saneamento basico
Etanol Verde Consumo Hídrico

Etanol Mais Verde reduz consumo hídrico na produção de cana

Etanol Verde Consumo Hídrico

A reutilização da água e a colheita da cana-de-açúcar crua, sem queima, já resultaram em uma redução de 52% no consumo de água.

Como resultado, a safra 2022/2023, cultivada em uma área de 5,8 milhões de hectares, é uma das mais sustentáveis da última década.

De acordo com um levantamento realizado pelo programa Etanol Mais Verde, em colaboração com 127 usinas e associações participantes, a quantidade de água necessária é de apenas 0,74 metros cúbicos por tonelada de cana crua processada.

No início da série histórica, na safra 2010/2011, o consumo de água era de 1,52 metros cúbicos por tonelada.

Por meio de uma parceria estabelecida entre a Semil (Secretaria de Meio Ambiente, Infraestrutura e Logística), a Cetesb (Companhia Ambiental do Estado de São Paulo) e a SAA (Secretaria de Agricultura e Abastecimento), o programa Etanol Mais Verde tem proporcionado benefícios ambientais significativos, inclusive em relação às emissões de gases poluentes.

LEIA TAMBÉM: Empresa criada pela Cagece vai gerar energia renovável

Segundo o programa, durante o mesmo período, foram evitadas emissões de 12,2 milhões de toneladas de CO2 e 73,8 milhões de toneladas de outros poluentes atmosféricos, equivalentes à poluição gerada por 214 mil ônibus circulando ao longo de um ano. A safra atual é a 2ª consecutiva a não empregar queimadas antes da colheita.

“A implementação de medidas consistentes, como a reutilização da água e a colheita sem queima, resulta em benefícios concretos tanto ambientais quanto econômicos”, afirma a secretária Natália Resende.

“Dentro dessa abordagem de políticas públicas, o papel regulador do estado permite que tais iniciativas sejam sustentáveis ao longo do tempo e alcancem um impacto multiplicador”, diz a secretária, referindo-se a outro resultado positivo decorrente das ações do programa Etanol Mais Verde: o aumento das áreas cobertas por vegetação em matas ciliares.

Na safra atual, por outro lado, a área experimentou um crescimento contínuo e exponencial, atingindo a marca atual de 31.200 hectares, com um plantio médio de 2,6 milhões de mudas. Esse número total representa a preservação de 8.172 nascentes e cerca de 139 mil hectares de mata ciliar.

“O programa incentivou o setor produtivo a se comprometer ainda mais com o meio ambiente, passando a enxergar a sustentabilidade como um investimento vantajoso”, disse Rafael Frigério, responsável pela Coordenadoria de Fiscalização e Biodiversidade da Semil.

Programa Etanol Mais Verde

O Governo do Estado de São Paulo colabora, com o propósito de promover o desenvolvimento sustentável do setor e enfrentar os desafios da mecanização da colheita canavieira.

Então anualmente, as usinas participantes enviam documentos de acompanhamento para demonstrar o cumprimento das normas técnicas de sustentabilidade.

As diretrizes técnicas estabelecidas pelas usinas e pelos produtores de cana incluíam a eliminação da queima, a conformidade com o Código Florestal Brasileiro, a proteção e restauração das áreas ciliares, a preservação do solo e a reutilização da água.

Em conclusão o programa abrange, também, a utilização dos subprodutos da cana-de-açúcar, a implementação de medidas de proteção da fauna, a prevenção e combate a incêndios florestais, e diversas outras ações.

Fonte: Poder 360.

Últimas Notícias:
Repensando o Lixo

Repensando o lixo

Os dados são do último Panorama dos Resíduos Sólidos do Brasil, levantamento feito pela Associação Brasileira de Empresas de Limpeza Pública e Resíduos Especiais (Abrelpe) que expõe um tema delicado: a necessidade de repensar os hábitos cotidianos relacionados à produção de lixo.

Leia mais »