saneamento basico

BRK Ambiental inicia ampliação de redes de esgoto em Mauá/SP

Atualmente Mauá se destaca como uma das cidades que mais avançou nos últimos anos, com 70% de tratamento de esgoto, o melhor índice da Região Metropolitana de São Paulo. 

O percentual de 93% da coleta do efluente também é um índice expressivo na região. O avanço dos índices de coleta e tratamento de esgoto na cidade se deu após os investimentos que já ultrapassam os R$ 240 milhões, realizados pela Concessionária de serviços (BRK Ambiental Mauá SA), que proporcionaram a ampliação do Sistema Público de Esgotamento Sanitário, a construção de uma Estação de Tratamento de Esgoto na cidade e já contribui com a despoluição de cursos d´água e córregos que cortam o município, tratando mais de 50.000.000 de litros de esgoto por dia.

Para dar continuidade aos serviços rumo à universalização do sistema de tratamento de esgoto, a concessionária está executando ações de interligação de tubulações nas bacias dos córregos Bocaina, Tabõao e Capitão João, além do Tamanduateí. Após o fim das obras, as intervenções irão beneficiar mais de 7 mil e 600 famílias com o serviço de tratamento de esgoto e aumentar ainda mais o indicador de tratamento de esgoto de nossa cidade até o final deste ano.

Ou seja, as redes coletoras de esgoto existentes nos imóveis da cidade e que operam nos bairros Vila João Ramalho, Vila Nossa Senhora das Vitórias, Jardim Cerqueira Leite, Flórida, Jardim Santa Lídia, Vila Augusto, Vila Independência, Vila Carlina, Loteamento Industrial Coral, Capuava, Parque das Américas, Vila América e na Vila Bocaina, serão interligadas aos coletores tronco e ao Interceptor, garantindo que o esgoto de aproximadamente 30 mil e 400 pessoas, que é despejado diariamente nesses pontos, seja direcionado para tratamento.

Tratamento de esgoto

Com a conclusão destas interligações o índice de tratamento de esgoto da região irá avançar ainda mais, contribuindo com a recuperação do córrego Bocaina, bem como do Rio Tamanduateí, que nasce em Mauá.

No entanto, além das ações realizadas pela Concessionária é muito importante também que cada Cidadão atue dentro de seu próprio imóvel, na regularização das tubulações internas, segregando o fluxo de esgoto separadamente da água da chuva e interligando cada tubulação corretamente, tal como determinam as legislações vigentes.

Como forma de conscientizar a população da importância das interligações e da correta utilização da rede de esgotamento sanitário, a concessionária mantem um fluxo de interação com a comunidade comunicando previamente os moradores dessas regiões a respeito das intervenções que estão previstas para ocorrer, visando dar o suporte necessário e minimizar os impactos pontuais no cotidiano deles durante a execução das obras físicas do Sistema de Esgotamento.

Comunicados entregues para os moradores

A Concessionária proporciona também visitas guiadas as instalações da Estação de Tratamento de Esgoto permitindo que os visitantes acompanhem de perto todas as etapas do tratamento diário de mais de 50.000.000 de litros de esgoto que se transformam em água limpa após o processo e retornam ao leito do rio Tamanduateí.

Durante a visita é possível conferir o funcionamento do Sistema Público de Esgotamento Sanitário por meio de uma “maquete dinâmica” que conta com informações sobre todos os equipamentos necessários para executar a interligação das tubulações de esgoto dos imóveis ao Sistema Público.

Fonte: ABC do ABC

Últimas Notícias:
greenTalks Sustentabilidade de Embalagens

greenTalks entrevista Bruno Pereira, CEO da Ecopopuli, sobre sustentabilidade de embalagens

O segundo episódio da temporada 2024 do videocast greenTalks – uma iniciativa pioneira entre a green4T e NEO MONDO para discutir o papel fundamental da tecnologia na promoção de um futuro mais sustentável – tem como entrevistado especial Bruno Pereira, Especialista em Sustentabilidade Positiva, Líder do Comitê de Sustentabilidade da Associação Brasileira de Embalagem (ABRE) e CEO da Ecopopuli.

Leia mais »
Gestão Resíduos Sólidos Urbanos

Estudo aponta caminhos para a gestão de resíduos sólidos urbanos

Apenas a cidade de São Paulo produz cerca de 20 mil toneladas de resíduos sólidos urbanos (RSU) todos os dias, sendo 12 mil domiciliares e 8 mil da limpeza urbana, decorrentes de atividades de varrição, recolhimento de restos de feiras, podas e capinas. Considerando somente as 12 mil toneladas produzidas nas residências, isso dá uma média de aproximadamente 1 quilo de lixo por habitante ao dia.

Leia mais »
Lei do Bem Cagece

Lei do Bem: Cagece alcança R$ 3,6 milhões em benefícios fiscais através de investimentos em projetos de inovação tecnológica

A Companhia de Água e Esgoto do Ceará (Cagece) é pioneira no Ceará em aliar os investimentos em projetos de inovação tecnológica e transformá-los em benefícios fiscais. Por meio da chamada “Lei do Bem” (nº 11.196/2005), a companhia conseguiu rastrear e inserir junto ao Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação um total de R$ 17 milhões, aportados em projetos de inovação nos últimos três anos, rendendo um retorno total de R$ 3,6 milhões em benefícios.  

Leia mais »
Política de Gerenciamento Resíduos Sólidos

Política de gerenciamento de resíduos sólidos em instituições públicas

O presente estudo aborda a problemática ambiental da geração de resíduos sólidos e a inadequação do gerenciamento destes nas instituições públicas. Considerando as limitações das opções de destinação final para os resíduos, é imprescindível minimizar as quantidades utilizadas dentro destas organizações por meio da redução, reutilização e reciclagem. Diante da Política Nacional de Resíduos Sólidos e em consonância com a agenda 2030, busca-se contribuir e apontar caminhos para o enfrentamento da grave questão.

Leia mais »