saneamento basico

Samae reconhece que é preciso diversificar pontos de captação e tratamento em Blumenau

A menor dependência de apenas uma estação de tratamento é fundamental para que Blumenau não seja tão afetada quando há situações como a que ocorreu na madrugada desta quinta-feira, quando uma bomba de captação de água quebrou e o equipamento reserva estava no conserto.

Situações como essa, mesmo que atípicas, seriam amenizadas se não existissem mais estações de tratamento, avalia a professora da Universidade Federal de SC e doutora em Engenharia Hidráulica e Saneamento Katt Regina Lapa.

Hoje a ETA II concentra 75% da capacidade de abastecimento da cidade, seguida pela ETA do bairro Garcia. A estação que abastece a região Sul ajuda em casos de pane na ETA principal. Katt explica que geralmente cidades menores, como Blumenau, tendem a concentrar a captação e tratamento porque é custoso construir e manter várias estações.

Blumenau não está sozinha ao concentrar a produção de água potável. Mário Tachini, engenheiro sanitarista e ambiental e professor da Furb conta que cidades como Florianópolis, Joinville e Brusque concentram quase toda a captação e tratamento de água em apenas uma estação.

Praticamente toda a água que abastece a Capital e vizinhança, por exemplo, sai de Santo Amaro da Imperatriz, a cerca 30 quilômetros da ilha, exemplifica Tachini.

O diretor de operações do Samae, Maurício Carvalho Laus, reconhece a necessidade da construção de uma nova estação, especialmente na região Norte de Blumenau. O diretor de operações estima que uma estação com metade da capacidade da ETA II custe até R$ 20 milhões, dependendo da localização.

Hoje a ETA II está com a capacidade quase esgotada. Em cinco ou 10 anos não dará mais conta. Pensamos e chegamos a checar dois locais, mas precisamos colocar os projetos em prática — constata Laus.

Fonte: Jornal de Santa Catarina
Veja mais: http://jornaldesantacatarina.clicrbs.com.br/sc/geral/noticia/2013/12/samae-reconhece-que-e-preciso-diversificar-pontos-de-captacao-e-tratamento-em-blumenau-4355784.html

Últimas Notícias:
Membrana de nanofiltração

Avaliação de uma membrana de nanofiltração para a remoção de antibióticos da água: um estudo de caso com Sulfametoxazol, Norfloxacina e Tetraciclina

Nesse contexto, o presente estudo avalia a nanofiltração, uma tecnologia de membranas filtrantes, na remoção de três antibióticos largamente consumidos (Tetraciclina, Norfloxacina e Sulfametoxazol) da água. Foi empregada a membrana NF270 (DOW – FilmTec), uma membrana de poliamida com massa molecular de corte de 400 Da que foi avaliada em termos de produtividade e capacidade de remoção dos antibióticos.

Leia mais »