos de feiras, podas e capinas. Considerando somente as 12 mil toneladas produzidas nas residências, isso dá uma média de aproximadamente 1 quilo de lixo por habitante ao dia.

Leia mais »
Lei do Bem Cagece

Lei do Bem: Cagece alcança R$ 3,6 milhões em benefícios fiscais através de investimentos em projetos de inovação tecnológica

A Companhia de Água e Esgoto do Ceará (Cagece) é pioneira no Ceará em aliar os investimentos em projetos de inovação tecnológica e transformá-los em benefícios fiscais. Por meio da chamada “Lei do Bem” (nº 11.196/2005), a companhia conseguiu rastrear e inserir junto ao Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação um total de R$ 17 milhões, aportados em projetos de inovação nos últimos três anos, rendendo um retorno total de R$ 3,6 milhões em benefícios.  

Leia mais »
Política de Gerenciamento Resíduos Sólidos

Política de gerenciamento de resíduos sólidos em instituições públicas

O presente estudo aborda a problemática ambiental da geração de resíduos sólidos e a inadequação do gerenciamento destes nas instituições públicas. Considerando as limitações das opções de destinação final para os resíduos, é imprescindível minimizar as quantidades utilizadas dentro destas organizações por meio da redução, reutilização e reciclagem. Diante da Política Nacional de Resíduos Sólidos e em consonância com a agenda 2030, busca-se contribuir e apontar caminhos para o enfrentamento da grave questão.

Leia mais »