saneamento basico

Método geoelétrico de detecção de furos em aterros sanitários lançado pela Ciclus Ambiental entra para a norma brasileira

Através da técnica, furos podem ser identificados na geomembrana dos aterros e reparados antes da disposição do lixo, evitando qualquer problema ambiental

Implementado pela primeira vez no Brasil pela Ciclus Ambiental, concessionária que faz a gestão integrada dos resíduos do Rio de Janeiro, o método geoelétrico para detecção de furos em aterros sanitários foi recentemente incluído na norma brasileira de Instalação de Geomembranas em obras geotécnicas ou de proteção ambiental, a ABNT NBR 16.199/2020. A técnica permite identificar, em quilômetros de aterro, rasgos de meros centímetros na geomembrana protetora, os quais poderiam gerar vazamentos e prejuízos para o empreendedor caso não fossem reparados.

A ABNT NBR 16.199/2020 não é uma imposição legal, mas uma recomendação de boas práticas que os empreendimentos devem seguir para garantir a melhor condição de segurança para a operação de aterros.

Nos aterros sanitários, utilizam-se geomembranas para criar barreiras de proteção e evitar a contaminação do solo e do lençol freático. No entanto, durante o processo de instalação dessas geomembranas, podem ocorrer furos nas mesmas, comprometendo a integridade. Por este motivo, é necessária a adoção de um Plano de Garantia de Qualidade voltado para a instalação das geomembranas.


LEIA TAMBÉM: SANÇÃO DO MARCO LEGAL DO SANEAMENTO ACELERA DISCUSSÃO SOBRE LEILÕES PARA GERAÇÃO DE ENERGIA A PARTIR DO LIXO


Tecnologia da Ciclus Ambiental

ciclus-ambiental

Através do Método Dipolo, método geoelétrico usado pela Ciclus, aplica-se uma tensão elétrica sobre o solo de proteção da geomembrana, produzindo um campo elétrico uniformemente distribuído. Caso existam furos, eles podem ser detectados a partir de anomalias no campo elétrico, causadas pela fuga de corrente nos furos. Desse modo, é possível repará-los antes que os resíduos sejam dispostos.

Desde o início da operação da Central de Tratamento de Resíduos (CTR) do Rio, em 2011, a Ciclus adotou a metodologia, amplamente utilizada em países como os Estados Unidos, como parte do seu Programa de Garantia de Qualidade. Na CTR, entre 2011 e 2019, 82 pequenos furos foram identificados em mais de 520 mil m² de geomembranas e prontamente reparados, antes de receberem qualquer carga de resíduo.

Alguns métodos de controle de qualidade não são capazes de inspecionar a totalidade da área da geomembrana instalada, além de não conseguirem avaliar a integridade da geomembrana após a aplicação do solo de proteção sobre a mesma. Os métodos geoelétricos já são requisito obrigatório em aterros sanitários existentes em nove estados dos Estados Unidos – explica Priscila Mendes Zidan, fundadora da empresa que presta o serviço na CTR Rio, a Evolui.

Para a diretora da Ciclus Ambiental, Adriana Felipetto, a inclusão desta técnica na norma brasileira foi um marco importante:

São nove anos de trajetória na Ciclus utilizando o método geoelétrico para detecção de danos nas geomembranas. A Ciclus sempre fez questão de aplicar tecnologias modernas para aprimorar o monitoramento ambiental de suas atividades e para melhorar a qualidade e a segurança do empreendimento. É um passo importante a inserção da tecnologia na norma da ABNT, pois sabemos da eficácia da técnica. Agora, pode ser cada vez mais difundida.


ÚLTIMAS NOTÍCIAS: O NOVO MARCO LEGAL E A EXPECTATIVA DE AVANÇO EM OBRAS NO SANEAMENTO

ÚLTIMAS NOTÍCIAS: POLUIÇÃO POR PLÁSTICO PODE AUMENTAR MAIS DE SEIS VEZES ATÉ 2030

Últimas Notícias:
Projetos ESG Resultados no Saneamento

Projetos ESG e seus resultados no saneamento

Projetos ESG são práticas adotadas por empresas com base em critérios ambientais, sociais e de governança corporativa. A implementação bem-sucedida de projetos ESG reduz riscos e impactos sociais, ambientais e financeiros das operações. Dessa forma, atraem investidores e contribuem para a sustentabilidade das atividades.

Leia mais »
Descarte Correto de Resíduos

Saiba como descartar resíduos corretamente e evitar doenças como a dengue

Além de crime ambiental, o descarte irregular de resíduos sólidos traz diversos prejuízos ao meio ambiente e à população. Estes pontos se tornam ambientes propícios para a proliferação de vetores de doenças, levando às situações de alagamentos em período de chuva, comprometendo a qualidade do ambiente e da paisagem do local, além de gerar o aumento dos custos públicos com a remoção do material descartado de forma incorreta e também dos gastos com saúde pública.

Leia mais »
Contrato Sabesp Vale do Paraíba

Novo contrato da Sabesp prevê aporte de R$ 18,6 bilhões no Vale do Paraíba até 2060

Atualmente em consulta pública, o novo contrato da Sabesp encontra-se em processo de desestatização, proposto pelo governo do estado de São Paulo. Os investimentos estão previstos em R$ 18,6 bilhões até o ano de 2060, no Vale do Paraíba e Litoral Norte. Cerca de R$ 5 bilhões serão destinados à universalização do saneamento básico nas 28 cidades atendidas pela Sabesp na região até 2029. As obras que pretendem levar água potável, coleta e tratamento de esgoto para toda a população, foram definidas com as prefeituras.

Leia mais »
Dmae Fumaça Ligações Irregulares

Dmae de Uberlândia/MG vai iniciar testes de fumaça para identificar ligações irregulares de esgoto

A partir da próxima segunda-feira (4), o Departamento Municipal de Água e Esgoto (Dmae) iniciará testes de fumaça para detectar ligações irregulares na rede de esgoto do município. O primeiro bairro atendido será a região do bairro Pampulha. O local em questão foi escolhido para iniciar os trabalhos devido ao grande número de chamados para desobstrução de rede, especialmente em período de chuva. Futuramente, outros bairros da cidade receberam os mesmos testes.

Leia mais »
Manejo de Resíduos Biometano Brasileiro

Ao custo global de R$ 3,1 tri, manejo de resíduos pode virar negócio, como o biometano brasileiro

Segundo alerta feito pela ONU nesta quarta-feira, 28, o volume de resíduos no mundo, que atingiu 2,3 bilhões de toneladas em 2023, continuará crescendo exponencialmente, até 3,8 bilhões de toneladas até meados deste século. A crise será ainda mais grave nos países onde os métodos de tratamento ainda são poluentes: aterros sanitários (contaminação do solo, emissões de poluentes e gases de efeito estufa, como o metano) e incineração sem recuperação.

Leia mais »
Sanasa Campinas Saneamento Básico

Campinas tem saneamento superior à média nacional

Dados do “Censo 2022: Características dos domicílios – Resultados do universo”, publicados na sexta-feira (23) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) confirmam a elevação dos indicadores de moradores com acesso ao saneamento básico em Campinas.

Leia mais »