saneamento basico

Saltinho/SP busca reduzir índice de perda de água com concessão do serviço à Sabesp

Diretora de saneamento do município afirma que combate à perda é o ‘primeiro foco’ da companhia estadual.

 A prefeitura de Saltinho (SP) concedeu por 30 anos o serviço de água e esgoto da cidade para a Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo (Sabesp). A assinatura da concessão ocorreu nesta sexta-feira (6) no Palácio dos Bandeirantes, na capital. Segundo a diretora de Saneamento Básico e Meio Ambiente, Ariella Montebello, o primeiro foco da companhia é reduzir o índice de perda de água.

O saneamento de Saltinho atualmente é municipalizado e, a partir da concessão, a Sabesp prevê o investimento de R$ 3,6 milhões no sistema de abastecimento de água, R$ 1,6 milhão em coleta e tratamento de esgoto e R$ 516 mil em bens de uso geral.

“No total, a companhia investirá R$ 5,7 milhões na cidade, beneficiando mais de 7 mil moradores”, segundo o governo estadual.

Ariella afirma que a cidade sempre sofreu com o abastecimento de água e viveu períodos de racionamento recentemente. Além disso, a prefeitura não consegue mais garantir o alcance das metas de saneamento.

“Saltinho sempre teve muito problema com água, abastecimento, essa época de estiagem é sempre muito complicado, já passou por vários racionamentos”, afirma.

A cidade capta água de quatro poços artesianos e uma represa. Segundo Ariella, há a previsão de perfurar novos poços, mas a Sabesp vai focar no combate à perda de água captada.

“Inicialmente a ideia é fazer perfurações de poços e também focar na questão das perdas. Principalmente nas perdas porque às vezes com essa redução de perdas talvez nem precise perfurar outros poços”.

“Hoje a gente não tem esse sistema de combate a perdas, mas esse é o primeiro foco deles (Sabesp)”, explica Ariella.

Perda de água

Segundo ela, a última estimativa do índice de perda de água captada foi feita em 2015 e apontava que 58% do que era retirado acabava perdido por problemas de encanamento e no tratamento.

Com a concessão, a Sabesp passa a receber a arrecadação com as contas de água dos moradores. Ariella afirma que a companhia vai aplicar os mesmos índices de reajustes usados nas demais cidades administradas.

Período de estiagem

A diretora diz que o nível dos poços e da represa diminuiu no período de estiagem vivido pela região de Piracicaba, mas afasta a possibilidade de racionamento por enquanto.

“Ainda não há previsão de racionamento porque o que tem ainda está suprindo”, disse.

Fonte: G1

Últimas Notícias:
greenTalks Sustentabilidade de Embalagens

greenTalks entrevista Bruno Pereira, CEO da Ecopopuli, sobre sustentabilidade de embalagens

O segundo episódio da temporada 2024 do videocast greenTalks – uma iniciativa pioneira entre a green4T e NEO MONDO para discutir o papel fundamental da tecnologia na promoção de um futuro mais sustentável – tem como entrevistado especial Bruno Pereira, Especialista em Sustentabilidade Positiva, Líder do Comitê de Sustentabilidade da Associação Brasileira de Embalagem (ABRE) e CEO da Ecopopuli.

Leia mais »
Gestão Resíduos Sólidos Urbanos

Estudo aponta caminhos para a gestão de resíduos sólidos urbanos

Apenas a cidade de São Paulo produz cerca de 20 mil toneladas de resíduos sólidos urbanos (RSU) todos os dias, sendo 12 mil domiciliares e 8 mil da limpeza urbana, decorrentes de atividades de varrição, recolhimento de restos de feiras, podas e capinas. Considerando somente as 12 mil toneladas produzidas nas residências, isso dá uma média de aproximadamente 1 quilo de lixo por habitante ao dia.

Leia mais »
Lei do Bem Cagece

Lei do Bem: Cagece alcança R$ 3,6 milhões em benefícios fiscais através de investimentos em projetos de inovação tecnológica

A Companhia de Água e Esgoto do Ceará (Cagece) é pioneira no Ceará em aliar os investimentos em projetos de inovação tecnológica e transformá-los em benefícios fiscais. Por meio da chamada “Lei do Bem” (nº 11.196/2005), a companhia conseguiu rastrear e inserir junto ao Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação um total de R$ 17 milhões, aportados em projetos de inovação nos últimos três anos, rendendo um retorno total de R$ 3,6 milhões em benefícios.  

Leia mais »
Política de Gerenciamento Resíduos Sólidos

Política de gerenciamento de resíduos sólidos em instituições públicas

O presente estudo aborda a problemática ambiental da geração de resíduos sólidos e a inadequação do gerenciamento destes nas instituições públicas. Considerando as limitações das opções de destinação final para os resíduos, é imprescindível minimizar as quantidades utilizadas dentro destas organizações por meio da redução, reutilização e reciclagem. Diante da Política Nacional de Resíduos Sólidos e em consonância com a agenda 2030, busca-se contribuir e apontar caminhos para o enfrentamento da grave questão.

Leia mais »