saneamento basico

ANP regula exploração de reservatórios não convencionais

Rio – A Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustível (ANP), publicou uma nova resolução para estabelecer os padrões de segurança operacional e ambiental para a perfuração em rochas de baixa permeabilidade, conhecidas como reservatórios não convencionais.

A técnica de fraturamento hidráulico para exploração dessas áreas é utilizada para produção de hidrocarbonetos não convencionais, como o shale gás e o tight oil. As técnicas para esse tipo de exploração são amplamente criticadas em função dos impactos ambientais, que a resolução da agência tenta minimizar.

O documento, publicado no Diário Oficial na última semana, estabelece uma série de critérios a serem considerados pelos consórcios operadores quando da realização de perfurações com a técnica. Entre as determinações, a ANP define que os operadores devem apresentar uma análise de risco ‘multidisciplinar’ sobre a perfuração, indicando potenciais problemas de aspectos operacionais e ambientais.

A resolução também prevê a elaboração de um plano de emergência com “medidas que determinam e estabelecem as responsabilidades setoriais e as ações a serem desencadeadas imediatamente após um incidente, bem como definem os recursos humanos, materiais e equipamentos adequados à prevenção, controle e resposta ao incidente”, diz o documento.

O operador também deverá realizar testes e modelagens sobre a capacidade dos reservatórios, garantindo que estes sejam localizados à distância superior a 200 metros de poços de água para abastecimento doméstico ou uso humano. Além disso, as perfurações precisarão mapear os aquíferos existentes no raio de ação do reservatório. Também será necessário obter licenças ambientais específicas dos órgãos de proteção ambiental.

Fonte: Exame
Veja mais: http://exame.abril.com.br/brasil/noticias/anp-regula-exploracao-de-reservatorios-nao-convencionais

Últimas Notícias:
greenTalks Sustentabilidade de Embalagens

greenTalks entrevista Bruno Pereira, CEO da Ecopopuli, sobre sustentabilidade de embalagens

O segundo episódio da temporada 2024 do videocast greenTalks – uma iniciativa pioneira entre a green4T e NEO MONDO para discutir o papel fundamental da tecnologia na promoção de um futuro mais sustentável – tem como entrevistado especial Bruno Pereira, Especialista em Sustentabilidade Positiva, Líder do Comitê de Sustentabilidade da Associação Brasileira de Embalagem (ABRE) e CEO da Ecopopuli.

Leia mais »
Gestão Resíduos Sólidos Urbanos

Estudo aponta caminhos para a gestão de resíduos sólidos urbanos

Apenas a cidade de São Paulo produz cerca de 20 mil toneladas de resíduos sólidos urbanos (RSU) todos os dias, sendo 12 mil domiciliares e 8 mil da limpeza urbana, decorrentes de atividades de varrição, recolhimento de restos de feiras, podas e capinas. Considerando somente as 12 mil toneladas produzidas nas residências, isso dá uma média de aproximadamente 1 quilo de lixo por habitante ao dia.

Leia mais »
Lei do Bem Cagece

Lei do Bem: Cagece alcança R$ 3,6 milhões em benefícios fiscais através de investimentos em projetos de inovação tecnológica

A Companhia de Água e Esgoto do Ceará (Cagece) é pioneira no Ceará em aliar os investimentos em projetos de inovação tecnológica e transformá-los em benefícios fiscais. Por meio da chamada “Lei do Bem” (nº 11.196/2005), a companhia conseguiu rastrear e inserir junto ao Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação um total de R$ 17 milhões, aportados em projetos de inovação nos últimos três anos, rendendo um retorno total de R$ 3,6 milhões em benefícios.  

Leia mais »
Política de Gerenciamento Resíduos Sólidos

Política de gerenciamento de resíduos sólidos em instituições públicas

O presente estudo aborda a problemática ambiental da geração de resíduos sólidos e a inadequação do gerenciamento destes nas instituições públicas. Considerando as limitações das opções de destinação final para os resíduos, é imprescindível minimizar as quantidades utilizadas dentro destas organizações por meio da redução, reutilização e reciclagem. Diante da Política Nacional de Resíduos Sólidos e em consonância com a agenda 2030, busca-se contribuir e apontar caminhos para o enfrentamento da grave questão.

Leia mais »