saneamento basico

GS Inima a um passo de comprar a SAMAR

O site estrangeiro de notícias sobre negócios Infralatinamerican noticiou, no último dia 22, que a empresa coreana GS Inima está perto de fechar negócio para comprar a Samar (Soluções Ambientais de Araçatuba), que, desde 2012, detém a concessão de serviços de água e esgoto no município por 30 anos.

Fontes do site disseram que a GS Inima está interessada em pagar R$ 100 milhões, valor é 70% inferior ao pago pela concessionária à Prefeitura em 2012: R$ 344 milhões. Para concluir as negociações, segundo a notícia da Infralatinamerican, a OAS Soluções Ambientais, grupo ao qual a Samar é ligada, precisaria de qualquer aprovação de uma reunião de credores, marcada para 3 de novembro, ou de uma decisão pré-reunião do tribunal de falências.

A coluna procurou o escritório da GS Inima, em São Paulo, que informou desconhecer as negociações. A Samar disse ao Periscópio que o assunto deve ser tratado com a OAS. Já a construtora não respondeu aos questionamentos enviados à sua assessoria de imprensa.

LAVA JATO
Recentemente, a OAS colocou à venda 100% de sua participação na OAS Soluções Ambientais. A medida foi tomada ao mesmo tempo em que a empresa entrou com pedido de recuperação judicial a fim de evitar falência.

Com dívidas de R$ 9,2 bilhões, a construtora é uma das investigadas pela Operação Lava Jato, que apura casos de corrupção envolvendo a Petrobras.

ESTÁ PREOCUPADA
Na Câmara, a vereadora Edna Flor (PPS) também tomou conhecimento da notícia e começou a buscar informações sobre a possível negociação. O assunto preocupou a parlamentar.

O receio dela diz respeito aos investimentos que a OAS se comprometeu a fazer no município ao longo do período de concessão. O grupo estimou investir R$ 370 milhões nos próximos 30 anos. “De que maneira isso (a venda da Samar) vai refletir na prestação do serviço?”, questionou a representante da oposição.

E O DAEA?
Para a vereadora, o Daea (Departamento de Água e Esgoto de Araçatuba) — agência reguladora, que tem o objetivo de fiscalizar o contrato de concessão — precisa vir a público para explicar à população como ficará o saneamento na cidade no caso de uma possível aquisição da concessionária pelo grupo coreano.

CHEQUE EM BRANCO
Presidente de comissão na Câmara que estudou o contrato, o vereador Gilberto Mantovani, o Batata (PR), disse que o acordo não tem “trava” que impeça a negociação da concessionária com outro grupo. “Foi dado um cheque em branco para a OAS”, declarou Batata.

A única coisa que pode causar punições à construtora é o descumprimento do contrato. Líder do governo na Câmara, ele defendeu que a vinda de um novo grupo para assumir a concessão do saneamento passe por nova apreciação do Legislativo. “O que a outra empresa dará de garantia para o cumprimento do contrato?”, questionou. (Ronaldo Ruiz Galdino)

Fonte e Agradecimento pelo envio da Matéria: http://www.folhadaregiao.com.br/Materia.php?id=378422

Últimas Notícias:
greenTalks Sustentabilidade de Embalagens

greenTalks entrevista Bruno Pereira, CEO da Ecopopuli, sobre sustentabilidade de embalagens

O segundo episódio da temporada 2024 do videocast greenTalks – uma iniciativa pioneira entre a green4T e NEO MONDO para discutir o papel fundamental da tecnologia na promoção de um futuro mais sustentável – tem como entrevistado especial Bruno Pereira, Especialista em Sustentabilidade Positiva, Líder do Comitê de Sustentabilidade da Associação Brasileira de Embalagem (ABRE) e CEO da Ecopopuli.

Leia mais »
Gestão Resíduos Sólidos Urbanos

Estudo aponta caminhos para a gestão de resíduos sólidos urbanos

Apenas a cidade de São Paulo produz cerca de 20 mil toneladas de resíduos sólidos urbanos (RSU) todos os dias, sendo 12 mil domiciliares e 8 mil da limpeza urbana, decorrentes de atividades de varrição, recolhimento de restos de feiras, podas e capinas. Considerando somente as 12 mil toneladas produzidas nas residências, isso dá uma média de aproximadamente 1 quilo de lixo por habitante ao dia.

Leia mais »
Lei do Bem Cagece

Lei do Bem: Cagece alcança R$ 3,6 milhões em benefícios fiscais através de investimentos em projetos de inovação tecnológica

A Companhia de Água e Esgoto do Ceará (Cagece) é pioneira no Ceará em aliar os investimentos em projetos de inovação tecnológica e transformá-los em benefícios fiscais. Por meio da chamada “Lei do Bem” (nº 11.196/2005), a companhia conseguiu rastrear e inserir junto ao Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação um total de R$ 17 milhões, aportados em projetos de inovação nos últimos três anos, rendendo um retorno total de R$ 3,6 milhões em benefícios.  

Leia mais »
Política de Gerenciamento Resíduos Sólidos

Política de gerenciamento de resíduos sólidos em instituições públicas

O presente estudo aborda a problemática ambiental da geração de resíduos sólidos e a inadequação do gerenciamento destes nas instituições públicas. Considerando as limitações das opções de destinação final para os resíduos, é imprescindível minimizar as quantidades utilizadas dentro destas organizações por meio da redução, reutilização e reciclagem. Diante da Política Nacional de Resíduos Sólidos e em consonância com a agenda 2030, busca-se contribuir e apontar caminhos para o enfrentamento da grave questão.

Leia mais »