saneamento basico
brasil-water-week

Brazil Water Week 2022 – Semana da Água no Brasil começa com autoridades do país e internacionais e discussões sobre a universalização do saneamento em áreas de baixa renda, regulação e reúso de água

A Brazil Water Week 2022 – Semana da Água no Brasil, promovida pela ABES – Associação Brasileira de Engenharia Sanitária e Ambiental, começou nesta segunda, 23 de maio, com presenças de autoridades do Brasil e internacionais. A solenidade online contou com as participações de Pedro Maranhão, secretário nacional de Saneamento, Rodrigo Garcia, governador de São Paulo; Benedito Braga, presidente da Sabesp; Verônica Sanchez da Cruz Rios, diretora-presidente da ANA – Agência Nacional de Águas e Saneamento Básico, Miguel da Silva Marques, presidente da Funasa – Fundação Nacional de Saúde, e dos especialistas internacionais Loïc Fauchon, presidente do Conselho Mundial da Água, Esteban Leigue, presidente da AIDIS – Associação Interamericana de Engenharia Sanitária e Ambiental, Jennifer Molwantwa, CEO da Water Research Commission, da África do Sul, e David Michaud, diretor de Água para a América Latina e Caribe  do Banco Mundial.

Evento online acontece até sexta-feira, 27. São cinco dias inteiros com mais de 40 horas de conteúdo, 7 grandes temas e 110 especialistas do Brasil e de outros 19 países, compartilhando suas experiências.

Pela ABES, participaram o presidente nacional, Alceu Guérios Bittencourt, o presidente da ABES-SP, Luiz Pladevall, e o secretário da Diretoria Nacional, Marcel Costa Sanches.

A coordenação da programação técnica é de Marisa Guimarães e Juliana Dutra, ambas diretoras da ABES Seção São Paulo.

Desafios para a universalização em áreas de baixa renda

A sessão “Água, saúde e saneamento para todos” abriu os debates técnicos nesta segunda-feira, 23 de maio.

O especialista sênior em saneamento do Banco Mundial, Jean-Martin Brault, apresentou exemplos de como pensar diferente para atingir a universalização do saneamento com exemplos do Japão, Cingapura, Coréia do Sul, Malásia, Tailândia, Uruguai e África do Sul.

O debate teve também participações de Alexandre Bianchini, presidente da Águas do Rio – Aegea, e Marcello Xavier Veiga, superintendente de Planejamento e Desenvolvimento da Diretoria Metropolitana da Sabesp. A moderação da discussão foi realizada por Ernani Ciríaco, coordenador de Água e Esgoto da Superintendência de Regulação em Serviços da ANA – Agência Nacional de Águas e Saneamento Básico.

Saiba mais https://abes-dn.org.br/?p=48999

Economia Circular

Na primeira sessão da tarde desta segunda-feira, especialistas nacionais e internacionais discutiram “Reúso de água como estratégia para aumento da resiliência hídrica nas cidades inteligentes”, que faz parte do Tema 2 – Economia Circular.

Com moderação de Renato Giani Ramos, coordenador da Câmara Temática de Dessalinização e Reúso da ABES, a sessão contou com presenças dos especialistas internacionais Menahem Libhaber, Consultor do Banco Mundial (Israel/Estados Unidos); Nuno Brôco, Presidente Executivo da Águas de Portugal – Grupo AdP; e Stela Goldenstein, Country Coordinator do International Finance Corporation (IFC) – 2030 Water Resources Group.

Regulação

O primeiro dia foi encerrado com o “Tema 3 – Planejamento e Regulação”, apresentando a Sessão 3.1 – Desafios e oportunidades na transição de modelos regulatórios e operadores dos serviços de abastecimento de água e esgotamento sanitário no Brasil. O debate foi moderado por Luiz Antonio de Oliveira Junior, secretário da Câmara Temática de Regulação e Tarifa da ABES.

Para apresentar suas considerações e experiências no tema e as melhores práticas nacionais e internacionais, a sessão contou com participação de Cintia Leal Marinho de Araújo, superintendente de Regulação Econômica da Agência Nacional de Águas e Saneamento Básico – ANA; Rui Cunha Marques, professor catedrático do Instituto Superior Técnico da Universidade de Lisboa/Portugal; Fernanda Ruiz Nunez, Economista Sênior de Infraestrutura do Banco Mundial; e Marcel Sanches, superintendente de Assuntos Regulatórios da Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo – Sabesp e secretário geral da Diretoria Nacional da ABES.

A programação da Brazil Water Week é dividida em sete temas: Água, saneamento e saúde para todos; Economia circular; Planejamento e regulação; Gestão eficiente; Expansão da cooperação internacional e capacitação; Financiamento; e Meio Ambiente, mudanças climáticas e sustentabilidade. Todos os temas se relacionam com o Objetivo de Desenvolvimento Sustentável 6, estabelecido pela da Organização das Nações Unidas (ONU) – Água potável e saneamento para todos: garantir a disponibilidade e a gestão sustentável.

O evento tem patrocínio da Sabesp, ANA, Copasa, Embasa, Funasa, Aegea, Sanasa e Sanepar.

São cinco dias inteiros com mais de 40 horas de conteúdo online e 110 especialistas do Brasil e de outros 19 países, compartilhando suas experiências sobre os temas. O conteúdo da semana ficará disponível na plataforma por noventa dias para todos os inscritos. Na semana anterior, a BWW contou com seis sessões especiais gratuitas no canal da ABES no YouTube (assista aqui).

Mais informações: www.brazilwaterweek.com.br

Brazil Water Week 2022 – Semana da Água no Brasil

De 23 a 27 de maio

Evento online

Realização: ABES – Associação Brasileira de Engenharia Sanitária e Ambiental

Patrocínio: Sabesp, ANA, Copasa, Embasa, Funasa, Aegea, Sanasa e Sanepar

Últimas Notícias:
greenTalks Sustentabilidade de Embalagens

greenTalks entrevista Bruno Pereira, CEO da Ecopopuli, sobre sustentabilidade de embalagens

O segundo episódio da temporada 2024 do videocast greenTalks – uma iniciativa pioneira entre a green4T e NEO MONDO para discutir o papel fundamental da tecnologia na promoção de um futuro mais sustentável – tem como entrevistado especial Bruno Pereira, Especialista em Sustentabilidade Positiva, Líder do Comitê de Sustentabilidade da Associação Brasileira de Embalagem (ABRE) e CEO da Ecopopuli.

Leia mais »
Gestão Resíduos Sólidos Urbanos

Estudo aponta caminhos para a gestão de resíduos sólidos urbanos

Apenas a cidade de São Paulo produz cerca de 20 mil toneladas de resíduos sólidos urbanos (RSU) todos os dias, sendo 12 mil domiciliares e 8 mil da limpeza urbana, decorrentes de atividades de varrição, recolhimento de restos de feiras, podas e capinas. Considerando somente as 12 mil toneladas produzidas nas residências, isso dá uma média de aproximadamente 1 quilo de lixo por habitante ao dia.

Leia mais »
Lei do Bem Cagece

Lei do Bem: Cagece alcança R$ 3,6 milhões em benefícios fiscais através de investimentos em projetos de inovação tecnológica

A Companhia de Água e Esgoto do Ceará (Cagece) é pioneira no Ceará em aliar os investimentos em projetos de inovação tecnológica e transformá-los em benefícios fiscais. Por meio da chamada “Lei do Bem” (nº 11.196/2005), a companhia conseguiu rastrear e inserir junto ao Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação um total de R$ 17 milhões, aportados em projetos de inovação nos últimos três anos, rendendo um retorno total de R$ 3,6 milhões em benefícios.  

Leia mais »
Política de Gerenciamento Resíduos Sólidos

Política de gerenciamento de resíduos sólidos em instituições públicas

O presente estudo aborda a problemática ambiental da geração de resíduos sólidos e a inadequação do gerenciamento destes nas instituições públicas. Considerando as limitações das opções de destinação final para os resíduos, é imprescindível minimizar as quantidades utilizadas dentro destas organizações por meio da redução, reutilização e reciclagem. Diante da Política Nacional de Resíduos Sólidos e em consonância com a agenda 2030, busca-se contribuir e apontar caminhos para o enfrentamento da grave questão.

Leia mais »