saneamento basico

Campinas recebe eventos simultâneos de águas subterrâneas

Campinas receberá entre os dias 20 e 23 de setembro, no D. Pedro Expo, os maiores e mais importantes eventos simultâneos sobre águas subterrâneas do país: O XIX Congresso Brasileiro de Águas Subterrâneas, XX Encontro de Perfuradores de Poços e Fenágua 2016 – Feira nacional de Água.

Organizado pela ABAS – Associação Brasileira de Águas Subterrâneas, são esperados cerca de 800 congressistas brasileiros e estrangeiros para discussões técnicas, científicas e legais sobre a utilização, extração e o uso das águas subterrâneas, considerado o mais importante recurso de água doce do planeta.

A realização do congresso na cidade deu pelo fato da Região Metropolitana de Campinas apresentar grande vulnerabilidade dos sistemas de armazenamento de água quando submetidos a alterações climáticas sazonais de impacto, como a grave estiagem que ocorreu em 2015. No ano passado, 17 cidades da região estiveram em estado de alerta para o desabastecimento e dezenas em risco.

No Brasil, várias cidades são abastecidas total ou parcialmente por águas subterrâneas. O maior volume é destinado ao abastecimento público, embora Indústrias, propriedades rurais, escolas, hospitais e outros estabelecimentos utilizem, com frequência, água de poços profundos.

Em todo o planeta, as questões ambientais envolvendo as águas se multiplicam com o acréscimo de novas fontes de contaminação de solos, de águas subterrâneas e de novos cenários de aquíferos contaminados. Isso levou também ao aprimoramento do conhecimento hidrogeológico, com o desenvolvimento de melhores técnicas de análise e a busca por boas práticas e procedimentos para a solução dos problemas.

De acordo com a Associação Brasileira de Águas Subterrâneas (ABAS), apesar de o Brasil ser conhecido por abrigar em todo seu território expressivos mananciais hídricos subterrâneos representados pelos aquíferos, e da grande capacidade para atender a demanda, é necessário fazer uso racional e consciente da água subterrânea. Os riscos da superexploração em alguns trechos são grandes, assim como da contaminação dos aquíferos e do desperdício.

“Por falta de cultura, sempre nos vimos como um país com água abundante, mas poucos estão preocupados com ela”, diz o presidente da ABAS, Cláudio Oliveira. “As águas subterrâneas são importantes para a formação dos rios e grande parte do abastecimento no país. Se não houver planejamento e fiscalização, esse recurso também estará ameaçado com consequências terríveis”, alerta.

Com o tema “Águas subterrâneas nosso melhor recurso” o congresso discutirá conteúdos como: Planejamento e Gestão das Águas, Reservas, Recursos e potencialidade das águas subterrâneas, Contaminação das Águas Subterrâneas, Províncias Hidrogeológicas, Águas Subterrâneas em zonas costeiras, Ciclo hidrológico e balanço hídrico, Hidrogeologia em terrenos cristalinos, Aquífero Cársistico, Remediação de solos e águas subterrâneas, Locação, projeto e construção de poços, Reabilitação e manutenção de poços, Monitoramento das águas subterrâneas e vários outros. Clique aqui e veja a programação.

Para fazer chegar o assunto até a população, simultaneamente a ABAS preparou a Exposição gratuita “De onde vem a água que você bebe” que vai tratar o assunto com estações interativas, painéis fotográficos e holográficos entre outros recursos pedagógicos. Além disso, como parte de um programa educacional, haverá apresentações de peça de teatro e oficinas de arte que utilizam o Aquífero Guarani como ponto de partida.

SERVIÇO

XIX Congresso Brasileiro de Águas Subterrâneas / XX Encontro Nacional de Perfuradores de Poços / FENÁGUA 2016 – Feira Nacional da Água
Quando: 20 a 23 de setembro de 2016
Onde: Expo D. Pedro – Av. Guilherme Campos, 500 – Bloco II – Campinas – SP
Site do evento: http://www.abas.org/xixcabas/index.php
Realização: ABAS – Associação Brasileira de Águas Subterrâneas
Patrocínio: ANA – Agência Nacional de Águas

Últimas Notícias:
greenTalks Sustentabilidade de Embalagens

greenTalks entrevista Bruno Pereira, CEO da Ecopopuli, sobre sustentabilidade de embalagens

O segundo episódio da temporada 2024 do videocast greenTalks – uma iniciativa pioneira entre a green4T e NEO MONDO para discutir o papel fundamental da tecnologia na promoção de um futuro mais sustentável – tem como entrevistado especial Bruno Pereira, Especialista em Sustentabilidade Positiva, Líder do Comitê de Sustentabilidade da Associação Brasileira de Embalagem (ABRE) e CEO da Ecopopuli.

Leia mais »
Gestão Resíduos Sólidos Urbanos

Estudo aponta caminhos para a gestão de resíduos sólidos urbanos

Apenas a cidade de São Paulo produz cerca de 20 mil toneladas de resíduos sólidos urbanos (RSU) todos os dias, sendo 12 mil domiciliares e 8 mil da limpeza urbana, decorrentes de atividades de varrição, recolhimento de restos de feiras, podas e capinas. Considerando somente as 12 mil toneladas produzidas nas residências, isso dá uma média de aproximadamente 1 quilo de lixo por habitante ao dia.

Leia mais »
Lei do Bem Cagece

Lei do Bem: Cagece alcança R$ 3,6 milhões em benefícios fiscais através de investimentos em projetos de inovação tecnológica

A Companhia de Água e Esgoto do Ceará (Cagece) é pioneira no Ceará em aliar os investimentos em projetos de inovação tecnológica e transformá-los em benefícios fiscais. Por meio da chamada “Lei do Bem” (nº 11.196/2005), a companhia conseguiu rastrear e inserir junto ao Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação um total de R$ 17 milhões, aportados em projetos de inovação nos últimos três anos, rendendo um retorno total de R$ 3,6 milhões em benefícios.  

Leia mais »
Política de Gerenciamento Resíduos Sólidos

Política de gerenciamento de resíduos sólidos em instituições públicas

O presente estudo aborda a problemática ambiental da geração de resíduos sólidos e a inadequação do gerenciamento destes nas instituições públicas. Considerando as limitações das opções de destinação final para os resíduos, é imprescindível minimizar as quantidades utilizadas dentro destas organizações por meio da redução, reutilização e reciclagem. Diante da Política Nacional de Resíduos Sólidos e em consonância com a agenda 2030, busca-se contribuir e apontar caminhos para o enfrentamento da grave questão.

Leia mais »