saneamento basico
BRK ETE Lontra

Evolução no tratamento de esgoto em Mauá/SP reforça compromisso com o meio ambiente

Evolução no tratamento de esgoto em Mauá

Coletar, tratar e destinar corretamente o esgoto são ações que impactam diretamente na preservação do meio ambiente e na qualidade de vida da população, minimizando os riscos de doenças relacionadas ao saneamento ambiental. Neste aspecto, Mauá deu um salto incontestável de eficiência nas duas últimas décadas. No período, a BRK, concessionária responsável pelos serviços de esgoto do município, elevou o índice de tratamento a 89%, um dos melhores da Região Metropolitana de São Paulo.

A BRK elevou de zero para 89% o índice de tratamento do efluente e caminha para a universalização

O dado é marcante se resgatarmos na história o fato de que vinte anos atrás não havia tratamento de esgoto em Mauá. Mas desde a inauguração da Estação de Tratamento de Esgoto (ETE) Mauá, que entrou em operação em 2015, o cenário mudou.

Com investimentos em obras e tecnologia moderna, o volume de esgoto tratado cresceu exponencialmente e caminha para a universalização. Em Mauá, além dos 89% de tratamento, a marca de 93% de coleta é outro fator que destaca o município entre seus vizinhos.

Tecnologia canadense que dispensa produtos químicos

Na ETE Mauá, o modelo de tratamento adotado pela BRK é o de Reatores de Batelada Sequenciais Avançado, uma tecnologia canadense que opera por ciclos pré-estabelecidos e que dispensa o uso de produtos químicos. Tudo se dá por etapas e a primeira delas consiste em coletar e bombear o esgoto por meio de mais de 615 quilômetros de redes até a estação de tratamento.

De início, os resíduos maiores são retidos em um processo chamado de gradeamento. Em seguida o esgoto passa pela remoção de areia e é encaminhado para os biorreatores, onde o tratamento biológico começa. É nesta fase que microrganismos se encarregam de eliminar os poluentes do material.

Quando esse processo termina, a parte líquida que sobra, já com o devido tratamento e dentro das especificações exigidas pela legislação, retorna ao rio Tamanduateí. O resíduo sólido segue para o aterro sanitário, sem risco ambiental.

“A elevada eficiência no tratamento reflete na melhora expressiva da qualidade da água do rio Tamanduateí e de seus afluentes. Isso reforça o nosso compromisso com o município e sua população”, afirma o gerente de operações da BRK em Mauá, Bruno Gravatá.

55 milhões de litros de esgoto tratados diariamente

Os três tanques de tratamento da ETE operam em ciclos de quatro horas e juntos têm capacidade para tratar uma vazão de até 1.125 litros por segundo ao todo (375 litros por segundo cada um deles). O volume diário recebido pela ETE é de cerca de 55 milhões de litros de esgoto, algo equivalente a 22 piscinas olímpicas.

“Nos últimos anos temos avançado de forma significativa na proposta de universalização do saneamento em Mauá. São investimentos e um trabalho árduo de uma equipe comprometida a oferecer o melhor serviço à população. Os dados comprovam nosso empenho em preservar o meio ambiente, com um tratamento eficaz, gerando também mais qualidade de vida à população”, destaca Gravatá.

Fonte: ABC do ABC.

Últimas Notícias:
Concessão Saneamento Itaú de Minas

Concessão do saneamento de Itaú de Minas já tem interessadas

Pelo menos duas empresas de saneamento do setor privado manifestaram interesse na concessão do serviço em Itaú de Minas, no Sul do Estado, durante a etapa de consulta pública, concluída em 21 de janeiro deste ano. As empresas são a Cristalina Saneamento e a Orbis Ambiental, que também disputou a licitação do serviço em Alpinópolis, cidade da mesma região e de tamanho similar a Itaú.

Leia mais »
Serviços de Coleta de Lixo

Mais de 90% dos brasileiros contam com serviço de coleta de lixo

Os serviços de coleta de lixo, direta ou indireta, beneficiavam 90,9% dos brasileiros em 2022, segundo dados do Censo 2022 divulgados na sexta-feira (23) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). A pesquisa mostra que 82,5% dos moradores têm seus resíduos sólidos coletados diretamente no domicílio por serviços de limpeza.

Leia mais »
Risco Ambiental Fármacos Esgoto

Avaliação de risco ambiental de fármacos e desreguladores endócrinos presentes no esgoto sanitário brasileiro

Este estudo investigou a ocorrência, remoção e impacto na biota aquática de 19 contaminantes de preocupação emergente (CEC) comumente reportados no esgoto brasileiro bruto e/ou tratado. Para 14 CEC (E1, E2, EE2, GEN, DCF, PCT, BPA, IBU, NPX, CAF, TMP, SMX, CIP, LEV), sua presença em esgoto tratado apresentou um alto risco ambiental em pelo menos 2 dos 6 cenários de diluição considerados.

Leia mais »