saneamento basico
Seca em Sergipe

Seca atinge a maioria dos municípios de Sergipe

Seca em Sergipe

A seca tem causados prejuízos em praticamente todo o estado de Sergipe, segundo o mapa do Monitor de Secas da Agência Nacional de Águas e Saneamento Básico (ANA).

O relatório aponta a redução da severidade da seca (de moderada para fraca) no Sul sergipano. Enquanto que a seca se manteve moderada nos territórios Centro-Sul, Agreste Central e Médio Sertão, e grave no Alto Sertão.

Na Grande Aracaju, Leste sergipano e Baixo São Francisco, a seca se manteve fraca.

Segundo a meteorologista Wanda Tathyana de Castro, da Secretaria de Estado do Meio Ambiente, Sustentabilidade e Ações Climáticas (Semac), de acordo com a climatologia e atuação do fenômeno climático El Niño, as condições indicam para a ocorrência de chuvas variando de normal a abaixo da média.

Seca em Sergipe

Ela também destaca as altas temperaturas, que favorecem o aumento da evapotranspiração e, consequentemente, diminuição das umidades do ar e do solo.

“No entanto, mediante as análises meteorológicas, há probabilidade de ocorrer alguns episódios de chuvas que tendem a contribuir com a diminuição do agravamento das condições de seca”, frisou.

É importante destacar que a intensidade de seca fraca causa impactos negativos no plantio de culturas e nas pastagens. Enquanto que a condição de seca moderada, além de gerar danos às culturas e pastagens, contribui para os baixos níveis de água nos reservatórios. Já a seca grave causa perdas de culturas e pastagens, como também contribui para a escassez de água.

Fonte: XN.

Últimas Notícias:
greenTalks Sustentabilidade de Embalagens

greenTalks entrevista Bruno Pereira, CEO da Ecopopuli, sobre sustentabilidade de embalagens

O segundo episódio da temporada 2024 do videocast greenTalks – uma iniciativa pioneira entre a green4T e NEO MONDO para discutir o papel fundamental da tecnologia na promoção de um futuro mais sustentável – tem como entrevistado especial Bruno Pereira, Especialista em Sustentabilidade Positiva, Líder do Comitê de Sustentabilidade da Associação Brasileira de Embalagem (ABRE) e CEO da Ecopopuli.

Leia mais »
Gestão Resíduos Sólidos Urbanos

Estudo aponta caminhos para a gestão de resíduos sólidos urbanos

Apenas a cidade de São Paulo produz cerca de 20 mil toneladas de resíduos sólidos urbanos (RSU) todos os dias, sendo 12 mil domiciliares e 8 mil da limpeza urbana, decorrentes de atividades de varrição, recolhimento de restos de feiras, podas e capinas. Considerando somente as 12 mil toneladas produzidas nas residências, isso dá uma média de aproximadamente 1 quilo de lixo por habitante ao dia.

Leia mais »
Lei do Bem Cagece

Lei do Bem: Cagece alcança R$ 3,6 milhões em benefícios fiscais através de investimentos em projetos de inovação tecnológica

A Companhia de Água e Esgoto do Ceará (Cagece) é pioneira no Ceará em aliar os investimentos em projetos de inovação tecnológica e transformá-los em benefícios fiscais. Por meio da chamada “Lei do Bem” (nº 11.196/2005), a companhia conseguiu rastrear e inserir junto ao Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação um total de R$ 17 milhões, aportados em projetos de inovação nos últimos três anos, rendendo um retorno total de R$ 3,6 milhões em benefícios.  

Leia mais »
Política de Gerenciamento Resíduos Sólidos

Política de gerenciamento de resíduos sólidos em instituições públicas

O presente estudo aborda a problemática ambiental da geração de resíduos sólidos e a inadequação do gerenciamento destes nas instituições públicas. Considerando as limitações das opções de destinação final para os resíduos, é imprescindível minimizar as quantidades utilizadas dentro destas organizações por meio da redução, reutilização e reciclagem. Diante da Política Nacional de Resíduos Sólidos e em consonância com a agenda 2030, busca-se contribuir e apontar caminhos para o enfrentamento da grave questão.

Leia mais »