saneamento basico
saneamento

Momento decisivo pode tirar Rio de Janeiro do atraso histórico em saneamento básico

Evento da próxima semana debaterá com autoridades os riscos do Rio de Janeiro perder a maior oportunidade histórica para solucionar o problema da água e dos esgotos

Para debater os problemas e a possibilidade concreta de solução ao saneamento básico do Estado do Rio de Janeiro, o Instituto Trata Brasil e o Movimento SanitaRIO promovem, na próxima terça-feira, 08.12, das 10h30 às 12h00, o webinar “Solução para os Desafios do Saneamento Básico no Estado do Rio de Janeiro.”.

A proposta é debater o estado atual do projeto modelado pelo BNDES – Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social e as ações de curto prazo necessárias para torná-lo realidade, uma vez que essas entidades veem o projeto como fundamental para ampliar o acesso aos serviços e assim garantir à população os benefícios ambientais e sociais do saneamento.

Entre as autoridades confirmadas estão o Ministro do Desenvolvimento Regional, Sr. Rogério Marinho, Senador Tasso Jereissati e o Deputado Federal Geninho Zuliani – parlamentares decisivos na formulação do novo Marco Legal do Saneamento, o presidente do BNDES, Sr. Gustavo Montezano, o diretor de Infraestrutura, Concessões e PPPs do BNDES, Fábio Abrahão, e Gesner Oliveira, Professor da Fundação Getúlio Vargas (FGV) e sócio da GO Associados. A moderação será feita pelo presidente executivo do Trata Brasil, Édison Carlos e pelo idealizador e co-fundador do Movimento SanitaRIO, Eng. Raul Pinho.

Há décadas, a população do Estado do Rio de Janeiro convive com a ausência dos serviços de saneamento básico, ou a precariedade dos mesmos; a intermitência e a insegurança no fornecimento de água potável, com esgotos correndo a céu aberto nas comunidades e nas ruas das cidades e lançamento diário de toneladas de esgoto nos rios, Baía de Guanabara, Lagoas da Barra e Jacarepaguá, entre outros locais turísticos e importantes para o meio ambiente fluminense, mas degradados pela poluição.


LEIA TAMBÉM: BNDES SUGERE OUTORGA MÍNIMA DE R$ 10,6 BI PARA CONCESSÃO DE SANEAMENTO NO RJ


Níveis de Saneamento Básico

O baixíssimo nível de tratamento dos esgotos é característica da maior parte dos municípios do Estado, bem como as consequências deste cenário na saúde e qualidade de vida do cidadão.

Os indicadores oficiais e os fatos narrados quase que diariamente na imprensa mostram que o problema está longe de ser resolvido e só se agrava com o desabastecimento e racionamento atualmente presente em mais de 30 bairros de quatro cidades da Região Metropolitana do Rio e com riscos reais de haver uma nova crise na contaminação da água fornecida à população, como ocorreu no verão de 2019 para 2020, quando detectou-se a presença da substância geosmina, que tantos problemas e gastos trouxe à população, principalmente aos mais pobres.

Pelos números oficiais de 2018 do Sistema Nacional de Informação sobre Saneamento (SNIS), no Estado do Rio de Janeiro, cerca de 35% da população (6 milhões de fluminenses) ainda não possui coleta de esgotos e apenas 31% dos esgotos gerados são tratados, o que explica o grande volume de esgoto descartado diariamente na natureza.

O encontro será aberto a todos os interessados por ser um momento decisivo para o meio ambiente, a saúde e a qualidade de vida de todos os moradores do Rio de Janeiro.

Fonte: Meio Ambiente Rio.


ÚLTIMAS NOTÍCIAS: CANTAREIRA ATINGE PIOR NÍVEL DESDE FIM DA CRISE HÍDRICA EM SP E ACENDE ALERTA

Últimas Notícias:
Concessão Saneamento Itaú de Minas

Concessão do saneamento de Itaú de Minas já tem interessadas

Pelo menos duas empresas de saneamento do setor privado manifestaram interesse na concessão do serviço em Itaú de Minas, no Sul do Estado, durante a etapa de consulta pública, concluída em 21 de janeiro deste ano. As empresas são a Cristalina Saneamento e a Orbis Ambiental, que também disputou a licitação do serviço em Alpinópolis, cidade da mesma região e de tamanho similar a Itaú.

Leia mais »
Serviços de Coleta de Lixo

Mais de 90% dos brasileiros contam com serviço de coleta de lixo

Os serviços de coleta de lixo, direta ou indireta, beneficiavam 90,9% dos brasileiros em 2022, segundo dados do Censo 2022 divulgados na sexta-feira (23) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). A pesquisa mostra que 82,5% dos moradores têm seus resíduos sólidos coletados diretamente no domicílio por serviços de limpeza.

Leia mais »
Risco Ambiental Fármacos Esgoto

Avaliação de risco ambiental de fármacos e desreguladores endócrinos presentes no esgoto sanitário brasileiro

Este estudo investigou a ocorrência, remoção e impacto na biota aquática de 19 contaminantes de preocupação emergente (CEC) comumente reportados no esgoto brasileiro bruto e/ou tratado. Para 14 CEC (E1, E2, EE2, GEN, DCF, PCT, BPA, IBU, NPX, CAF, TMP, SMX, CIP, LEV), sua presença em esgoto tratado apresentou um alto risco ambiental em pelo menos 2 dos 6 cenários de diluição considerados.

Leia mais »