saneamento basico
saneamento-gis

Papel do GIS nas empresas de saneamento durante a pandemia

O GIS é um ótimo aliado para coletar dados remotamente. Em tempos de Covid-19 ele se mostra cada vez mais importante para a função. O Portal GEO compartilha conosco um artigo mostrando o papel que o GIS está desempenhando nas empresas de saneamento diante da pandemia.  

Empresas de Saneamento Usam o GIS em Resposta à Crise do Covid-19

Enquanto a crise do COVID-19 está mudando quase tudo em nossas vidas, uma coisa não mudou: a água continua sendo entregue às nossas casas, pois as empresas de saneamento continuam prestando seus serviços.

Quando você abre a torneira, você recebe água limpa. O acesso a água é um fator essencial para promover a saúde das pessoas neste momento que vivemos.

A maioria de nós não pensa muito sobre isso, mas hoje as empresas de saneamento estão trabalhando fortemente para garantir que todos continuem tendo o acesso a água frente à pandemia.

Companhias de Saneamento 

As companhias estão tendo que se ajustar, como diversas outras empresas, e continuar a operar os sistemas. Estas estão fornecendo água potável limpa e potável a seus clientes sob circunstâncias completamente alteradas.

Muitas concessionárias de água usam informações geográficas todos os dias para ajudar a gerenciar seus ativos, monitorar suas operações, analisar seus sistemas e tomar decisões. No cenário atual, existem os mesmos problemas e desafios, mas com as complexidades adicionais da pandemia.

Neste contexto, o uso do GIS tem um papel estratégico e fundamental no direcionamento das ações e as companhias de saneamento têm recorrido ao GIS para obter o suporte necessário.

Dentre alguns dos atuais desafios estão:

  • Garantia do abastecimento de água e continuidade da operação dos sistemas;
  • Saúde e segurança das equipes;
  • Garantia de atendimento às áreas de vulnerabilidade social;
  • Transparência na comunicação da organização com seus clientes.

Continuidade da Operação dos Sistemas nas Empresas de Saneamento

A garantia da continuidade da operação atualmente é um desafio comum a diversas organizações. Neste contexto, a Esri lançou uma opção para resolver esse problema: ela se chama Coronavírus Business Continuity.

Trata-se de um conjunto de mapas, aplicativos e formulários que permite que as companhias de Saneamento monitorem e compreendam como os impactos da crise do COVID-19 estão afetando suas operações diárias.

Este conjunto de ferramentas permite que os colaboradores relatam o status das instalações, como estações de tratamento de água ou estações elevatórias de esgoto, registrem seus locais de trabalho e informem sobre suas condições de saúde.

Coordenadores podem visualizar o status das instalações e a capacidade da força de trabalho através de painéis gerenciais, facilitando a comunicação sobre ações operacionais, como restrições no abastecimento de água, e o informativo a população.

saneamento-gis

Saúde e Segurança das Equipes 

As companhias de Saneamento também precisam garantir a segurança das equipes em campo que atuam para manter a distribuição de água e a coleta de esgoto.

É necessário ter uma visão detalhada sobre as áreas de circulação dos colaboradores, suas condições de trabalho e seu estado de saúde. O GIS pode ser empregado para coletar dados sobre as equipes e analisar seu comportamento, podendo monitorar e identificar áreas com maior risco de exposição. Combinadas com o rastreamento em tempo real, essas informações auxiliam a manter as equipes mais seguras.

saneamento-gis

Áreas de Vulnerabilidade Social

A água tem um papel fundamental no combate ao avanço do COVID-19 e as áreas de vulnerabilidade social possuem maior risco de exposição frente ao vírus.

A identificação e o monitoramento destas áreas são essenciais para direcionar os esforços das companhias de saneamento no fornecimento de água para estas regiões.

O mapeamento de locais com falta d’água, a identificação e reparo de pontos de vazamentos e o acompanhamento dos padrões de consumo e demanda de água podem ser otimizados com a utilização do GIS.

saneamento-gis

Transparência com a População 

Outro fator fundamental para o sucesso no combate ao vírus é a transparência e a facilidade de comunicação entre a população e os órgãos governamentais.

Com a restrição no atendimento das agências comerciais, as Companhias de Saneamento precisam disponibilizar, principalmente através de seus canais digitais, os serviços básicos e as informações relevantes sobre o abastecimento de água para a população.

O GIS também se torna peça importante neste desafio pela facilidade de compartilhamento de informações pela web para a população sobre restrições no abastecimento, registros de falhas no abastecimento pelos clientes, e divulgação sobre o funcionamento das agências em cada localidade.

saneamento-gis

O GIS pode ter várias aplicações, mas em meio a pandemia ganhou essas atribuições, interessante não é mesmo? Em caso de dúvidas, você já sabe, fale com um especialista, nós temos a solução para você!

Fonte: EOS.

Últimas Notícias:
Risco Ambiental Fármacos Esgoto

Avaliação de risco ambiental de fármacos e desreguladores endócrinos presentes no esgoto sanitário brasileiro

Este estudo investigou a ocorrência, remoção e impacto na biota aquática de 19 contaminantes de preocupação emergente (CEC) comumente reportados no esgoto brasileiro bruto e/ou tratado. Para 14 CEC (E1, E2, EE2, GEN, DCF, PCT, BPA, IBU, NPX, CAF, TMP, SMX, CIP, LEV), sua presença em esgoto tratado apresentou um alto risco ambiental em pelo menos 2 dos 6 cenários de diluição considerados.

Leia mais »
greenTalks Sustentabilidade de Embalagens

greenTalks entrevista Bruno Pereira, CEO da Ecopopuli, sobre sustentabilidade de embalagens

O segundo episódio da temporada 2024 do videocast greenTalks – uma iniciativa pioneira entre a green4T e NEO MONDO para discutir o papel fundamental da tecnologia na promoção de um futuro mais sustentável – tem como entrevistado especial Bruno Pereira, Especialista em Sustentabilidade Positiva, Líder do Comitê de Sustentabilidade da Associação Brasileira de Embalagem (ABRE) e CEO da Ecopopuli.

Leia mais »
Gestão Resíduos Sólidos Urbanos

Estudo aponta caminhos para a gestão de resíduos sólidos urbanos

Apenas a cidade de São Paulo produz cerca de 20 mil toneladas de resíduos sólidos urbanos (RSU) todos os dias, sendo 12 mil domiciliares e 8 mil da limpeza urbana, decorrentes de atividades de varrição, recolhimento de restos de feiras, podas e capinas. Considerando somente as 12 mil toneladas produzidas nas residências, isso dá uma média de aproximadamente 1 quilo de lixo por habitante ao dia.

Leia mais »