saneamento basico
Reciclagem

Prefeitura estuda parceria para reciclagem de 500 mil cascas de coco que são consumidos por mês

Reciclagem

A Prefeitura de Cuiabá estuda uma parceria com a Associação Mato-grossense de Vendedores de Coco e Derivados (Amvecod) para a destinação correta da casca dos cerca de 500 mil frutos in natura que são consumidos por mês na Capital.

O projeto prevê a trituração do material, que é rico em potássio e cálcio, e a transformação em adubo orgânico. As discussões envolvem a secretaria de Agricultura, Trabalho e Desenvolvimento Econômico e contam com a articulação do secretário de Habitação e Regularização Fundiária, Marcrean Santos.

A Associação já possui duas máquinas para fazer a trituração. A prefeitura vai ceder um espaço para que esse processo de transformação da matéria-prima seja feito. Além disso, a ideia é construir 4 ecopontos para esse material e a prefeitura recolher duas vezes por semana, levando direito para o local da reciclagem.

LEIA TAMBÉM: BRASIL QUER RECICLAR 20% DE SEUS RESÍDUOS SÓLIDOS SECOS ATÉ 2040, MAS HOJE TRATA APENAS 4%

Em contrapartida, o município ficará com parte do adubo produzido, que será destinado para os pequenos produtores e agricultura familiar, além de ser usado pelo próprio município em canteiros, por exemplo.

Processo de Reciclagem

O Presidente da associação, Miguel Antunes Freire, destaca que já conheceu a experiência da reciclagem da casca do coco no Ceará e em Goiás. Ele explica que o processo é simples. Primeiro, o coco passa por um processo de secagem natural, ao ar livre, no período de 60 a 90 dias. Depois de seco, ele é triturado nas máquinas.

Freire enfatiza que a associação luta pela implantação deste projeto há cerca de um ano e conta com a parceria de Marcrean Santos.

“Já estamos discutindo essa ideia com o vereador Marcrean desde o ano passado e ele tem nos dado todo o apoio e encaminhamento nesse processo”.

Marcrean destaca que começou a discutir a implantação da reciclagem da casca do fruto em Cuiabá ainda na Câmara Municipal. Lembra que há muitos benefícios nesta parceria, principalmente na questão ambiental, uma vez que o coco leva cerca de 12 anos para se decompor.

“Vamos garantir a destinação correta da casca do coco verde, transformando em adubo orgânico, retirando esses cocos do aterro sanitário ou até mesmo evitando descartes irregulares. Cuiabá será a primeira cidade de Mato Grosso a ter um projeto neste sentido”.

Secretário de Agricultura, Trabalho e Desenvolvimento Econômico, Francisco Vuolo recebeu o secretário Marcrean e Miguel na manhã desta sexta-feira para discutir o avanço na parceria. Lembrou que o município analisa algumas áreas que poderão atender o projeto e estuda o instrumento legal para firmar a parceria. Uma das áreas foi visitada na manhã de ontem.

“É uma proposta que vem para preservar o meio ambiente, gerar emprego e renda e ainda vai beneficiar a agricultura familiar”, enfatiza Vuolo.

Fonte: Gazeta Digital

Últimas Notícias:
Risco Ambiental Fármacos Esgoto

Avaliação de risco ambiental de fármacos e desreguladores endócrinos presentes no esgoto sanitário brasileiro

Este estudo investigou a ocorrência, remoção e impacto na biota aquática de 19 contaminantes de preocupação emergente (CEC) comumente reportados no esgoto brasileiro bruto e/ou tratado. Para 14 CEC (E1, E2, EE2, GEN, DCF, PCT, BPA, IBU, NPX, CAF, TMP, SMX, CIP, LEV), sua presença em esgoto tratado apresentou um alto risco ambiental em pelo menos 2 dos 6 cenários de diluição considerados.

Leia mais »
greenTalks Sustentabilidade de Embalagens

greenTalks entrevista Bruno Pereira, CEO da Ecopopuli, sobre sustentabilidade de embalagens

O segundo episódio da temporada 2024 do videocast greenTalks – uma iniciativa pioneira entre a green4T e NEO MONDO para discutir o papel fundamental da tecnologia na promoção de um futuro mais sustentável – tem como entrevistado especial Bruno Pereira, Especialista em Sustentabilidade Positiva, Líder do Comitê de Sustentabilidade da Associação Brasileira de Embalagem (ABRE) e CEO da Ecopopuli.

Leia mais »
Gestão Resíduos Sólidos Urbanos

Estudo aponta caminhos para a gestão de resíduos sólidos urbanos

Apenas a cidade de São Paulo produz cerca de 20 mil toneladas de resíduos sólidos urbanos (RSU) todos os dias, sendo 12 mil domiciliares e 8 mil da limpeza urbana, decorrentes de atividades de varrição, recolhimento de restos de feiras, podas e capinas. Considerando somente as 12 mil toneladas produzidas nas residências, isso dá uma média de aproximadamente 1 quilo de lixo por habitante ao dia.

Leia mais »