saneamento basico

Comparativo dos resultados na gestão de ETE (estudo de caso)

Resumo

Em 2008 a administração municipal iniciou o projeto para a universalização do esgotamento sanitário no município de Mogi Mirim com a implantação do modelo de concessão à administração privada por meio de criação de uma SPE – Sesamm, Serviços de Saneamento de Mogi Mirim S/A. Essa empresa formada pela parceria entre a GS Inima, Sabesp e ECS, complementou o sistema de coleta, construiu e opera a ETE Mogi Mirim, inaugurada em 1º de junho de 2012.
Esse modelo foi um marco para o setor de saneamento, firmando a primeira parceria entre uma empresa estadual de saneamento e a iniciativa privada.
Passados quatro anos de operação, o sucesso do projeto é apresentado por meio dos resultados obtidos até o momento, considerando os aspectos técnicos, jurídicos, ambientais administrativos e de gestão.
Diante da maior crise econômica vivida, aliada a histórica carência de recursos e resultados para o setor de saneamento, é imperioso para sobrevivência das futuras gerações que novos modelos de formação de empresas, que possam investir e operar nos municípios, sejam apresentados à sociedade, fomentando assim um prodigioso debate sobre quando teremos as cidades saneadas.
O presente trabalho irá apresentar o modelo aplicado no projeto seus resultados, operacionais e de gestão de ETE da Sesamm – Serviços de Saneamento de Mogi Mirim S/A.

Introdução

A administração pública brasileira enfrenta fortes desafios para o atendimento das necessidades da população especialmente neste século globalizado e conectado, onde as pessoas circulam livremente por meio de seus smartphones e tablets, conferindo assim uma necessidade de mudanças nas decisões de planejamento e políticas públicas.

O saneamento básico brasileiro apresenta uma defasagem histórica e crônica na maioria de nossas cidades, atualmente se encontra na 112ª posição conforme o ranking feito pelo World Development Indicators.

Passados 16 anos do século XXI, apenas xx% das cidades com até 100 mil habitantes tem o sistema de esgotamento sanitário completo: coleta e tratamento.

O município de Mogi Mirim que até 2008 que não apresentava nenhum índice de tratamento dos esgotos, iniciou a implementação de um projeto de concessão em parceria com a iniciativa privada.

Um dos principais aspectos da gestão pública é assegurar o “gasto ótimo” dos recursos, para isso, seus projetos precisam ter um nível de atendimento e acertos muito próximos do ideal. É necessário que haja uma ampla participação de diferentes atores que contribuam para elaboração e adequação de projetos, o que pretendemos apresentar neste trabalho.

Esperamos demonstrar com nossos resultados que é possível, dentro de um prazo razoável o saneamento de nossas cidades com a utilização de novos modelos de negócios atendendo plenamente às necessidades ambientais e os anseios da população, contribuindo assim para o pleno desenvolvimento das cidades.

Autores: Carlos Roberto Ferreira; Eliane Rodrigues de Almeida Florio e Sirlei Cristiana Brignoli.

baixe-aqui

Últimas Notícias:
Projetos ESG Resultados no Saneamento

Projetos ESG e seus resultados no saneamento

Projetos ESG são práticas adotadas por empresas com base em critérios ambientais, sociais e de governança corporativa. A implementação bem-sucedida de projetos ESG reduz riscos e impactos sociais, ambientais e financeiros das operações. Dessa forma, atraem investidores e contribuem para a sustentabilidade das atividades.

Leia mais »
Descarte Correto de Resíduos

Saiba como descartar resíduos corretamente e evitar doenças como a dengue

Além de crime ambiental, o descarte irregular de resíduos sólidos traz diversos prejuízos ao meio ambiente e à população. Estes pontos se tornam ambientes propícios para a proliferação de vetores de doenças, levando às situações de alagamentos em período de chuva, comprometendo a qualidade do ambiente e da paisagem do local, além de gerar o aumento dos custos públicos com a remoção do material descartado de forma incorreta e também dos gastos com saúde pública.

Leia mais »
Contrato Sabesp Vale do Paraíba

Novo contrato da Sabesp prevê aporte de R$ 18,6 bilhões no Vale do Paraíba até 2060

Atualmente em consulta pública, o novo contrato da Sabesp encontra-se em processo de desestatização, proposto pelo governo do estado de São Paulo. Os investimentos estão previstos em R$ 18,6 bilhões até o ano de 2060, no Vale do Paraíba e Litoral Norte. Cerca de R$ 5 bilhões serão destinados à universalização do saneamento básico nas 28 cidades atendidas pela Sabesp na região até 2029. As obras que pretendem levar água potável, coleta e tratamento de esgoto para toda a população, foram definidas com as prefeituras.

Leia mais »
Dmae Fumaça Ligações Irregulares

Dmae de Uberlândia/MG vai iniciar testes de fumaça para identificar ligações irregulares de esgoto

A partir da próxima segunda-feira (4), o Departamento Municipal de Água e Esgoto (Dmae) iniciará testes de fumaça para detectar ligações irregulares na rede de esgoto do município. O primeiro bairro atendido será a região do bairro Pampulha. O local em questão foi escolhido para iniciar os trabalhos devido ao grande número de chamados para desobstrução de rede, especialmente em período de chuva. Futuramente, outros bairros da cidade receberam os mesmos testes.

Leia mais »
Manejo de Resíduos Biometano Brasileiro

Ao custo global de R$ 3,1 tri, manejo de resíduos pode virar negócio, como o biometano brasileiro

Segundo alerta feito pela ONU nesta quarta-feira, 28, o volume de resíduos no mundo, que atingiu 2,3 bilhões de toneladas em 2023, continuará crescendo exponencialmente, até 3,8 bilhões de toneladas até meados deste século. A crise será ainda mais grave nos países onde os métodos de tratamento ainda são poluentes: aterros sanitários (contaminação do solo, emissões de poluentes e gases de efeito estufa, como o metano) e incineração sem recuperação.

Leia mais »
Sanasa Campinas Saneamento Básico

Campinas tem saneamento superior à média nacional

Dados do “Censo 2022: Características dos domicílios – Resultados do universo”, publicados na sexta-feira (23) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) confirmam a elevação dos indicadores de moradores com acesso ao saneamento básico em Campinas.

Leia mais »