saneamento basico

Governo tomará medidas preventivas para o abastecimento de água no segundo semestre – Piaui

Para que ações de prevenção sejam realizadas, foi criado um grupo de trabalho composto pelos órgãos que atuam na área de recursos hídricos.

O governador Wellington Dias reuniu-se, nesta quarta-feira (24), no Palácio de Karnak, com os gestores e representantes da empresa Eagea, Águas de Teresina, Sefaz, Sead, Agespisa, Iaespi, Emgerpi e Suparc. Durante o encontro, foi criado um grupo de trabalho para que medidas de prevenção possam ser tomadas quanto ao abastecimento de água no Piauí no segundo semestre do ano.

Segundo o governador, em 2016 o estado passou por graves situações, nas quais algumas regiões necessitaram ser atendidas com carro-pipa. “Neste ano analisaremos com antecedência os locais que precisam, por exemplo, de um gerador, de ampliação da armazenagem de água, de tecnologia, energia, dentre outros. Queremos garantir soluções para que tenhamos o melhor funcionamento do sistema em 2017”, destacou.

Todos os anos, a maior preocupação é o período entre setembro, outubro, novembro e dezembro. “É um época em que não chove e há a necessidade de trabalhar para garantir que haja água suficiente em todas as regiões. Por essa razão, o grupo composto por todos os órgãos que atuam na área de recursos hídricos atuarão de forma preventiva”, acrescentou Wellington Dias.

Para o presidente da Eagea, Hamilton Amadeo, é fundamental que a empresa esteja comprometida com o plano do governo que visa proporcionar, no menor espaço de tempo possível, a universalização dos serviços de água e esgotamento. “Hoje estamos reafirmando esse compromisso. Viemos também informar os primeiros passos que serão dados no sentido de eliminar, de maneira ágil, a falta de água na cidade”, apontou.

Ainda de acordo com o presidente, os primeiros passos consistem em alcançar cerca de 15 regiões com os maiores indícios de falta de água, preparando a capital para o próximo período de seca que se aproxima. “A estratégia que trouxemos foi melhorada com as sugestões do secretariado e pretendemos, em um prazo mais curto ainda, fazer as obras acontecerem antes do Brobró. A partir daí começaremos os trabalhos relacionados ao esgotamento para que possamos ter todos os serviços funcionando”, finalizou.

Autoria: Lorenna Costa
Fonte: http://www.pi.gov.br 

Últimas Notícias:
Risco Ambiental Fármacos Esgoto

Avaliação de risco ambiental de fármacos e desreguladores endócrinos presentes no esgoto sanitário brasileiro

Este estudo investigou a ocorrência, remoção e impacto na biota aquática de 19 contaminantes de preocupação emergente (CEC) comumente reportados no esgoto brasileiro bruto e/ou tratado. Para 14 CEC (E1, E2, EE2, GEN, DCF, PCT, BPA, IBU, NPX, CAF, TMP, SMX, CIP, LEV), sua presença em esgoto tratado apresentou um alto risco ambiental em pelo menos 2 dos 6 cenários de diluição considerados.

Leia mais »
greenTalks Sustentabilidade de Embalagens

greenTalks entrevista Bruno Pereira, CEO da Ecopopuli, sobre sustentabilidade de embalagens

O segundo episódio da temporada 2024 do videocast greenTalks – uma iniciativa pioneira entre a green4T e NEO MONDO para discutir o papel fundamental da tecnologia na promoção de um futuro mais sustentável – tem como entrevistado especial Bruno Pereira, Especialista em Sustentabilidade Positiva, Líder do Comitê de Sustentabilidade da Associação Brasileira de Embalagem (ABRE) e CEO da Ecopopuli.

Leia mais »
Gestão Resíduos Sólidos Urbanos

Estudo aponta caminhos para a gestão de resíduos sólidos urbanos

Apenas a cidade de São Paulo produz cerca de 20 mil toneladas de resíduos sólidos urbanos (RSU) todos os dias, sendo 12 mil domiciliares e 8 mil da limpeza urbana, decorrentes de atividades de varrição, recolhimento de restos de feiras, podas e capinas. Considerando somente as 12 mil toneladas produzidas nas residências, isso dá uma média de aproximadamente 1 quilo de lixo por habitante ao dia.

Leia mais »