saneamento basico
bioplastico

Um investimento fundamental para a cadeia de logística: o plástico como solução sustentável

Imagem Ilustrativa

A CHEP, uma empresa Brambles dedicada à criação de soluções logísticas sustentáveis, iniciou parceria com a Fundação Ellen MacArthur (EMF) – uma organização que busca acelerar a transição para a economia circular, colaborando com governos, empresas e universidades – no Stretch Wrap Alternative Project (SWAP) para testar alternativas na reutilização, reciclagem e compostagem de embalagens plásticas, usadas como invólucros na cadeia logística. A iniciativa estuda a viabilidade de plásticos mais adequados a economia circular, que sejam economicamente viáveis e geograficamente escaláveis, envolvendo 10 empresas-membro da EMF.

Projeto que está ligado à iniciativa Zero Waste World da CHEP desenvolve, através da colaboração global, soluções de logística zero resíduos para os principais varejistas e fabricantes do mundo.

O invólucro plástico é um item padrão da indústria para fixar cargas de paletes devido a seu desempenho, flexibilidade e custo-benefício. Como é descartado após o uso, surge o desafio de encontrar alternativas comparáveis que mitiguem os danos ambientais. Isso é fundamental para a cadeia de qualquer negócio se queremos pensar num mundo com menos geração e lixo e produção sustentável, uma vez que a logística está no princípio da jornada, no transporte de insumos e de produtos para indústria e comércio.

A maioria das embalagens plásticas segue uma rota linear de descartes e apenas 14% das embalagens são coletadas para reciclagem em todo o mundo. Apenas 21% deste plástico é reciclado nos Estados Unidos e 30% na Europa; no Brasil 23,1% dos resíduos plásticos pós-consumo foram reciclados em 2020.

Segundo o estudo, em 2020 foram consumidas 1,4 milhão de toneladas de resíduo plástico na reciclagem, representando um crescimento de 5,8% em comparação a 2019. Um milhão de toneladas são de plástico pós-consumo, ou seja, material descartado em domicílios residenciais e em locais como shoppings centers, estabelecimentos comerciais, escritórios, entre outros, e 368 mil toneladas de plástico pós-industrial, como sobras dos processos da indústria petroquímica, de transformação de plásticos e da própria reciclagem de plásticos.

Do total de resíduos consumidos na reciclagem, 960 mil toneladas referem-se aos utensílios de uso único, categoria que representa as embalagens e outros tipos de descartáveis.

Além disso, o plástico é frequentemente reciclado em sistemas de ciclo aberto, onde o material reciclado é usado para criar outros produtos, tais como sacos de lixo ou filmes plásticos comerciais com um calibre mais grosso.

Plástico

Neste contexto, empresas como a CHEP, que estão constantemente buscando criar elos com as partes interessadas em fomentar a preservação do meio ambiente, devem trabalhar para reduzir drasticamente a dependência das embalagens plásticas, através da cadeia de valor que inclui a logística, migrando para modelos circulares.

Uma das vantagens do uso de plástico SWAP é na proteção de paletes reutilizáveis, pois pode substituir o revestimento plástico linear de uso único, reduzindo o impacto ambiental devido à fabricação, demanda de material e desperdício ao final da vida útil, além de oferecer uma solução durável que pode ser gerenciada em diferentes partes de uma operação logística.

Além disso, teste piloto deste projeto da EMF com empresas parceiras concluiu que o filme plástico pode ser reciclado em um material novo para aplicação manual.

Por fim e não menos importante, conclui-se que o filme plástico pode ser compostado com sucesso em um compostor industrial.

Com o objetivo de liderar cadeias de fornecimento regenerativas para seus clientes, através de seu plano de sustentabilidade de cinco anos, a CHEP procura atuar globalmente e gerar mais efeitos positivos, em vez de tentar ser “menos prejudicial” e apenas reduzir os impactos negativos. Este projeto está ligado à Iniciativa Mundial de Resíduos Zero, um programa colaborativo global que cria e fornece soluções escaláveis e inovadoras de resíduos zero com os principais varejistas e fabricantes mundiais para atender à demanda dos consumidores de forma mais inteligente e sustentável.

Sobre a CHEP

A CHEP é uma empresa de logística sustentável que ajuda a mover mais mercadorias para mais pessoas, em mais lugares do que qualquer outra organização no mundo. Com forte presença global em mais de 60 países e liderança de mercado na América do Norte e Europa Ocidental, a CHEP faz parte do Grupo Brambles e está operando no Brasil há 20 anos. Seus paletes, caixas e contêineres formam a espinha dorsal invisível da cadeia de suprimentos global e as maiores marcas do mundo confiam na CHEP para ajudá-los a transportar seus produtos de forma mais eficiente, sustentável e segura. Como pioneira da economia compartilhada, a CHEP criou um dos negócios logísticos mais sustentáveis do mundo através da participação e reutilização de suas plataformas sob um modelo conhecido como “pooling”. O objetivo da CHEP é criar um impacto positivo no planeta e na sociedade, sendo pioneira nas cadeias de suprimentos regenerativas. A CHEP atende principalmente os bens de consumo, que está em constante movimento (por exemplo, alimentos secos, mercearia e saúde e cuidados pessoais), produtos frescos, bebidas, varejo e indústrias de manufatura em geral. A CHEP possui aproximadamente 345 milhões de paletes, caixas e contêineres operando com uma rede de mais de 750 centros de serviço, suportando mais de 500.000 pontos de contato de clientes para marcas globais como Procter & Gamble, Sysco e Nestlé.

Fonte: SEGS.

Últimas Notícias:
greenTalks Sustentabilidade de Embalagens

greenTalks entrevista Bruno Pereira, CEO da Ecopopuli, sobre sustentabilidade de embalagens

O segundo episódio da temporada 2024 do videocast greenTalks – uma iniciativa pioneira entre a green4T e NEO MONDO para discutir o papel fundamental da tecnologia na promoção de um futuro mais sustentável – tem como entrevistado especial Bruno Pereira, Especialista em Sustentabilidade Positiva, Líder do Comitê de Sustentabilidade da Associação Brasileira de Embalagem (ABRE) e CEO da Ecopopuli.

Leia mais »
Gestão Resíduos Sólidos Urbanos

Estudo aponta caminhos para a gestão de resíduos sólidos urbanos

Apenas a cidade de São Paulo produz cerca de 20 mil toneladas de resíduos sólidos urbanos (RSU) todos os dias, sendo 12 mil domiciliares e 8 mil da limpeza urbana, decorrentes de atividades de varrição, recolhimento de restos de feiras, podas e capinas. Considerando somente as 12 mil toneladas produzidas nas residências, isso dá uma média de aproximadamente 1 quilo de lixo por habitante ao dia.

Leia mais »
Lei do Bem Cagece

Lei do Bem: Cagece alcança R$ 3,6 milhões em benefícios fiscais através de investimentos em projetos de inovação tecnológica

A Companhia de Água e Esgoto do Ceará (Cagece) é pioneira no Ceará em aliar os investimentos em projetos de inovação tecnológica e transformá-los em benefícios fiscais. Por meio da chamada “Lei do Bem” (nº 11.196/2005), a companhia conseguiu rastrear e inserir junto ao Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação um total de R$ 17 milhões, aportados em projetos de inovação nos últimos três anos, rendendo um retorno total de R$ 3,6 milhões em benefícios.  

Leia mais »
Política de Gerenciamento Resíduos Sólidos

Política de gerenciamento de resíduos sólidos em instituições públicas

O presente estudo aborda a problemática ambiental da geração de resíduos sólidos e a inadequação do gerenciamento destes nas instituições públicas. Considerando as limitações das opções de destinação final para os resíduos, é imprescindível minimizar as quantidades utilizadas dentro destas organizações por meio da redução, reutilização e reciclagem. Diante da Política Nacional de Resíduos Sólidos e em consonância com a agenda 2030, busca-se contribuir e apontar caminhos para o enfrentamento da grave questão.

Leia mais »