saneamento basico

De licença médica, presidente da Sabesp não vai à CPI

São Paulo – A presidente da Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo (Sabesp), Dilma Pena, informou que não poderá prestar depoimento à Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Câmara Municipal de São Paulo nesta quarta-feira, 23, porque está de licença médica.

Ela foi convocada na semana passada pelos vereadores da comissão que investiga o contrato da Prefeitura de São Paulo com a Sabesp e os episódios de falta de água na capital após não ter atendido a um convite da CPI.

Em ofício enviado ao presidente da CPI, Laercio Benko (PHS), Dilma disse que foi submetida a um procedimento cirúrgico na laringe há três dias e que ainda está afastada da função por licença médica.

Ela disse que vai aguardar a alta para comunicar à CPI uma data possível para o depoimento.

“Respeitamos a condição de saúde dela, mas a população de São Paulo precisa de esclarecimentos. Não é possível que no meio dessa crise a Sabesp não tenha ninguém exercendo a função dela”, disse o vereador Benko, que é candidato a governador de São Paulo.

Desde o início da crise do Sistema Cantareira, em janeiro, Dilma não tem comparecido aos debates públicos sobre o tema.

Quase sempre a Sabesp é representada pelo diretor metropolitano Paulo Massato.

Benko disse que vai propor a convocação dele na sessão da CPI desta quarta.

Segundo ele, a Sabesp está querendo ganhar tempo para que não depor antes do primeiro turno das eleições, no dia 5 de outubro.

Já aliados do governador Geraldo Alckmin (PSDB), que é candidato à reeleição, acusam os vereadores da comissão de fazerem uso eleitoreiro da CPI.

Fonte e Agradecimentos: Equipe de Jornalismo Revista EXAME

Últimas Notícias:
greenTalks Sustentabilidade de Embalagens

greenTalks entrevista Bruno Pereira, CEO da Ecopopuli, sobre sustentabilidade de embalagens

O segundo episódio da temporada 2024 do videocast greenTalks – uma iniciativa pioneira entre a green4T e NEO MONDO para discutir o papel fundamental da tecnologia na promoção de um futuro mais sustentável – tem como entrevistado especial Bruno Pereira, Especialista em Sustentabilidade Positiva, Líder do Comitê de Sustentabilidade da Associação Brasileira de Embalagem (ABRE) e CEO da Ecopopuli.

Leia mais »
Gestão Resíduos Sólidos Urbanos

Estudo aponta caminhos para a gestão de resíduos sólidos urbanos

Apenas a cidade de São Paulo produz cerca de 20 mil toneladas de resíduos sólidos urbanos (RSU) todos os dias, sendo 12 mil domiciliares e 8 mil da limpeza urbana, decorrentes de atividades de varrição, recolhimento de restos de feiras, podas e capinas. Considerando somente as 12 mil toneladas produzidas nas residências, isso dá uma média de aproximadamente 1 quilo de lixo por habitante ao dia.

Leia mais »
Lei do Bem Cagece

Lei do Bem: Cagece alcança R$ 3,6 milhões em benefícios fiscais através de investimentos em projetos de inovação tecnológica

A Companhia de Água e Esgoto do Ceará (Cagece) é pioneira no Ceará em aliar os investimentos em projetos de inovação tecnológica e transformá-los em benefícios fiscais. Por meio da chamada “Lei do Bem” (nº 11.196/2005), a companhia conseguiu rastrear e inserir junto ao Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação um total de R$ 17 milhões, aportados em projetos de inovação nos últimos três anos, rendendo um retorno total de R$ 3,6 milhões em benefícios.  

Leia mais »
Política de Gerenciamento Resíduos Sólidos

Política de gerenciamento de resíduos sólidos em instituições públicas

O presente estudo aborda a problemática ambiental da geração de resíduos sólidos e a inadequação do gerenciamento destes nas instituições públicas. Considerando as limitações das opções de destinação final para os resíduos, é imprescindível minimizar as quantidades utilizadas dentro destas organizações por meio da redução, reutilização e reciclagem. Diante da Política Nacional de Resíduos Sólidos e em consonância com a agenda 2030, busca-se contribuir e apontar caminhos para o enfrentamento da grave questão.

Leia mais »