saneamento basico

Setor elétrico corre para finalizar obras para Mundial

São Paulo – A pouco mais de um mês para o início da Copa do Mundo no Brasil, distribuidoras de energia elétrica ainda correm para finalizar obras necessárias ao atendimento público durante o evento, sendo que alguns empreendimentos só deverão ficar prontos em maio, às vésperas da competição.

A demora para concluir todas as obras ocorre apesar de algumas concessionárias terem reduzido a lista de empreendimentos considerados essenciais para a realização do evento, e a expectativa é que tudo deva estar concluído em maio, conforme apuração da Reuters com as distribuidoras de energia.

Embora a maioria dos projetos esteja pronta e empresas afirmem que o atendimento está garantido, em alguns Estados, obras relacionadas ao fornecimento de energia para os estádios que abrigarão partidas da Copa ainda não foram totalmente concluídas. Algumas dessas obras já eram apontadas por atrasos pela Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) em relatório emitido em fevereiro.

A Aneel deve divulgar em breve uma nota técnica atualizada com informações sobre as obras. A Reuters entrou em contato com as distribuidoras de energia, separadamente, para verificar o avanço dos trabalhos informado à Aneel em 10 de abril para a confecção do relatório atualizado a ser publicado.

A concessionária paranaense Copel era uma das apontadas em fevereiro como empresa que teria três obras diretamente relacionadas ao estádio de Curitiba não concluídas. Mas, segundo o superintendente de engenharia de expansão da distribuição da Copel, Fernando Gruppelli Jr., as obras relacionadas à Arena da Baixada estão concluídas desde dezembro, e a empresa já comunicou à Aneel que houve um erro no relatório de fevereiro.

Ele afirmou que a Copel tem 60 por cento das obras para a Copa concluídas ou em fase de conclusão, mas que tudo será terminado até maio. O primeiro jogo em Curitiba ocorre em 15 de junho.

Gruppelli explicou que algumas linhas de energia previstas para ficarem prontas dependem de entrada em operação de uma subestação de energia. “A subestação Santa Quitéria foi concedida em leilão. A data prevista no contrato de concessão é 10 de maio”, disse ele.

A subestação Santa Quitéria é de responsabilidade da Caiuá Transmissora, empresa formada por Elecnor e Copel Geração e Transmissão. A Caiuá confirmou que a obra estará pronta até 10 de maio, conforme previsto no contrato de concessão.

Uma outra obra importante para a Copa é a Subestação Menino Deus, em Porto Alegre, considerada uma das principais fontes de alimentação do Estádio Beira Rio, e cuja construção está a cargo da distribuidora gaúcha CEEE-D. O presidente do Grupo CEEE, Gerson Carrion, garantiu que a obra fica pronta até o fim de abril.

A CEEE-D inicialmente considerava 22 obras como prioritárias para a Copa do Mundo. Porém, a companhia revisou os números e atualmente oito são consideradas vinculadas à Copa. Dessas oito, cinco foram concluídas e as outras três têm 80 por cento das obras executadas. “As outras (14) serão executadas ao longo de 2014 e primeiro trimestre de 2015”, disse Carrion.

Manaus

Outra preocupação era com a obra para atendimento do estádio de Manaus e que envolve a subestação Seringal Mirim, de responsabilidade da Amazonas Energia. A empresa informou que essa obra será concluída totalmente até maio e que os dois alimentadores destinados à Arena da Amazônia estão concluídos.

A Aneel também aponta outras obras como importantes para aumentar a confiabilidade do atendimento da região de Manaus, embora não tenham sido incluídas no rol de empreendimentos necessários para a Copa. Essas obras, que podem ajudar a evitar apagões, envolvem as linhas de transmissão Mauá 3 – Jorge Teixeira, da Amazonas Energia, e Jorge Teixeira – Lechuga, da Eletronorte. Uma subestação, a Jorge Teixeira, também da Amazonas Energia, faz parte do conjunto.

A Amazonas Energia informou que sua linha e subestação serão concluídas até o fim de abril. Já a linha Jorge Teixeira-Lechuga, de 230 KV e a cargo da Eletronorte, empresa da Eletrobras, foi concluída em 14 de março, disse a empresa.

Na Bahia, a linha de transmissão Federação-Fonte Nova, ficará pronta em maio, disse a distribuidora Coelba. Segundo a empresa, essa linha de transmissão “não compromete o fornecimento de energia à Copa” e a finalização está dentro do cronograma estabelecido pela concessionária. No relatório da Aneel de fevereiro, no entanto, essa obra constava como uma das destinadas a atender o estádio da Copa em Salvador.

Em Minas Gerais, a Cemig informou que um alimentador que atende o Mineirão ainda não foi concluído mas que com 93 por cento de execução, ficará pronto em maio. Segundo a Cemig, para as obras que ainda não foram concluídas existem planos de contingência que asseguram o fornecimento de energia elétrica “com qualidade e segurança”.

Outras empresas como a paulista Eletropaulo, a fluminense Light, a CEB de Brasília, afirmaram que estão com todas as obras ou a maior parte delas concluídas e que não haverá riscos ao fornecimento de energia durante as partidas Copa.

Fonte: Exame
Veja Mais: http://exame.abril.com.br/brasil/noticias/setor-eletrico-corre-para-finalizar-obras-para-mundial?page=3

Últimas Notícias:
greenTalks Sustentabilidade de Embalagens

greenTalks entrevista Bruno Pereira, CEO da Ecopopuli, sobre sustentabilidade de embalagens

O segundo episódio da temporada 2024 do videocast greenTalks – uma iniciativa pioneira entre a green4T e NEO MONDO para discutir o papel fundamental da tecnologia na promoção de um futuro mais sustentável – tem como entrevistado especial Bruno Pereira, Especialista em Sustentabilidade Positiva, Líder do Comitê de Sustentabilidade da Associação Brasileira de Embalagem (ABRE) e CEO da Ecopopuli.

Leia mais »
Gestão Resíduos Sólidos Urbanos

Estudo aponta caminhos para a gestão de resíduos sólidos urbanos

Apenas a cidade de São Paulo produz cerca de 20 mil toneladas de resíduos sólidos urbanos (RSU) todos os dias, sendo 12 mil domiciliares e 8 mil da limpeza urbana, decorrentes de atividades de varrição, recolhimento de restos de feiras, podas e capinas. Considerando somente as 12 mil toneladas produzidas nas residências, isso dá uma média de aproximadamente 1 quilo de lixo por habitante ao dia.

Leia mais »
Lei do Bem Cagece

Lei do Bem: Cagece alcança R$ 3,6 milhões em benefícios fiscais através de investimentos em projetos de inovação tecnológica

A Companhia de Água e Esgoto do Ceará (Cagece) é pioneira no Ceará em aliar os investimentos em projetos de inovação tecnológica e transformá-los em benefícios fiscais. Por meio da chamada “Lei do Bem” (nº 11.196/2005), a companhia conseguiu rastrear e inserir junto ao Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação um total de R$ 17 milhões, aportados em projetos de inovação nos últimos três anos, rendendo um retorno total de R$ 3,6 milhões em benefícios.  

Leia mais »
Política de Gerenciamento Resíduos Sólidos

Política de gerenciamento de resíduos sólidos em instituições públicas

O presente estudo aborda a problemática ambiental da geração de resíduos sólidos e a inadequação do gerenciamento destes nas instituições públicas. Considerando as limitações das opções de destinação final para os resíduos, é imprescindível minimizar as quantidades utilizadas dentro destas organizações por meio da redução, reutilização e reciclagem. Diante da Política Nacional de Resíduos Sólidos e em consonância com a agenda 2030, busca-se contribuir e apontar caminhos para o enfrentamento da grave questão.

Leia mais »