saneamento basico

Acciona Água vai tratar o esgoto do Rio Itapecerica

Depois de uma longa espera e anúncio de datas não cumpridas, enfim, parece que o esgoto despejado in-natura no rio Itapecerica começará a se tratado. O anúncio foi feito há cerca de dois anos, mas a população começou a pagar a taxa para a limpeza do rio, em fevereiro deste ano. De lá para cá, alguns prazos foram estabelecidos para o início dos trabalhos, o último deles, em agosto passado.
Em reunião no gabinete do prefeito Vladimir Azevedo (PSDB), em julho, foi detalhado o projeto para o início das obras, com a promessa até da vinda da presidente da Copasa, Sinara Meireles. Porém, as informações só foram concretizadas com vinda do governador Fernando Pimentel (PT), no dia 19 do mês passado. No dia, ele assinou liberação de R$ 240 milhões em investimentos na construção da Estação de Tratamento de Esgoto (ETE) do rio Itapecerica. Entretanto, mesmo com o anúncio do governador, as obras não deslancharam e, mais uma vez, foram motivo de reclamações, boa parte delas, nas reuniões dos vereadores na Câmara Municipal.
Agora, a previsão é que a eterna espera chegue ao final. A novidade é que a Acciona Agua, divisão de infraestrutura hídrica da empresa espanhola Acciona, ganhou a licitação para a gestão integral do sistema de saneamento de Divinópolis. O projeto prevê um contrato de aproximadamente R$ 420 milhões (97 milhões de euros), e será custeado em partes iguais com a Copasa, empresa mista responsável pela gestão do abastecimento e saneamento em Minas Gerais, já que se trata de um projeto de parceria público-privada (PPP). A concessão será por um período de 26 anos.
De acordo com a Acciona, PPPs para este tipo de projeto, são cada vez mais comuns no desenvolvimento de infraestruturas de águas na América Latina.
Etes
A Acciona, em parceria com as empresas locais GEL Engenharia e FB Participações, realizará o projeto, que prevê a construção e a implantação de duas estações de tratamento de águas residuais, 16 estações de bombeamento do sistema e a construção das redes de coletores de águas residuais da cidade, e também se encarregará de sua operação e manutenção nos próximos 26 anos.
Segundo a empresa, a maior planta programada, tem capacidade inicial de 400 litros por segundo e previsão de ampliação ao longo do período da concessão até alcançar 600 litros por segundo, prestará serviços a uma população de 228.600 habitantes. Além disso, as instalações terão 67,8 km de rede de esgotos e 6,1 km de coletores.
Como o resultado da licitação saiu no final da tarde de segunda-feira, a empresa ainda trabalha em um cronograma para a realização das obras, por isso, não foi possível informar ontem, a data do início dos serviços, o que deve ocorrer ainda esta semana.
Atuação
A Acciona começou suas operações no Brasil em 1996 e, atualmente, conta com um quadro de mais de 2.000 profissionais em todas suas principais áreas de negócios, além de Água.
Em julho do ano passado, a Acciona, em parceria com duas empresas, iniciou obras do sistema de saneamento de São Gonçalo, a segunda maior cidade do Rio de Janeiro, num valor global de 117 milhões de euros. O projeto, com um prazo de execução de 36 meses, inclui a recuperação ambiental das bacias hidrográficas dos rios Alcântara (que dá nome ao projeto) e Mutondo, e atenderá a uma população estimada de 250 mil habitantes.
Em Minas Gerais, a empresa realizou obras de remodelação e melhorias da planta de tratamento de águas de Arrudas (MG) instalações que atualmente também opera.

Últimas Notícias:
Risco Ambiental Fármacos Esgoto

Avaliação de risco ambiental de fármacos e desreguladores endócrinos presentes no esgoto sanitário brasileiro

Este estudo investigou a ocorrência, remoção e impacto na biota aquática de 19 contaminantes de preocupação emergente (CEC) comumente reportados no esgoto brasileiro bruto e/ou tratado. Para 14 CEC (E1, E2, EE2, GEN, DCF, PCT, BPA, IBU, NPX, CAF, TMP, SMX, CIP, LEV), sua presença em esgoto tratado apresentou um alto risco ambiental em pelo menos 2 dos 6 cenários de diluição considerados.

Leia mais »
greenTalks Sustentabilidade de Embalagens

greenTalks entrevista Bruno Pereira, CEO da Ecopopuli, sobre sustentabilidade de embalagens

O segundo episódio da temporada 2024 do videocast greenTalks – uma iniciativa pioneira entre a green4T e NEO MONDO para discutir o papel fundamental da tecnologia na promoção de um futuro mais sustentável – tem como entrevistado especial Bruno Pereira, Especialista em Sustentabilidade Positiva, Líder do Comitê de Sustentabilidade da Associação Brasileira de Embalagem (ABRE) e CEO da Ecopopuli.

Leia mais »
Gestão Resíduos Sólidos Urbanos

Estudo aponta caminhos para a gestão de resíduos sólidos urbanos

Apenas a cidade de São Paulo produz cerca de 20 mil toneladas de resíduos sólidos urbanos (RSU) todos os dias, sendo 12 mil domiciliares e 8 mil da limpeza urbana, decorrentes de atividades de varrição, recolhimento de restos de feiras, podas e capinas. Considerando somente as 12 mil toneladas produzidas nas residências, isso dá uma média de aproximadamente 1 quilo de lixo por habitante ao dia.

Leia mais »