saneamento basico

Em Congresso Mundial, ABAS discute: águas subterrâneas e o saneamento no Brasil

De 21 a 24 de setembro de 2020 foi realizada uma versão digital do Congresso Mundial de Águas Subterrâneas.

No Brasil, a quantidade de poços tubulares profundos gira em torno de 2,5 milhões e mais 3,5 milhões de poços escavados, preferencialmente em propriedades rurais. Com isso são produzidos em torno de 18 bilhões m3/ano (557 m3/s). A região metropolitana de São Paulo (RMSP) por exemplo, trabalha na faixa de 60-70 m3/s. Essa água subterrânea tem um valor econômico agregado, e teria seu valor em torno de R$ 60 bilhões/ano caso fosse cobrada.

Segundo José Paulo Netto, Presidente da Associação Brasileira de Águas Subterrâneas (ABAS) a vazão medida em 2019 no Rio Solimões foi de 119.350 m3/s. A vazão do Solimões alimentaria 1.836 RMSP.

“A RMSP tem em torno de 22,5 milhões de pessoas x 1836 = 41.310.000.000. Então com a vazão do Solimões, considerando um número urbano, o rio poderia alimentar uma população de 41 bilhões de pessoas. Se dividirmos isso pela população da terra, chegamos a um número de 5 vezes a população do planeta. No entanto, as águas subterrâneas são 62,7 vezes maior, disse José Paulo.


LEIA TAMBÉM: CONCESSÃO DA AEGEA SANEAMENTO É DESTAQUE EM EVENTO DO TRATA BRASIL


A importância das águas subterrâneas

Segundo a ANA (2010), 52% dos 5.570 municípios brasileiros são abastecidos total (36%) ou parcialmente (16%) por águas subterrâneas (Figura 1). A exploração desse recurso hídrico é inversamente proporcional ao tamanho das cidades. As águas subterrâneas são a opção exclusiva para 48% dos municípios com população menor que 10 mil habitantes e para 30% daqueles com 10 a 50 mil habitantes.

Figura 1 – Municípios brasileiros abastecidos por águas subterrâneas – total e por intervalos de tamanho populacional (ANA 2010).

Nos EUA 41% da população é abastecida por agua subterrânea, e na Suíça o abastecimento chega a 80%.

Uso da água e questões econômicas

Qualquer pequena alteração pode:

  • Elevar custos para indústria, turismo, serviços, hospitais, shoppings, comércio, condomínios e da própria sociedade;
  • Gerar perda de competitividade na indústria brasileira;
  • Causar impactos no crescimento econômico do país;
  • Causar insegurança jurídica para investimentos;
  • Afetar a liberdade econômica;
  • Gerar o desabastecimento das populações;

Qualquer mudança feita no uso de água subterrânea no Brasil e no mundo poderá impactar os grandes empreendimentos. Em empresas menores, o impacto seria mínimo, mas a grande maioria de segmentos produtivos do Brasil e do mundo dependem de água subterrânea. De acordo com José Paulo:

“Um shopping poderia pagar na água de R$ 50 a 100 mil por mês, um hotel de R$ 10 a 50 mil, a indústria milhões de reais. Temos que pensar que os números são realmente grandes. Qualquer alteração causaria impacto no crescimento econômico. Precisamos ter segurança jurídica para favorecer os investimentos no Brasil”.  

Para o Presidente da ABAS, será muito importante o direcionamento da ANA nos avanços do Novo Marco Regulatório. Segundo ele: “O Brasil tem órgãos gestores estaduais que cuidam da água, mas com “cabeças” diferentes. Precisamos de um alinhamento, para que tenhamos uma organização melhor. Quando usamos água subterrânea estamos preservando água superficial, e vice-versa. Temos que ter um uso combinado com isso, e manter a saúde econômica das concessionárias, sejam elas públicas ou privadas”.

Congresso Mundial de Águas Subterrâneas

O 47th IAH Brazil Congress, que será realizado de 22 a 27 de agosto de 2021 no Espaço Arca, em São Paulo, já está recebendo os resumos dos interessados em apresentar trabalhos no evento, que também reúne o XXI Congresso Mundial de Águas Subterrâneas 2021, XV Congresso Latinoamericano de Hidrogeologia, XXII Encontro Nacional de Perfuradores de Poços e a Fenágua – Feira Nacional da Água.

Com o tema central Águas subterrâneas 4.0 Conectada, visível e ética, o conteúdo técnico-científico abordará questões como gestão, política e governança, poluição, remediação e gerenciamento de águas subterrâneas, geoquímica e isótopos, aquíferos cársticos e fraturados, novas tecnologias no abastecimento e ferramentas e tecnologias emergentes para investigação, monitoramento e modelagem numérica de águas subterrâneas e saneamento.

Saiba mais

Renata Mafra – Produtora de conteúdo

[email protected]

Últimas Notícias:
Descarte Correto de Resíduos

Saiba como descartar resíduos corretamente e evitar doenças como a dengue

Além de crime ambiental, o descarte irregular de resíduos sólidos traz diversos prejuízos ao meio ambiente e à população. Estes pontos se tornam ambientes propícios para a proliferação de vetores de doenças, levando às situações de alagamentos em período de chuva, comprometendo a qualidade do ambiente e da paisagem do local, além de gerar o aumento dos custos públicos com a remoção do material descartado de forma incorreta e também dos gastos com saúde pública.

Leia mais »
Contrato Sabesp Vale do Paraíba

Novo contrato da Sabesp prevê aporte de R$ 18,6 bilhões no Vale do Paraíba até 2060

Atualmente em consulta pública, o novo contrato da Sabesp encontra-se em processo de desestatização, proposto pelo governo do estado de São Paulo. Os investimentos estão previstos em R$ 18,6 bilhões até o ano de 2060, no Vale do Paraíba e Litoral Norte. Cerca de R$ 5 bilhões serão destinados à universalização do saneamento básico nas 28 cidades atendidas pela Sabesp na região até 2029. As obras que pretendem levar água potável, coleta e tratamento de esgoto para toda a população, foram definidas com as prefeituras.

Leia mais »
Dmae Fumaça Ligações Irregulares

Dmae de Uberlândia/MG vai iniciar testes de fumaça para identificar ligações irregulares de esgoto

A partir da próxima segunda-feira (4), o Departamento Municipal de Água e Esgoto (Dmae) iniciará testes de fumaça para detectar ligações irregulares na rede de esgoto do município. O primeiro bairro atendido será a região do bairro Pampulha. O local em questão foi escolhido para iniciar os trabalhos devido ao grande número de chamados para desobstrução de rede, especialmente em período de chuva. Futuramente, outros bairros da cidade receberam os mesmos testes.

Leia mais »
Manejo de Resíduos Biometano Brasileiro

Ao custo global de R$ 3,1 tri, manejo de resíduos pode virar negócio, como o biometano brasileiro

Segundo alerta feito pela ONU nesta quarta-feira, 28, o volume de resíduos no mundo, que atingiu 2,3 bilhões de toneladas em 2023, continuará crescendo exponencialmente, até 3,8 bilhões de toneladas até meados deste século. A crise será ainda mais grave nos países onde os métodos de tratamento ainda são poluentes: aterros sanitários (contaminação do solo, emissões de poluentes e gases de efeito estufa, como o metano) e incineração sem recuperação.

Leia mais »
Sanasa Campinas Saneamento Básico

Campinas tem saneamento superior à média nacional

Dados do “Censo 2022: Características dos domicílios – Resultados do universo”, publicados na sexta-feira (23) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) confirmam a elevação dos indicadores de moradores com acesso ao saneamento básico em Campinas.

Leia mais »