saneamento basico

Brasil terá novo modelo de crédito para infraestrutura, diz Trabuco

O Brasil e os bancos passarão por um aprendizado a despeito de um novo modelo de crédito para investimento, consorciado e com menor participação do Estado, na opinião do presidente do Bradesco, Luiz Carlos Trabuco Cappi. “O modelo de crédito direcionado, em que o Estado compõe a taxa de retorno com juros favorecidos para o tomador, não será mais possível na plenitude de um ambiente de equilíbrio fiscal. Teremos um novo modelo de financiamento”, avaliou ele, em visita ao CIAB 2015, realizado pela Federação Brasileira de Bancos (Febraban).

Não caberá ao Estado, de acordo com ele, ser o único provedor de crédito para investimento. Esse segmento é, conforme Trabuco, uma prioridade para o Bradesco. “O Brasil continua a ser um excelente lugar para fazer aplicações em função da taxa de retorno bem diferente da Europa, Estados Unidos ou Ásia. Ao mesmo tempo, o Estado vai participar também (do crédito para infraestrutura). O Estado possui fundos importantes”, afirmou ele.

Segundo Trabuco, as reservas técnicas das seguradoras, previdência e fundo de pensão mostram que o Brasil tem funding.

“Todos nós vamos aprender a elaborar project finance dentro de uma nova realidade. Os bancos brasileiros possuem liquidez bastante grande. Quando comparados a outros bancos do mundo, possuem os mais altos níveis de compulsórios, que é um colchão de liquidez excepcional. Então, numa determinada hora, quando o PIB começar a funcionar, o Brasil vai botar esse dinheiro para funcionar”, concluiu Trabuco.

 

Fonte: EM.com

Últimas Notícias:
greenTalks Sustentabilidade de Embalagens

greenTalks entrevista Bruno Pereira, CEO da Ecopopuli, sobre sustentabilidade de embalagens

O segundo episódio da temporada 2024 do videocast greenTalks – uma iniciativa pioneira entre a green4T e NEO MONDO para discutir o papel fundamental da tecnologia na promoção de um futuro mais sustentável – tem como entrevistado especial Bruno Pereira, Especialista em Sustentabilidade Positiva, Líder do Comitê de Sustentabilidade da Associação Brasileira de Embalagem (ABRE) e CEO da Ecopopuli.

Leia mais »
Gestão Resíduos Sólidos Urbanos

Estudo aponta caminhos para a gestão de resíduos sólidos urbanos

Apenas a cidade de São Paulo produz cerca de 20 mil toneladas de resíduos sólidos urbanos (RSU) todos os dias, sendo 12 mil domiciliares e 8 mil da limpeza urbana, decorrentes de atividades de varrição, recolhimento de restos de feiras, podas e capinas. Considerando somente as 12 mil toneladas produzidas nas residências, isso dá uma média de aproximadamente 1 quilo de lixo por habitante ao dia.

Leia mais »
Lei do Bem Cagece

Lei do Bem: Cagece alcança R$ 3,6 milhões em benefícios fiscais através de investimentos em projetos de inovação tecnológica

A Companhia de Água e Esgoto do Ceará (Cagece) é pioneira no Ceará em aliar os investimentos em projetos de inovação tecnológica e transformá-los em benefícios fiscais. Por meio da chamada “Lei do Bem” (nº 11.196/2005), a companhia conseguiu rastrear e inserir junto ao Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação um total de R$ 17 milhões, aportados em projetos de inovação nos últimos três anos, rendendo um retorno total de R$ 3,6 milhões em benefícios.  

Leia mais »
Política de Gerenciamento Resíduos Sólidos

Política de gerenciamento de resíduos sólidos em instituições públicas

O presente estudo aborda a problemática ambiental da geração de resíduos sólidos e a inadequação do gerenciamento destes nas instituições públicas. Considerando as limitações das opções de destinação final para os resíduos, é imprescindível minimizar as quantidades utilizadas dentro destas organizações por meio da redução, reutilização e reciclagem. Diante da Política Nacional de Resíduos Sólidos e em consonância com a agenda 2030, busca-se contribuir e apontar caminhos para o enfrentamento da grave questão.

Leia mais »