saneamento basico

(RJ) Cantagalo quer intensificar coleta seletiva de lixo na cidade

Cantagalo, Região Serrana do Rio, quer intensificar a coleta seletiva de lixo doméstico no município que possui uma usina de reciclagem e compostagem capaz de tratar quase 100% do lixo gerado na cidade. O objetivo é trabalhar a educação ambiental da sociedade em busca de ampliação da coleta seletiva.

Durante reunião nesta quarta-feira (26), prefeitura e representantes de vários segmentos se reuniram com o Instituto Estadual do Ambiente (Inea) e debateram o Programa Coleta Seletiva Solidária, do Governo do Estado, que visa auxiliar os municípios no cumprimento das diretrizes da Lei 12.305/2010, que instituiu a Política Nacional de Resíduos Sólidos (PNRS).

De acordo com o Inea, estamos bastante avançados por termos a estrutura, a experiência e uma gestão de resíduos que tem dado certo. Hoje, a maior parte do lixo coletado é reciclado. O lixo orgânico é composto e se transforma em adubo, que é entregue, de graça, aos produtores do município. O lixo hospitalar, que inclui os de consultório dentário, laboratórios, farmácias e estabelecimentos afins, é destruído através de incineração. O rejeito, ou seja, aquilo que não tem como ser aproveitado, como as fraldas descartáveis, material de uso sanitário, entre outros, é destinado ao aterro sanitário de Santa Maria Madalena, que também é regional e licenciado pelo Inea. Enfim, o que temos que fazer é, basicamente, a orientação à população sobre a separação do lixo seco do lixo molhado e, gradativamente, a implantação do sistema solidário, para atender à legislação nacional e ao meio ambiente“, explicou o prefeito Saulo Gouvea.

A apresentação do programa foi comandada por Rose Alves, assessora técnica do Inea. Ela relatou que esse trabalho vem sendo feito nos municípios fluminenses, citando Cantagalo como uma cidade que tem um sistema bastante avançado, eficiente e que só precisa de pequenos ajustes para, futuramente, passar a integrar a coleta seletiva solidária.

Uma conscientização adequada nas escolas, no comércio e um trabalho de porta em porta, contando com parceiras como as secretarias municipais de Saúde, de Educação e de Assistência Social, será um instrumento rápido e eficaz no caso de Cantagalo”, relatou Rose.

Fonte: G1
Veja mais: http://g1.globo.com/rj/regiao-serrana/noticia/2014/02/cantagalo-rj-quer-intensificar-coleta-seletiva-de-lixo-na-cidade.html

Últimas Notícias:
greenTalks Sustentabilidade de Embalagens

greenTalks entrevista Bruno Pereira, CEO da Ecopopuli, sobre sustentabilidade de embalagens

O segundo episódio da temporada 2024 do videocast greenTalks – uma iniciativa pioneira entre a green4T e NEO MONDO para discutir o papel fundamental da tecnologia na promoção de um futuro mais sustentável – tem como entrevistado especial Bruno Pereira, Especialista em Sustentabilidade Positiva, Líder do Comitê de Sustentabilidade da Associação Brasileira de Embalagem (ABRE) e CEO da Ecopopuli.

Leia mais »
Gestão Resíduos Sólidos Urbanos

Estudo aponta caminhos para a gestão de resíduos sólidos urbanos

Apenas a cidade de São Paulo produz cerca de 20 mil toneladas de resíduos sólidos urbanos (RSU) todos os dias, sendo 12 mil domiciliares e 8 mil da limpeza urbana, decorrentes de atividades de varrição, recolhimento de restos de feiras, podas e capinas. Considerando somente as 12 mil toneladas produzidas nas residências, isso dá uma média de aproximadamente 1 quilo de lixo por habitante ao dia.

Leia mais »
Lei do Bem Cagece

Lei do Bem: Cagece alcança R$ 3,6 milhões em benefícios fiscais através de investimentos em projetos de inovação tecnológica

A Companhia de Água e Esgoto do Ceará (Cagece) é pioneira no Ceará em aliar os investimentos em projetos de inovação tecnológica e transformá-los em benefícios fiscais. Por meio da chamada “Lei do Bem” (nº 11.196/2005), a companhia conseguiu rastrear e inserir junto ao Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação um total de R$ 17 milhões, aportados em projetos de inovação nos últimos três anos, rendendo um retorno total de R$ 3,6 milhões em benefícios.  

Leia mais »
Política de Gerenciamento Resíduos Sólidos

Política de gerenciamento de resíduos sólidos em instituições públicas

O presente estudo aborda a problemática ambiental da geração de resíduos sólidos e a inadequação do gerenciamento destes nas instituições públicas. Considerando as limitações das opções de destinação final para os resíduos, é imprescindível minimizar as quantidades utilizadas dentro destas organizações por meio da redução, reutilização e reciclagem. Diante da Política Nacional de Resíduos Sólidos e em consonância com a agenda 2030, busca-se contribuir e apontar caminhos para o enfrentamento da grave questão.

Leia mais »