saneamento basico

Títulos da Odebrecht sofrem queda após prisão de seu dono

São Paulo – A prisão do principal executivo e dono da Odebrecht na sexta-feira (19) já se reflete nos negócios com os papéis da dívida externa da empresa.

A média diária do volume de negócios com os bônus da Odebrecht está cinco vezes maior do que vinha registrando nos 15 dias anteriores à prisão de Marcelo Odebrecht. Além disso, os papéis chegaram a cair 9,5% nesta segunda-feira, 22, no pico de baixa do dia.

Dados repassados por operadores do mercado de renda fixa mostram que os negócios com bônus da Odebrecht somaram ontem US$ 14 milhões contra uma média de US$ 2,7 milhões que vinha sendo registrada.

Isso significa que cresceu em cinco vezes as compras e vendas do papel. Já os títulos da Andrade Gutierrez ficaram praticamente estáveis ontem, depois de terem perdido 15% do valor na sexta-feira.

Os volumes acima da média e a queda dos papéis expressam a preocupação dos investidores com os desdobramentos da prisão de Odebrecht.

Os investidores temem a perda do grau de investimento, que representa uma nota de crédito de alta confiança na empresa.

Mas também estão apreensivos quanto a possíveis multas a serem pagas pela companhia e à falta de acesso ao crédito e a novos contratos que podem afetar sua capacidade de pagamento da dívida externa, segundo profissionais do mercado secundário de dívida externa.

“Os investidores começam a ficar preocupados com o impacto das investigações daqui em diante na atividade da empresa no Brasil e no exterior e em sua capacidade de pagamento, por consequência”, disse o vice-presidente de renda fixa da INTL FCStone, Rodrigo Steiner. Ele lembra que a companhia tem muitas operações no exterior e que os eventos aumentam o risco de comprometimento da imagem da empresa também fora do Brasil.

Álibi

O responsável por renda fixa da corretora Andbank, em Miami, Carlos Gribel, acrescentou que, embora muitos dos argumentos que pesam contra os bônus não sejam novos, a prisão do executivo elimina o álibi de que não figurava no grupo de detidos pela Lava Jato, até então utilizado pela Odebrecht para se blindar do escândalo de propina na Petrobrás.

“No final das contas, a pressão vendedora é causada pela incerteza quanto à reação das agências de rating, aos montantes de eventuais multas, ausência de funding e o efeito em seu resultado, que certamente será afetado”, disse Gribel.

As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

http://exame.abril.com.br/negocios/noticias/odebrecht-ja-sofre-efeitos-no-mercado-de-acoes

 

Últimas Notícias:

#Comprometimento e Responsabilidade Técnica

Desde o início da criação da Comissão CE.010:105.007 – Comissão de Estudos de Produtos Químicos para Saneamento Básico, Água e Esgoto da Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT), em março de 2004, atuo como profissional voluntário e imparcial em prol da sociedade brasileira. Esta Comissão faz parte do CB-10, Comitê Brasileiro de Química da ABNT.

Leia mais »
Cagece Rede Esgoto Chuvas

Cagece orienta sobre cuidados com a rede de esgoto durante período chuvoso

Com o início quadra chuvosa em todo o Ceará, os cuidados com as redes de esgoto e de drenagem precisam ser redobrados, e para evitar obstruções, extravasamentos e alagamentos, a Companhia de Água e Esgoto do Ceará (Cagece) orienta que a população faça o uso correto dos dois sistemas. Dentre as principais orientações: não destinar água de chuva e lixo para a rede de esgoto da Cagece.

Leia mais »
Concessão Saneamento Itaú de Minas

Concessão do saneamento de Itaú de Minas já tem interessadas

Pelo menos duas empresas de saneamento do setor privado manifestaram interesse na concessão do serviço em Itaú de Minas, no Sul do Estado, durante a etapa de consulta pública, concluída em 21 de janeiro deste ano. As empresas são a Cristalina Saneamento e a Orbis Ambiental, que também disputou a licitação do serviço em Alpinópolis, cidade da mesma região e de tamanho similar a Itaú.

Leia mais »