saneamento basico

Sabesp pede prazo para analisar proposta de Donisete

O prefeito de Mauá, Donisete Braga (PT), informou ontem que a Sabesp (Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo) pediu prazo de 30 a 40 dias para analisar proposta feita pelo Paço sobre amortização da dívida da Sama (Saneamento Básico do Município de Mauá) em troca de retomar a gerência do serviço de abastecimento na cidade.

Inicialmente, a empresa estadual teria se comprometido a se posicionar no dia 20 sobre ao pedido da administração. “Eles acabaram me pedindo mais dias para analisar as propostas. Estão fazendo contas. Em mais uns 30 ou 40 dias vão fazer um estudo”, revelou o prefeito.

No início do mês, Donisete apresentou à Sabesp critérios para possível retorno ao município. Para garantir o abatimento do passivo de R$ 1,8 bilhão da Sama com a estatal, o petista propôs que a companhia assumisse a Sama e, em troca, fizesse investimentos na ordem de R$ 153 milhões no setor – que sofre com precário sistema e com perdas e furtos de água –, como a construção de reservatórios.

“Estamos nessa expectativa. O presidente (da Sabesp, Jerson Kelman) está sendo atencioso e interessado em fazer essa parceria. Espero que nos próximos 30 dias a gente possa fazer um bom acordo para a Prefeitura, para a população e para a Sabesp”, frisou Donisete.

O acerto com a empresa estadual é dado como certo pelos corredores do Paço. O chefe do Executivo chegou a idealizar uma PPP (Parceria Público-Privada) para solucionar os problemas com a distribuição de água no município. O petista, entretanto, já admitiu enterrar a ideia caso a Sabesp concorde em retornar ao comando dos serviços em Mauá. As propostas feitas pelo prefeito à companhia, inclusive, estavam previstas para ceder à iniciativa privada por meio da PPP.

Fonte: G1
Foto: Google

Últimas Notícias:
greenTalks Sustentabilidade de Embalagens

greenTalks entrevista Bruno Pereira, CEO da Ecopopuli, sobre sustentabilidade de embalagens

O segundo episódio da temporada 2024 do videocast greenTalks – uma iniciativa pioneira entre a green4T e NEO MONDO para discutir o papel fundamental da tecnologia na promoção de um futuro mais sustentável – tem como entrevistado especial Bruno Pereira, Especialista em Sustentabilidade Positiva, Líder do Comitê de Sustentabilidade da Associação Brasileira de Embalagem (ABRE) e CEO da Ecopopuli.

Leia mais »
Gestão Resíduos Sólidos Urbanos

Estudo aponta caminhos para a gestão de resíduos sólidos urbanos

Apenas a cidade de São Paulo produz cerca de 20 mil toneladas de resíduos sólidos urbanos (RSU) todos os dias, sendo 12 mil domiciliares e 8 mil da limpeza urbana, decorrentes de atividades de varrição, recolhimento de restos de feiras, podas e capinas. Considerando somente as 12 mil toneladas produzidas nas residências, isso dá uma média de aproximadamente 1 quilo de lixo por habitante ao dia.

Leia mais »
Lei do Bem Cagece

Lei do Bem: Cagece alcança R$ 3,6 milhões em benefícios fiscais através de investimentos em projetos de inovação tecnológica

A Companhia de Água e Esgoto do Ceará (Cagece) é pioneira no Ceará em aliar os investimentos em projetos de inovação tecnológica e transformá-los em benefícios fiscais. Por meio da chamada “Lei do Bem” (nº 11.196/2005), a companhia conseguiu rastrear e inserir junto ao Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação um total de R$ 17 milhões, aportados em projetos de inovação nos últimos três anos, rendendo um retorno total de R$ 3,6 milhões em benefícios.  

Leia mais »
Política de Gerenciamento Resíduos Sólidos

Política de gerenciamento de resíduos sólidos em instituições públicas

O presente estudo aborda a problemática ambiental da geração de resíduos sólidos e a inadequação do gerenciamento destes nas instituições públicas. Considerando as limitações das opções de destinação final para os resíduos, é imprescindível minimizar as quantidades utilizadas dentro destas organizações por meio da redução, reutilização e reciclagem. Diante da Política Nacional de Resíduos Sólidos e em consonância com a agenda 2030, busca-se contribuir e apontar caminhos para o enfrentamento da grave questão.

Leia mais »