saneamento basico
coleta-esgoto

Investimentos de 47 milhões em saneamento básico para Uruguaiana/RS

Assinatura de aditivo pelo município de Uruguaiana e BRK Ambiental ocorreu esta semana

O Conselheiro da AGERGS Cleber Domingues, juntamente com o Diretor Jurídico Vinícius Ilha,  participaram na tarde de ontem (28/07), da assinatura de aditivo pelo município de Uruguaiana e BRK Ambiental, na Câmara Municipal de Uruguaiana. Este aditivo vem sendo debatido e negociado desde 2017 pela AGERGS, Prefeitura, Câmara de Vereadores e BRK; e em 2019, com a intervenção do Centro de Mediação do Ministério Público, trouxe um novo formato que proporcionou à concessionária e à Prefeitura Municipal de Uruguaiana um novo horizonte de investimentos da ordem de 47 milhões em saneamento básico, bem como a compensação de multas aplicadas, traduzidas em pavimentação urbana na ordem de 80 mil metros quadrados de ruas.

O termo coloca também Uruguaiana em um outro patamar de prestação de serviços de saneamento básico, inclusive, alinhado com o novo marco regulatório nacional.

A partir deste aditivo, a fiscalização será compartilhada entre a Prefeitura e a AGERGS. Destaca-se também que as adequações do contrato à regulação da Agência, que foram identificadas desde 2012, foram atendidas, trazendo com isso um aprimoramento da regulação para o município.

LEIA TAMBÉM: DOURADOS/MS RECEBERÁ INVESTIMENTOS PARA AMPLIAÇÃO DO ESGOTAMENTO SANITÁRIO

O Contrato

Saliente-se ainda que a empresa terá como meta a universalização de esgoto até dezembro de 2022 e a redução de perdas de água para um percentual de 35% até junho de 2021.

Participaram da assinatura da esquerda para direita: Vereador Mano Gás; Presidente da Câmara de Vereadores de Uruguaiana Irani Fernandes; 2º Promotor de Justiça da Promotoria de Justiça Cível do município, Pablo da Silva Alfaro; Conselheiro Cleber Domingues; Diretor Executivo da BRK Ambiental Hebert Dantas; Prefeito de Uruguaiana Ronnie Peterson Colpo Mello; Vereadora Zulma Ancinello; Promotor de Justiça do Ministério Público do RS, Maurício Trevisan; Secretário-Executivo do Núcleo Permanente de Incentivo à Autocomposição – Mediar-MP, Promotor Ricardo Schinestsck; Procurador-Geral de Uruguaiana Edson Pereira Júnior; e Secretário de Administração do município, Ricardo San Pedro.

Fonte: ABAR.

Últimas Notícias:
greenTalks Sustentabilidade de Embalagens

greenTalks entrevista Bruno Pereira, CEO da Ecopopuli, sobre sustentabilidade de embalagens

O segundo episódio da temporada 2024 do videocast greenTalks – uma iniciativa pioneira entre a green4T e NEO MONDO para discutir o papel fundamental da tecnologia na promoção de um futuro mais sustentável – tem como entrevistado especial Bruno Pereira, Especialista em Sustentabilidade Positiva, Líder do Comitê de Sustentabilidade da Associação Brasileira de Embalagem (ABRE) e CEO da Ecopopuli.

Leia mais »
Gestão Resíduos Sólidos Urbanos

Estudo aponta caminhos para a gestão de resíduos sólidos urbanos

Apenas a cidade de São Paulo produz cerca de 20 mil toneladas de resíduos sólidos urbanos (RSU) todos os dias, sendo 12 mil domiciliares e 8 mil da limpeza urbana, decorrentes de atividades de varrição, recolhimento de restos de feiras, podas e capinas. Considerando somente as 12 mil toneladas produzidas nas residências, isso dá uma média de aproximadamente 1 quilo de lixo por habitante ao dia.

Leia mais »
Lei do Bem Cagece

Lei do Bem: Cagece alcança R$ 3,6 milhões em benefícios fiscais através de investimentos em projetos de inovação tecnológica

A Companhia de Água e Esgoto do Ceará (Cagece) é pioneira no Ceará em aliar os investimentos em projetos de inovação tecnológica e transformá-los em benefícios fiscais. Por meio da chamada “Lei do Bem” (nº 11.196/2005), a companhia conseguiu rastrear e inserir junto ao Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação um total de R$ 17 milhões, aportados em projetos de inovação nos últimos três anos, rendendo um retorno total de R$ 3,6 milhões em benefícios.  

Leia mais »
Política de Gerenciamento Resíduos Sólidos

Política de gerenciamento de resíduos sólidos em instituições públicas

O presente estudo aborda a problemática ambiental da geração de resíduos sólidos e a inadequação do gerenciamento destes nas instituições públicas. Considerando as limitações das opções de destinação final para os resíduos, é imprescindível minimizar as quantidades utilizadas dentro destas organizações por meio da redução, reutilização e reciclagem. Diante da Política Nacional de Resíduos Sólidos e em consonância com a agenda 2030, busca-se contribuir e apontar caminhos para o enfrentamento da grave questão.

Leia mais »