saneamento basico

Lagoa da Pampulha deve ficar totalmente livre de esgoto em 2017

A bacia hidrográfica da Pampulha já está livre de 90% do esgoto que chega à lagoa, em Belo Horizonte. Até julho do próximo ano, o índice estará em 95%. O processo de limpeza da água da lagoa, por meio da aplicação de produtos, também resultou na redução drástica de matéria orgânica e de fósforo. E no próximo dia 15 de julho, o conjunto moderno da Pampulha pode se tornar patrimônio mundial.

O panorama apresentado acima foi tema de reunião realizada nessa quinta-feira (23) e acompanhada pela Comissão de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável da Assembleia Legislativa de Minas Gerais (ALMG). O encontro ocorreu na sede do Consórcio de Recuperação da Bacia da Pampulha, que reúne os municípios de Belo Horizonte e Contagem, na região metropolitana, além de associações civis e empresas públicas e privadas, entre outros. O consórcio atua em toda a bacia, em atividades contínuas, dentre as quais controle de erosões e de bota-fora clandestinos, monitoramento de nascentes e educação ambiental.

A visita ao local foi solicitada pela deputada Marília Campos (PT), que foi prefeita de Contagem por dois mandatos e participou das atividades iniciais do consórcio, criado em 2000. Também compareceu o deputado João leite (PSDB). O presidente do consórcio, Carlos Augusto Moreira, salientou a bacia tem 10 mil hectares e que tudo de bom e de ruim dessa área deságua na Lagoa da Pampulha, como milhares de metros cúbicos de sedimentos. “Um lago urbano é uma responsabilidade e um problema eternos”, afirmou.

De acordo com a Copasa, duas licitações homologadas nessa semana vão garantir, no prazo de um ano, a interceptação de 2.300 ligações de esgoto que chegam à lagoa. “Com isso, vamos atingir o percentual de 95% de coleta”, detalhou o diretor de Operação Metropolitana da companhia, Rômulo Perilli.

Tratamento alternativo melhora a qualidade da água

As ações de revitalização em andamento na lagoa foram apresentadas pelo gerente de Planejamento e Monitoramento Ambiental da Secretaria de Meio Ambiente da PBH, Weber Coutinho.

Em destaque, está o tratamento com bactérias que decompõem matéria orgânica do esgoto e com uma argila que absorve o fósforo. A primeira aplicação dos produtos, segundo Weber, resultou em quedas de 91,3% do fósforo, que deixa a água verde e com mau cheiro, 75% da clorofila e 49% do esgoto. Esse tratamento, segundo ele, terá que ser mantido, em função da poluição difusa da lagoa.

Há, ainda, segundo Weber Coutinho, um edital em elaboração para desassoreamento de manutenção, com meta de retirar 115 mil metros cúbicos de sedimentos/ano da lagoa até 2020. O secretário-executivo do consórcio, Paulo Maciel, salientou ser necessário também alterar as legislações, inclusive de incentivos fiscais, para reduzir a área de impermeabilização da bacia, garantindo a recarga hídrica.

Já José Geraldo de Oliveira Prado, da Administração Regional Pampulha, lembrou que uma provável inclusão do conjunto moderno da orla da lagoa na lista de Patrimônio Cultural da Humanidade da Unesco aumentará a visibilidade do local, mas também a pressão por sua conservação.

Da ALMG

Fonte: Bhaz.com.br

Últimas Notícias:
Projetos ESG Resultados no Saneamento

Projetos ESG e seus resultados no saneamento

Projetos ESG são práticas adotadas por empresas com base em critérios ambientais, sociais e de governança corporativa. A implementação bem-sucedida de projetos ESG reduz riscos e impactos sociais, ambientais e financeiros das operações. Dessa forma, atraem investidores e contribuem para a sustentabilidade das atividades.

Leia mais »
Descarte Correto de Resíduos

Saiba como descartar resíduos corretamente e evitar doenças como a dengue

Além de crime ambiental, o descarte irregular de resíduos sólidos traz diversos prejuízos ao meio ambiente e à população. Estes pontos se tornam ambientes propícios para a proliferação de vetores de doenças, levando às situações de alagamentos em período de chuva, comprometendo a qualidade do ambiente e da paisagem do local, além de gerar o aumento dos custos públicos com a remoção do material descartado de forma incorreta e também dos gastos com saúde pública.

Leia mais »
Contrato Sabesp Vale do Paraíba

Novo contrato da Sabesp prevê aporte de R$ 18,6 bilhões no Vale do Paraíba até 2060

Atualmente em consulta pública, o novo contrato da Sabesp encontra-se em processo de desestatização, proposto pelo governo do estado de São Paulo. Os investimentos estão previstos em R$ 18,6 bilhões até o ano de 2060, no Vale do Paraíba e Litoral Norte. Cerca de R$ 5 bilhões serão destinados à universalização do saneamento básico nas 28 cidades atendidas pela Sabesp na região até 2029. As obras que pretendem levar água potável, coleta e tratamento de esgoto para toda a população, foram definidas com as prefeituras.

Leia mais »
Dmae Fumaça Ligações Irregulares

Dmae de Uberlândia/MG vai iniciar testes de fumaça para identificar ligações irregulares de esgoto

A partir da próxima segunda-feira (4), o Departamento Municipal de Água e Esgoto (Dmae) iniciará testes de fumaça para detectar ligações irregulares na rede de esgoto do município. O primeiro bairro atendido será a região do bairro Pampulha. O local em questão foi escolhido para iniciar os trabalhos devido ao grande número de chamados para desobstrução de rede, especialmente em período de chuva. Futuramente, outros bairros da cidade receberam os mesmos testes.

Leia mais »
Manejo de Resíduos Biometano Brasileiro

Ao custo global de R$ 3,1 tri, manejo de resíduos pode virar negócio, como o biometano brasileiro

Segundo alerta feito pela ONU nesta quarta-feira, 28, o volume de resíduos no mundo, que atingiu 2,3 bilhões de toneladas em 2023, continuará crescendo exponencialmente, até 3,8 bilhões de toneladas até meados deste século. A crise será ainda mais grave nos países onde os métodos de tratamento ainda são poluentes: aterros sanitários (contaminação do solo, emissões de poluentes e gases de efeito estufa, como o metano) e incineração sem recuperação.

Leia mais »
Sanasa Campinas Saneamento Básico

Campinas tem saneamento superior à média nacional

Dados do “Censo 2022: Características dos domicílios – Resultados do universo”, publicados na sexta-feira (23) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) confirmam a elevação dos indicadores de moradores com acesso ao saneamento básico em Campinas.

Leia mais »